Metropolis 106

Metropolis 106

Esta edição da revista METROPOLIS chega aos leitores enquanto decorre o 77º Festival de Cannes, oferecendo grande visibilidade ao cinema português. É algo que já tinha sucedido em anos anteriores, mas nesta edição há maior número de filmes e todos os selecionados integram as secções competitivas. «Grand Tour» de Miguel Gomes surge entre os 22 candidatos à Palma de Ouro, algo que não sucedia com um filme nacional desde há 18 anos; a longa-metragem «A Savana e a Montanha», de Paulo Carneiro, integra a seleção da Quinzena dos Cineastas; quatro curtas-metragens surgem selecionadas nas três secções principais do festival: «Mau por Um Momento», de Daniel Soares, (competição oficial), «As Minhas Sensações São Tudo o que Tenho Para Oferecer», de Isadora Neves Marques (Semana da Crítica), «Quando a Terra Foge», de Frederico Lobo, e «O Jardim em Movimento», de Inês Lima (Quinzena dos Cineastas).

O festival procura corresponder às melhores expectativas e repetir o impacto positivo deixado no ano passado com a estreia de diversos filmes que foram bem acolhidos pelo público e premiados internacionalmente, como sucedeu com «Anatomia de Uma Queda», de Justine Triet, que registou excelentes resultados depois de ter conquistado a Palma de Ouro.

Podemos depositar a esperança de encontrar essa energia nos novos filmes de Jacques Audiard, David Cronenberg, Andrea Arnold, Sean Baker, Miguel Gomes, Yorgos Lanthimos ou Ali Abbasi, e na visão cinemática de três veteranos em produções mais dispendiosas, como «Megalopolis», de Francis Ford Coppola, a nova epopeia do velho oeste filmada por Kevin Costner, e um novo capítulo da saga «Mad Max», de George Miller. Comecemos por aí, porque «Furiosa», a personagem desta revista, já pode ser conhecida nos cinemas.

TIAGO ALVES

Artigos recentes