«Nell, A Renegada» ,da Disney+, marca o regresso com um estrondo de Sally Wainwright, uma das melhores argumentistas dos últimos anos.

«Nell, A Renegada» difere dos aclamados trabalhos de Sally Wainwright («Happy Valley» e «Gentelman Jack»), mas a autora volta a surpreender e deslumbrar com uma série completamente fora da caixa. Ela é uma argumentista fenomenal e, mesmo numa temática diferente, a qualidade da sua escrita, a história e os personagens detêm a marca superlativa de Sally Wainwright. E, apesar de todo o aparato visual e estilístico, são as personagens – como é apanágio nas suas obras – a determinarem os acontecimentos e a serem o coração da história. Estamos completamente investidos nestes personagens – sejam eles os heróis ou os vilões –, todos muito bem escritos, eles saltam da página para os ecrãs através de um ensemble de luxo – não existem más interpretações –, cada actor que surge em cena deixa o seu cunho pessoal.

O argumento desta série tem muitos volte-faces, é sempre a subir e a maravilhar o espectador. Em 1704, Nell (Louisa Harland) regressa da guerra sendo acusada por dois irmãos de um crime que não cometeu. Sofia (Alice Kremelberg) e o desnaturado Thomas Blancheford (Jake Dunn), são na realidade a autora e o cúmplice do assassinato do próprio pai (um magistrado local) e deitam as culpas na nossa heroína. Mas Nell vai ter a preciosa ajuda de Billy Blind (Nick Mohammed), um espírito que surge nos momentos de maior aperto e que lhe confere habilidades sobrenaturais que ajudam Nell a enfrentar as ameaças e a cumprir os seus desígnios no mundo.

A aventura começa estrada fora. Nell é acompanhada pelas suas irmãs mais novas, Roxy (Bo Bragason) e George (Florence Keen), que perdem a sua casa e o pub quando o pai destas foi assassinado por Thomas, o filho do magistrado. Nell ainda tem a companhia de Rasselas (Enyi Okoronkwo), um servente dos Blancheford que tem uma ligação afectiva aos irmãos, ele conhece os crimes de Thomas. Também se junta à entourage o disfuncional Charles Devereux (Frank Dillane), um pseudo-aristocrata que se torna um assaltante nas estradas e fica feito num oito quando tenta roubar Nell. O argumento vai-se desmultiplicando com os poderes de Nell a atraírem forças indesejadas que também ambicionam derrubar a rainha, entrando em cena o sinistro Robert Hennessey (Adrian Lester), um conselheiro real que domina a magia negra e os círculos conspirativos para instituir um novo monarca.

A protagonista, Nell Jackson, foi interpretada por Louisa Harland, que, apesar do seu sucesso na sitcom «Derry Girls», conta que esteve muito próxima de abandonar esta profissão. Felizmente a jovem actriz irlandesa não o fez e tem mesmo um desempenho fantástico que a traz de novo para a ribalta. Num papel de “maria-rapaz”, Harland luta contra a opressão e o papel tradicional da mulhe, dando um pontapé nas regras bacocas e emancipando-se no desejo de melhorar o mundo à sua volta.

É com os ingredientes de elementos mágicos, uma heroína electrizante, uma família em fuga, intriga, acção de capa e espada (com algumas coreografias dignas da wuxia) e narrativas que se cruzam para formar uma grande aventura. «Nell, A Renegada» é para os amantes de acção e aventura que apreciam heroínas audazes e histórias bem contadas, uma joia para se ver na Disney+.

https://www.youtube.com/watch?v=u9OmmeE_gZc

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.

Vais receber informação sobre
futuros passatempos.