logo

Entrar
Actualizado às 11:21 PM, Dec 4, 2019

Kill Bill - A Vingança (vol. 2) - ciclo Tarantino

Na chegada da segunda parte do seu díptico Kill Bill, o ritmo desacelera para o bem das suas personagens, aliás é que The Bride (A Noiva), ou como é aqui revelada, Beatrix Kiddo (Thurman) é uma figura que se revela cada vez inserida numa vincada tragédia, um mártir que vagueia por uma ambiguidade moral transvestida. É no dito volume dois que despimos o macaco amarelo e negro em tributo a Bruce Lee, saímos do círculo dos Loucos 88 e a atmosfera yakuza alicerçada e partimos em prol de um ensaio Kung Fu, o título da homónima série protagonizada por David Carradine (aqui o último da lista, Bill), que usufrui de uma mixagem entre wuxia e western. Uma Thurman não tem a vida facilitada aqui, os últimos nomes da sua prometida vingança são eventualmente íntimos para com a sua jornada, que por sua vez se debatem pelo passado sangrento e o futuro não tão limpo assim. O segundo Kill Bill aposta sobretudo na sua cadência, numa passividade adormecida que se desafia por entre o anti-clímax do derradeiro confronto, mas é no seu início que deparamos a com a veia principal do filme. Em jeito de prólogo, um flashback vestido sob tons de preto-e-branco, um alpendre numa igreja remota, dois amantes, ou diríamos assassinos se reencontram ao fim de meses, os passos dados por ambos são racionados como uma espécie de duelo ao pôr-do-sol. É a cumplicidade entre Carradine e Thurman no começo da obra que ditará o julgamento do seu final, e Quentin Tarantino sob um jeito de disco jockey cruza as mais diferentes referências, estilos, remixes desses mesmos, para nos oferecer um “monstro”, uma obra de vários gestos, todos eles ao serviço de um dos mais lúdicos e delirantes contos de vingança do novo século. No final, tal como a elipse que demonstra a própria Beatrix Kiddo deitada no frio chão do motel, é a euforia que toma conta, porque o realizador assim cumpriu, não por caminhos fáceis, este doloroso cumprimento. A vingança serve-se fria, porém, ao contrário do consenso, aqui ela é calorosa.

Uma Thurman, David Carradine, Michael Madsen, Vivica A. Fox, Daryl Hannah
2004 | 137 min

Mídia

Modificado emdomingo, 22 setembro 2019 21:36

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.