O Vencedor

O Vencedor: a história de um derrotado

O Vencedor: a história de um derrotado

As séries eslovacas e checas têm conquistado, aos poucos, o seu espaço no mercado português. Agora, é a vez do streaming Sky Showtime estrear «O Vencedor», uma comédia sobre um Primeiro-Ministro em declínio.

Na sequência de um escândalo, Viktor Hudak (Vladimír Hajdu), o Primeiro-Ministro de um pequeno país europeu, ficcional, é afastado do poder e substituído no cargo. Como “castigo”, Viktor tem de voltar a uma vida comum, que desconhece e na qual não se sente confortável, ao mesmo tempo que tenta amealhar apoio para recuperar, com maior ou menor exposição, o poder que ainda julga merecer. Enquanto o novo PM aplica medidas que fazem as suas cair por terra, o ex-líder não olha a meios para garantir que todos percebem que o sucessor está errado.

O Vencedor

Para juntar à sua falta de noção profissional, Viktor também está longe de ser um marido ou um pai exemplar. Praticamente um estranho no que à dinâmica familiar diz respeito, Viktor mostra uma total incapacidade para executar tarefas básicas do quotidiano ou perceber o que se passa na vida da mulher e das filhas. Longe do papel estereotipado de personagens deste tipo de séries, Sasa (Ivana Chýlková) desempenha um importante papel no hospital, mas, mesmo assim, vê-se interrompida por chamadas do marido que exige que ocupe o seu papel de esposa. O facto de não ceder é visto como uma autêntica ofensa… mas oferece momentos bastante cómicos.

O humor de «O Vencedor» é simples e direto, mas também muito inteligente. Além de um ácido comentário social aos meandros da vida política, e às suas aparências, a série aborda as expetativas em relação ao papel da mulher e ao esforço (ou falta dele) dos mais novos. O que pode prejudicar o êxito de alguém que, em teoria, tinha tudo para vencer na vida? De que forma a dedicação ao país, de forma mais ou menos correta, afeta uma família inteira? Ainda que a “brincar”, a trama tem a capacidade de sinalizar questões importantes e de questionar a audiência, enquanto a diverte.

Curiosamente, o argumento é da autoria de Peter Nagy e Zuzana Dzurindová, filha do ex-Primeiro-Ministro da Eslováquia (1998-2006) Mikuláš Dzurinda. Anunciada em 2021 como a primeira série eslovaca da HBO, acabaria por não avançar no streaming e ir parar ao catálogo da Sky Showtime.

 

https://www.youtube.com/watch?v=9e4KGWaV75w