Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis – antevisão

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis – antevisão

As artes marciais chegam finalmente em toda a sua plenitude ao Universo Cinematográfico da Marvel (UCM) e, pela primeira vez, ganha protagonismo um herói asiático. «Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis» traz-nos um poderoso mestre de Kung Fu que surgiu na banda-desenhada em 1973, tendo sido criado por Steve Englehart e Jim Starlin. Na altura, a Marvel procurava responder à grande popularidade das artes marciais nos EUA, sobretudo através da figura de Bruce Lee. O lendário Stan Lee ainda tentou desenvolver um filme sobre o personagem na década de 1980, com Brandon Lee como protagonista, mas o projeto nunca chegou a ver a luz do dia.

O novo herói do UCM está posicionado como um das grandes figuras no próximo firmamento dos filmes da Fase 4 da Marvel. «Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis» tem um elenco maioritariamente asiático, como Awkwafina, Michelle Yeoh e Florian Munteanu, além do próprio realizador Destin Daniel Cretton. “Ao crescer, não tive um super herói que se parecesse comigo e é realmente excitante dar a uma nova geração algo que eu não tinha. Não podia estar mais entusiasmado”, assinala Cretton.

O protagonista é Simu Liu, ator de origem chinesa e canadiana, que há muito demonstrou o desejo de interpretar um super-herói. Tanto que publicou um tweet, em 2014, a dizer isso mesmo. Para sua surpresa, foi convidado a fazer uma audição e acabou por ser o escolhido para dar vida a Shang-Chi. “O mais entusiasmante de interpretar este personagem é que a sua história nunca tinha sido contada antes”, afirma. “A história de Shang-Chi é muito desconhecida para a maior parte do mundo, por isso tivemos muita liberdade criativa para a criar da forma que queríamos”, revela.

Depois de «Black Panther» (2018) e «Capitão Marvel» (2019), «Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis» é mais um esforço da Marvel para uma maior diversidade nas suas produções, tal como irá acontecer com «Eternos». Tendo em conta que Shang-Chi é mestre de diferentes artes marciais, Cretton foi buscar várias inspirações para captar da melhor forma as cenas de luta, passando por «O Tigre e o Dragão» (2000) e os filmes de Jackie Chan.