THE OUTSIDER

THE OUTSIDER

A MELHOR SÉRIE DO ANO… ATÉ AO MOMENTO

Apenas superado por autores clássicos, Stephen King é o autor vivo que soma mais adaptações em cinema e TV, pelo que é raro o ano em que o seu nome não é mencionado na lista de novas séries e filmes. Atendendo à tendência, é também inescapável uma certa apreensão de “mais-do-mesmo”: o que ainda poderemos descobrir de novo nas suas histórias e na forma como estas renascem no ecrã? «The Outsider», da HBO, é um dos casos que atira o nosso preconceito ao chão.

Uma das primeiras grandes apostas da HBO em 2020 é a minissérie «The Outsider», baseada na obra de Stephen King publicada em 2018. 

Com um elenco de luxo, estrelado pelo também produtor Ben Mendelsohn, a trama de «The Outsider» gira em torno do homicídio macabro de uma criança, cujo principal suspeito, Terry Maitland (Jason Bateman) – comprometido por diversas testemunhas e provas físicas –, se apresenta como inocente. Depois das certezas absolutas, chegam as dúvidas (com novas provas de Defesa) e o mistério vai-se adensando. Não tarda a criar-se uma vasta teia de intrigas e mistério, que culmina com a chama de uma THE OUTSIDER: A MELHOR SÉRIE DO ANO… ATÉ AO MOMENTO ajuda improvável: Holly Gibney, interpretada por Cynthia Erivo, que começou 2020 em beleza, com dupla nomeação nos Óscares (sem vitórias). A sua personagem peculiar, a lembrar a falta de jeito social de Sheldon Cooper (Jim Parsons, «The Big Bang Theory»), é uma ferramenta essencial para a resolução do problema.

O ritmo narrativo é intenso, com twists constantes a intensificarem as dúvidas relacionadas com um caso, à partida, bastante evidente. A realidade confunde-se com o sobrenatural e, como não podia deixar de ser, a narrativa segue o rumo habitual de mistério e terror (aqui suave) que marca as histórias assinadas por Stephen King. Já o argumento, muito fiel ao estilo mais literário, funciona de forma fluída, também graças à própria
obra precedente, bem estruturada e que vai dando ao espectador novas informações na dose certa. A combinação com a fotografia e realização é de luxo.

BEN MENDELSOHN, CYNTHIA ERIVO

Os dois primeiros episódios são, inclusivamente, realizados por Jason Bateman, que cada vez mais se afirma como uma figura a ter em conta atrás das câmaras. Embora bem-sucedido na representação, com um currículo infindável de blockbusters, os prémios são pouco frequentes, a
verdade é que em setembro levou o primeiro Emmy da carreira… como Melhor Realizador em Série Dramática, por «Ozark». É, aliás, um estilo muito próximo – até em termos de fotografia, mais escuro –, sendo que quatro episódios de «The Outsider» foram dirigidos por outro recorrente da mesma série: Andrew Bernstein.

Embora o ano apenas agora tenha começado, a série criada por Richard Price – também responsável por «The Night Of» – já se destaca entre as boas apostas do novo ano. Seja pela história que agarra o espectador, seja pela excecução exímia do universo de King em televisão, a verdade é que a série se revelou um sucesso narrativo. Combinando de forma quase perfeita a vertente de crime/mistério policial com o imaginário sobrenatural, «The Outsider» tem a capacidade de criar um universo suficientemente verosímil, que depois é extrapolado através da incrível personagem de Erivo.


 

Este artigo faz parte do nº 74 da Revista Metropolis

LER FLIP BOOK
DOWNLOAD PDF

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Artigos