Ted Lasso

Ted Lasso: De Todas as Cores que a Vida Tem

Ted Lasso: De Todas as Cores que a Vida Tem

A Metropolis já viu os primeiros oito episódios da temporada que estreia amanhã no Apple TV+. «Ted Lasso», uma das séries-sensação dos últimos anos, repete a proeza de agarrar a audiência do primeiro ao último minuto. Mas onde há luz também há escuridão…

Se, nos últimos 12 meses, nenhum amigo vos recomendou «Ted Lasso», mudem de amigos. A joia da coroa do streaming do Apple TV+, que conquistou o público, a crítica e 35 nomeações aos Emmys, é uma das séries a não perder no pequeno ecrã. Depois de uma primeira temporada contagiante e repleta de boa disposição, ainda que com alguns momentos menos luminosos, o regresso vem lembrar-nos porque gostámos tanto da primeira entrega e desvendar novas camadas na personalidade das personagens. Casais improváveis, indefinição profissional, surpresas inesperadas, corrupção e saúde mental: «Ted Lasso» é o carrossel de emoções que ninguém vai querer perder este verão. Ah, e com direito a episódio de Natal.

Ted Lasso

Quando, em 2013, fez o primeiro sketch de Ted Lasso para a NBC Sports, no âmbito da campanha do canal para promover a aquisição dos direitos de emissão da Premier League, Jason Sudeikis estaria longe de imaginar que chegaria aqui. Não só conseguiu colaborar na adaptação da ideia a série de TV, como o fez com um sucesso verdadeiramente estrondoso. Além disso, a narrativa criada em torno de Lasso – mais credível do que no sketch – atribui profundidade ao protagonista e àqueles que se vão cruzando com ele ao longo dos episódios, conquistando a audiência (sejam fãs de futebol ou não). Capitalizando essa capacidade, na nova temporada é ainda mais visível a partilha de atenções com outros intervenientes, que ocupam uma posição muito relevante na ação, como Rebecca (Hannah Waddingham), Roy Kent (Brett Goldstein) ou Nathan (Nick Mohammed).

Na segunda temporada, «Ted Lasso» acaba por colher os frutos de uma primeira season com elevado nível de qualidade e complexidade. A multiplicação de storylines acontece de forma natural, mas também a luz encontra o seu oposto e, na escuridão, a série da Apple TV+ propõe uma conversa alargada sobre saúde mental. Percebemos rapidamente o que nos aguarda com a inclusão de Sarah Niles como Sharon, uma psicóloga que começa a trabalhar no AFC Richmond; e, mesmo que inicialmente tal seja quase um acaso, a verdade é que se mostra muito importante com o avançar da história.

Tudo parece familiar, mas, ao mesmo tempo, tudo se transforma. Roy Kent vê-se forçado a terminar a carreira devido a uma lesão no joelho, enquanto Jamie Tartt (Phil Dunster) palmilha novos e imprevisíveis caminhos, depois de marcar o golo que atirou o AFC Richmond para a segunda liga inglesa. Para quem espera um épico triunfante de subida à principal divisão do futebol inglês, é preciso ter calma: o clube tem acumulado uma sucessão de empates e um azar com Dani Rojas (Cristo Fernández) complica ainda mais as contas do Championship. Mas já percebemos que «Ted Lasso» é muito mais que futebol: e, ainda que como Dani diz o futebol seja “vida”, a vida é maior do que isso, e compreende muitas outras coisas.

Caminhem para a nova incursão de «Ted Lasso» confiantes e sem medo. A série protagonizada por Jason Sudeikis nasceu para ser vencedora, mesmo que isso não se repita em campo. E, como em equipa que ganha não se mexe, todos os fan favorites estão de regresso para, de uma forma ou outra, completarem o naipe. À boa maneira antiga, vejam e espalhem a palavra: Ted Lasso está de volta!

Esta série foi criada e desenvolvida para TV por Jason Sudeikis, Bill Lawrence, Brendan Hunt (o braço-direito Beard) e Joe Kelly. Além dos atores já mencionados, o elenco conta com Juno Temple, Jeremy Swift, Stephen Manas, Moe Jeudy-Lamour, Toheeb Jimoh, Billy Harris, Kola Bokinni, James Lance e Annette Badland, entre muitos outros.