Cavaleiro de Copas/Knight of Cups

CAVALEIRO DE COPAS

CAVALEIRO DE COPAS

“Era uma vez um jovem príncipe cujo pai o enviou para o Egipto a fim de encontrar uma pérola. Quando o príncipe chegou, o povo serviu-lhe uma taça e, ao bebê-la, este esqueceu-se que era filho do rei, esqueceu-se da pérola e caiu num sono profundo.” É desta forma que Terrence Malick nos introduz «O Cavaleiro de Copas». A partir daqui, o filme é uma deambulação constante à procura da pérola, que não é mais do que a essência e a luz única de cada ser, adormecida por crenças que limitam, em vez de expandir.

Através de imagens imaculadamente belas, e sob uma banda sonora etérea, o realizador leva-nos numa road trip atribulada pela falsidade, consumismo e beleza efémera da cidade, conseguindo depois resgatar-nos para o conforto dos quatro elementos e da mãe de todos: a natureza. E nisso, é exímio. Oferece-nos o vento, a água, o fogo e a terra, de uma forma ímpar.

Malick dá-se ao luxo de deixar o argumento disperso, como peças de um puzzle espalhadas. Perdido na sua existência, sabemos que Rick (Christian Bale) é um homem de sucesso; que casou com o amor da sua vida, mas precisou de algo mais; que o suicídio do irmão o transtornou e abriu um buraco na família; que o outro irmão é o seu maior fã mas, como todos os irmãos, amam-se e odeiam-se e são reflexo das ambições dos pais; adora mulheres, qual Cavaleiro de Copas, pois todas elas lhe trazem algo de novo; mas, no fim, é nas provações que está a dádiva da vida, é das trevas que nasce a luz, e estamos sempre a tempo de recomeçar.

«Cavaleiro de Copas» não é um filme de fácil digestão. Obriga-nos a parar e a despojar de preconceitos para o podermos absorver. Não é gratuito, não é linear. É antes uma viagem pela procura da essência do ser, pela família, pelo amor e pela fé, à disposição de todos os que quiserem ler nas entrelinhas.

Título original: Knight of Cups Realização: Terrence Malick Elenco: Christian Bale, Cate Blanchett, Natalie Portman, Brian Dennehy, Antonio Banderas, Freida Pinto, Imogen Poots, Wes Bentley. Duração: 119 min. EUA, 2015