VELOCIDADE FURIOSA 9

VELOCIDADE FURIOSA 9

«Velocidade Furiosa 9» (VF9) marcou o aguardado regresso de Justin Lin à série. O realizador assinou, entre 2006 a 2013, quatro dos melhores filmes da saga e introduziu uma mão cheia de personagens que viriam a marcar o curso deste poderoso franchise dos estúdios Universal com duas décadas sempre a abrir e 5 mil milhões de dólares em carteira. Lin é um cineasta que soube sempre dosear o drama ligeiro e a borracha queimada com stunts sem precedentes.

O prólogo desenrola-se no passado distante numa pista NASCAR, uma cena que nos traz à memória «Dias de Tempestade» (1990) com Tom Cruise e Robert Duvall. Logo após o inesperado flashback o filme arranca a todo o gás para uma grande abertura rodada na Tailândia, um Indiana Jones sobre rodas, uma sequência incrível onde se atira tudo à parede e assinala a entrada em cena do antagonista Jakob Toretto (John Cena). É o mote para um filme que sabe que a sua principal função é entreter, emocionar e deslumbrar os fãs da série. É um parque de diversões num ecrã.

O prato principal de VF9 é a colisão operática entre Dominic e Jakob. Os irmãos Toretto seguiram diferentes caminhos e são forçados a lidar com um passado sinuoso. John Cena está à altura do desafio num papel menos polido de acção/reacção mas rancoroso e com o desejo de sair da sombra do mano mais velho. Vin Diesel surge numa espécie de pistoleiro retirado que deve voltar a empunhar as armas para lidar com o passado para garantir o legado futuro, está sempre melhor quando é pragmático e deixa os músculos falarem por si.

O argumento de VF9 pertenceu a Daniel Casey e Justin Lin que investem no sentimento da história ao viajarem ao passado antes de apresentarem o antagonista do filme. Esta trip nostálgica ocorre em vários momentos do enredo para relatar uma relação mal resolvida que culmina no grandioso desafio que os super-heróis da saga têm pela frente nesta aventura global.

Nos interlúdios de números alucinantes de acção (dentro e fora da estrada), onde se desafiam todas as leis da física, apresentam-se os vários dramas narrativos, não só o sentimento de traição e remorso mas igualmente de paternidade e irmandade, a relação entre irmãos de sangue e de armas, reaparições inesperadas e a redefinição da família. O elenco é mais reduzido mas sofreu com as ausências dos pesos-pesados e válvulas de humor Dwayne Johnson e Jason Statham.

Este filme em termos de acção está ainda mais próximo da série James Bond do que propriamente dos anteriores capítulos da saga Velocidade Furiosa, seja nos gadgets, veículos de sonho, cenários nos quatro cantos do mundo (Londres, Tóquio, Tblisi, Edimburgo) e supervilões. Abraçamos o que é implausível porque temos a noção que estamos no reino da fantasia e da diversão absolutamente louca. Os espectadores serão levados pela acção non stop com acelerações dos 0 aos 100 num piscar de olho com um drama familiar à mistura. Coloquem o cérebro em ponto morto, «Velocidade Furiosa 9» está aí para as curvas.

Título original: F9 Realização: Justin Lin Elenco: Vin Diesel, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Charlize Theron, John Cena, Tyrese Gibson. Duração: 143 min. EUA/Tailândia/Canadá, 2021