Um dos “meninos bonitos” de «Elite», Miguel Bernardeau, assume a liderança da nova série da Amazon Prime, «Zorro». De regresso a casa após uma tragédia, Diego de la Vega é testado pela responsabilidade da máscara.

Zorro

Uma das personagens mais queridas do público está de volta, desta feita no pequeno ecrã. Em defesa dos pobres e oprimidos contra a autoridade corrompida e os ricos, Zorro tenta fazer justiça contra tudo e todos, mesmo que, para tal, tenha de pagar com a própria vida. Diego de la Vega (Miguel Bernardeau) sempre conheceu uma vida de privilégio, mas o “peso” do fato vai levá-lo a analisar toda a sua realidade e a injustiça presente na sociedade a que pertence.

Quando o Zorro (Cristo Fernández) morre, na sequência de uma perseguição desumana, os interesses dos ricos e interesseiros parecem estar salvaguardados. Mas, como manda a regra, não tardará muito até que alguém seja escolhido, por forças sobre-humanas, para ocupar esse mesmo lugar. Para surpresa de todos, Diego, que recentemente perdeu o pai (inicialmente enganado para achar que foi Zorro o assassino), é o escolhido. Nesta difícil missão, tem a ajuda do mudo Bernardo (Paco Tous, La Casa de Papel), mas a cabeça a prémio, até por quem se acha mais merecedor de ser o Zorro.

Divertida e dinâmica, «Zorro» é uma série bem conseguida, que cumpre o seu papel. Com uma narrativa interessante e um fio condutor que vai cativando a atenção da audiência, muito por causa de uma personagem principal bem construída, a nova aposta da Amazon Prime não envergonha as histórias anteriores, com especial destaque para os filmes protagonizados por Antonio Banderas. Já a realização e o argumento têm um bom ritmo, sem tempo a perder, e com a criação de várias storylines paralelas, de forma a não depender em demasia dos momentos de ação. Nomeadamente linhas que visam mostrar o lado humano e os questionamentos sentidos por Diego, após a mudança abrupta que tem na sua vida.

Há ainda a trama romântica com Lolita (Renata Notni), o primeiro amor do herói, que nasceu também com a primeira história, The Curse of Capistrano, publicada em 1919 – assim como Bernardo. Mais moderna e menos convencional, «Zorro» não deixa as suas raízes westernianas e retrata uma sociedade machista e estratificada, gerida pelos interesses do governador (Rodolfo Sancho) e dos seus lacaios. Entre mentiras, atitudes duvidosas e crimes “invisíveis”, só a ação de um justiceiro como Zorro ameaça reverter um jogo feito.

No total, são 10 episódios de muita ação, romance e mistério, ao mesmo tempo que a personagem de Zorro se apresenta cada vez mais complexa. Mesmo sendo um herói, não é perfeito e, por vezes, as suas escolhas são bastante questionáveis. O que quererá Diego proteger acima de tudo: a sua reputação de cidadão ou a justiça pelos outros? É isso que vamos descobrir.

O elenco contra com nomes como Luis Tosar, Emiliano Zurita, Elia Galera, Chacha Huang, Fele Martínez, Joel Bosqued e Dalia Xiuhcoatl, entre outros. Trata-se de uma criação de Carlos Portela, que já colaborou em projetos como «Matalobos», «Velvet Colección» e «A Lei de Santos».

 

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.

Vais receber informação sobre
futuros passatempos.