Vertigem Mortal

VERTIGEM MORTAL

VERTIGEM MORTAL

«Vertigem Mortal» é uma daquelas obras que noutros tempos seria um sleeper hit, tivesse o filme a oportunidade de permanecer nas salas de cinema e deixar que os espectadores pudessem fazer o resto com o passar da palavra. «Vertigem Mortal» é um thriller arrepiante no desenvolvimento da história, captura das imagens e na inteligência do argumento. Becky perde o seu marido num acidente de escalada, ele mergulha para a morte perante os seus olhos. Passado um ano, a sua melhor amiga, Shiloh, que estava presente no local da queda, bate à porta de Becky que está ainda devastada com a perda e enterrada em álcool e comprimidos. O desafio é libertar a dor, não se deixar consumir pelo medo e ultrapassar a mágoa em jeito de tributo ao escalar uma antena de televisão com 600 metros de altura abandonada no meio do deserto… A trama complica-se quando Becky e Shiloh chegam ao topo da plataforma e as escadas que ligam aos últimos 200 metros da antena se desmoronam… Mas se pensam que a parada termina por aqui enganam-se, num metro quadrado de plataforma e a 600 metros do chão, os twists só estão prestes a começar. A realização (sem CGI, old school e com câmaras IMAX) pertenceu a Scott Mann que também co-escreveu o argumento com Jonathan Frank. O filme é sustentado por uma bateria de planos (alucinantes) de imagem e a energia estupenda de Grace Caroline Currey (Becky) e Virginia Gardner (Shiloh), elas fizeram os seus próprios stunts. O resultado é que passamos o filme todo a contorcer-nos no nosso assento. «Vertigem Mortal» passa para o espectador a constante sensação de pura ansiedade e adrenalina. Sentimos a altura, a envergadura da torre, a beleza, mas também todo o medo e a pressão destas personagens. É uma experiência inacreditável.

Título Original: Fall Realização: Scott Mann Elenco: Grace Caroline Currey, Virginia Gardner, Mason Gooding, Jeffrey Dean Morgan Duração: 107 min. EUA/Reino Unido, 2022

[Texto publicado originalmente na Revista Metropolis nº95, Junho 2023]