Amigos Improváveis

AMIGOS IMPROVÁVEIS

AMIGOS IMPROVÁVEIS

A premissa indica talvez um dramalhão de dimensões épicas mas «Amigos Improváveis» consegue fazer maravilhas pelo espectador, dá um pontapé em sentimentalismos baratos e atira-se com energia à vontade de viver perante as adversidades com uma abordagem pouco ortodoxa e carregada de humor.

Um jovem negro oriundo subúrbios de Paris que está desempregado, e com um passado pouco recomendável, vai parar a uma mansão no centro da cidade onde se torna “acidentalmente” o ajudante “especial” de um milionário tetraplégico num desafio às suas capacidades. A história poderia ser escrita por um argumentista inspirado mas (infelizmente) é baseada em factos verídicos.

A realização da dupla Olivier Nakache e Eric Toledano (também assinam o argumento) é ritmada e possui enorme versatilidade que ultrapassa sem hesitações os tempos mortos da narrativa mesmo nos momentos mais apreensivos de mágoa e sacrifício. A realização teve talento e discernimento para descobrir o plano mais subtil para descrever estas situações. A banda-sonora com sons familiares foi também um convite para entrarmos no filme. O relato de humor e amizade entre duas figuras improváveis é sustentado em grande parte por Omar Sy, uma espécie de coelho Duracell, as suas pilhas nunca mais acabam, é o dínamo deste registo que exigiu vários tons em cena numa performance física e mental. François Cluzet dispensa apresentações e tem o cuidado de não vitimizar, ainda mais, o seu personagem, um desempenho estóico.

É uma obra muito acessível ao grande público, não é um filme para nichos e enche por inteiro as medidas as audiências. Facilmente se compreende a razão de «Amigos Improváveis» ter sido um fenómeno de massas um pouco por toda a Europa. Para todos aqueles que necessitam de ser abanados com configurações originais, uma deliciosa proposta cinematográfica que é uma mistura perfeita entre o drama ligeiro e uma comédia (milionária) de classes com interpretações cintilantes que promete surpreender tudo e todos com a sua humanidade e boa-disposição.

Título original: Intouchables Realização: Olivier Nakache, Éric Toledano Elenco: François Cluzet, Omar Sy, Anne Le Ny Duração: 112 min. França, 2011

[Texto originalmente publicado no site Cinema2000, 29 de Março 2012]

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Artigos