Uma Longa Viagem

UMA LONGA VIAGEM

UMA LONGA VIAGEM

É bem verdade que produções das mais diversas origens se têm empenhado em revisitar as memórias da Segunda Guerra Mundial, de algum modo libertando-as das regras mais tradicionais do “filme-de-guerra”. Para nos ficarmos por um exemplo de invulgar intensidade, lembremos um dos grandes filmes estreados em 2013 nas salas portuguesas: «Lore», de Cate Shortland, traçando o retrato dramático da desagregação de um família alemã nas semanas finais dos combates no continente europeu.

«Uma Longa Viagem» poderá inscrever-se em tal tendência, quanto mais não seja porque aborda uma situação — a construção de um caminho de ferro na Birmânia pelos soldados ingleses, prisioneiros do exército japonês — muito pouco tratada, mesmo nos exemplos mais “típicos” da tradição do género.

Aplicando uma curiosa matriz melodramática, o filme propõe um ziguezague temporal, tendo como centro um desses prisioneiros, Eric Lomax, mais precisamente a partir do seu casamento, alguns anos mais tarde. As memórias traumáticas do que aconteceu (incluindo situações de interrogatório sob tortura) vão começar a abalar o espaço conjugal, desencadeando uma série de “flashbacks” que nos ajudam a compreender a tragédia íntima do protagonista.

Algo funciona menos bem em tal vaivém temporal. E não creio que seja apenas, nem sobretudo, por causa da articulação relativamente convencional de passado e presente. Provavelmente, há alguma falta de adequação entre os dois actores — Jeremy Irvine e Colin Firth — que assumem a personagem de Eric nos dois tempos da narrativa.
Seja como for, o filme vale pela densidade da trajectória psicológica e moral de Eric e, no plano específico da representação, pelo discreto e admirável trabalho de Nicole Kidman: ela sabe expor o espanto, tecido de amor e pânico, que assalta a personagem de Patti Lomax quando começa a pressentir o segredo que o marido transporta. «Uma Longa Viagem» é mais um exemplo dos riscos de carreira que ela sabe correr.

Título original: The Railway Man Realização: Jonathan Teplitzky Elenco: Colin Firth, Nicole Kidman, Jeremy Irvine, Tanroh Ishida, Hiroyuki Sanada Duração: 116 min Austrália/Reino Unido, 2013

[Texto originalmente publicado na revista Metropolis nº18, Março 2014]