O PODER DA ESTRELA

Brad Pitt regressa à capa da METROPOLIS com «Bullet Train: Comboio Bala», um registo que será seguramente um dos mais rentáveis do Verão 2022. A viagem cinematográfica de Brad Pitt também se construiu ao jeito de um comboio bala, o actor foi ganhando velocidade para entrar na estratosfera dos mais populares astros da história do cinema. É interessante que a sua carreira sempre soube combinar os blockbusters com os trabalhos onde recebeu aclamação crítica. Tem um percurso invejável, povoado por grandes êxitos para todos os gostos. A título de exemplo, da versatilidade dramática de Brad Pitt, destaco em particular as obras em que trabalhou com (dois dos meus realizadores favoritos) David Fincher e Quentin Tarantino. Mas o rol de realizadores notáveis que trabalharam com Brad Pitt ao longo dos anos é muito extenso.

Numa era onde se aborda o realinhamento da produção de Hollywood, com os estúdios a terem em mente a equação do streaming, figuras como Brad Pitt assumem o seu star power e elevam-se perante estas encruzilhadas para se afirmarem no box office. Tivemos bem recente o caso de outro intocável – Tom Cruise – que através de «Top Gun – Maverick» ultrapassou todas as previsões e, mais do que isso, trouxe de volta às salas de cinema públicos que estavam arredados por esta fase de sequelas, Marvel, streaming e sobretudo o desaparecimento de um cinema para um público adulto. Mas quando os astros se alinham há sempre uma boa desculpa para visitar a sala escura. É evidente que não há muitos actores que tenham o magnetismo destas estrelas, mas ambos continuam a provar o seu carisma e a fazer a diferença nas bilheteiras.

Brad Pitt, talvez pelas suas escolhas ao longo da sua carreira como actor, entendeu há muitos anos que é necessário nutrir e criar plataformas que apoiem as ideias e os criadores. A Plan B é a sua produtora de sucesso, conta com três Oscars de Melhor Filme («Departed», «12 Anos Escravo» e «Moonlight») e produziu obras de Miranda July, James Gray, Terrence Malick, Adam McKay e Ava DuVernay, entre muitos outros autores. Como sabemos, Brad Pitt com a sua produtora estabeleceu uma tendência que é actualmente replicada em Hollywood por outras estrelas que estabelecem as suas companhias de produção. E, apesar de todos os novos movimentos, o star power, dentro e fora do ecrã, funciona para nos continuar a maravilhar com a magia do cinema.

JORGE PINTO

LER FLIPBOOK Download PDF
My Best Friend's Birthday
Filmes
Hugo Gomes

MY BEST FRIEND´S BIRTHDAY

O que poderemos extrair em todo este «My Best Friend’s Birthday» é uma determinada e peculiar cena em que o próprio Quentin Tarantino (sob a

Ler mais »
Agnus Dei
Filmes
Sara Afonso

AGNUS DEI – AS INOCENTES

Os primeiros sinos convocam-nos para uma época e cenários que sabemos serem inspirados em factos reais e que, desde logo, nos exigem um estado de

Ler mais »
Alcarràs
Filmes
Inês Lourenço

ALCARRÀS

Quando Carla Simón venceu o Urso de Ouro por «Alcarràs», na última edição da Berlinale, foi como que uma confirmação de expectativas: a catalã que

Ler mais »
A Chefe
Filmes
Jorge Pinto

A CHEFE

Melissa McCarthy é uma das mais brilhantes estrelas da comédia na última década, e «A Chefe» é mais uma prova disso mesmo. Não sendo vintage,

Ler mais »
Men
Filmes
Sérgio Alves

MEN

Rodado em plena pandemia, no ano passado, «Men» assinala o regresso de Alex Garland à realização, quando ainda está bem fresca a distopia de «Ex

Ler mais »
The Gray Man
Filmes
Metropolis

THE GRAY MAN

Ian Fleming tem muito que explicar. Sim, o pai do agente menos secreto da história da espionagem, real ou ficcional, criou em 1953 o célebre

Ler mais »