rec

[REC]

[REC]

[Texto originalmente no site Cinema2000, 10 de Abril 2008]

«[REC]» é sinónimo de terror em estado puro. Com um conceito similar ao «O Projecto Blair Witch» e que tem vindo a ser recuperado nos últimos tempos em «Nome de Código: Cloverfield» e brevemente* em «Diário dos Mortos» [2008] do mestre George Romero. Esta produção espanhola apela à intimidade e interacção entre o objecto filmado e o espectador, como se este fosse parte integrante da acção, a perspectiva dos acontecimentos fazem-se de câmara ao ombro, os resultados assumem-se como uma experiência de realidade virtual onde se confunde as necessidades do espectador com as do personagem.

Não há muito a dizer de «[REC]», com uma duração de apenas uma hora e dez minutos faz mais estragos do que a várias sequelas de terror combinadas, o registo é todo criado para projectar o horror genuíno. O objecto está dividido em duas partes distintas e são fiéis ao melhor dos valores de produção do cinema espanhol. Na sua vertente de sátira com algumas reminiscências de «La Comunidad» de 2000, visionamos um retrato dos habitantes de um prédio em Barcelona à beira da histeria colectiva com as suas intrigas de vizinhança, a desconfiança, os casos e o mal-estar generalizado que vêm ao de cima após um estranho acontecimento que obrigam o edifício a ser isolado. À excepção do início, no quartel de bombeiros alvo de uma reportagem, o filme vai se desenrolar inteiramente neste prédio que assume funções de sarcófago. Quando a introspecção dá lugar ao horror são as crianças e as velhinhas as mais assustadoras, o realizador Jaume Balagueró assume-se como um perito na transfiguração de criaturas inocentes, estas representam sempre o lado mais acutilante da desgraça. Por sinal nas alturas de maior adrenalina recebemos doses de humor fora de tempo, com auxílio dos punhos ou da marreta que aligeiram a intensidade dos eventos. Finalmente a crítica existencial que encontramos em algumas obras de terror e que muitas das vezes elevam-nas para outros patamares em «[REC]» são demasiado subtis para não dizer inexistentes. Duas relações curiosas entre a zombificação generalizada e a igreja, que transforma zombies em conspirações religiosas, e com a voracidade da equipa de reportagem à procura da melhor história a todo o custo apesar de existir sempre no enredo o papel dos media como os depositários de toda à verdade. Com interpretações que requisitam apenas o pavor, o maior feito da realização é mesmo a proximidade da acção, os sustos estão garantidos. Um registo parco de meios e premissa simples paradoxalmente são factores exemplificativos da eficácia do registo, Balagueró embora com o auxilio do co-realizador Paco Plaza, consegue obter através deste objecto o seu melhor filme até à data como realizador ou produtor, quem sabe um indicador de dias menos assombrados para a sua carreira de cineasta.

Título original: [Rec] Realização: Jaume Balagueró, Paco Plaza Elenco: Manuela Velasco, Ferran Terraza, Jorge-Yamam Serrano Duração: 78 min. Espanha, 2007