Page 6 - Revista Metropolis nº 68
P. 6

PLANOS DO MÊS                                                    TIAGO ALVES














































           25 MARÇO                           29 MARÇO                           30 MARÇO
           NOITE DE «RAIVA» NOS               AGNÈS VARDA (1928 – 2019)          «A PORTUGUESA» TRIUNFA EM
           PRÉMIOS SOPHIA                                                        CANNES
                                              Nascida na Bélgica, refugiada com
           O filme «Raiva», de Sérgio Tréfaut,   a família na costa mediterrânica   O júri do 19.º Festival Internacional
           conquistou o Prémio Sophia         francesa a partir de 1940, Agnès   de Cinema de Las Palmas de Gran
           de melhor filme, da Academia       Varda, destacou-se como realizadora,   Canária, Espanha, entregou o prémio
           Portuguesa de Cinema, A longa-     fotógrafa, argumentista, atriz e artista   “Lady Harimaguada” de ouro ao filme
           metragem que adapta o romance      plástica. Ganhou notoriedade a partir   “A Portuguesa”, de Rita Azevedo
           «Seara de Vento», de Manuel da     da sua primeira longa-metragem,    Gomes. O júri destacou o “rigor,
           Fonseca, num retrato da exploração   «La Pointe-courte» (1955), filme que   lucidez e sensibilidade da autora
           do trabalho e de injustiça social,   inaugura a Nova Vaga, o movimento   para fazer conviver o classicismo
           arrecadou seis prémios – melhor atriz   francês que rompeu com regras e   com a modernidade numa crónica
           principal (Isabel Ruth), melhor ator   moldes no cinema. A sua segunda   histórica.” «A Portuguesa» é uma
           principal (Hugo Bentes), melhor ator   obra de grande fôlego, «Cléo de 5   adaptação da obra de Robert Musi,
           secundário (Adriano Luz), e melhor   à 7 - Duas Horas na Vida de Uma   com diálogos de Agustina Bessa-Luís
           fotografia (Acácio de Almeida) e   Mulher» (1962) foi selecionada para o   e música de José Mário Branco.
           melhor argumento (Sérgio Tréfaut   Festival de Cannes. Frequentemente
           e Fátima Ribeiro). «Parque Mayer»,   inspirada pelos acontecimentos
           de António-Pedro Vasconcelos, era   e emoções da sua própria vida,
           o mais nomeado em 15 categorias    dedicou-se ao cinema documental.
           e recebeu os prémios de melhor     Foi nomeada, em 2017, para os Oscars
           maquilhagem e cabelos (Abigail     com «Olhares/Lugares», e consagrada
           Machado e Mário Leal), guarda-roupa   com um Óscar de carreira. A cineasta
           (Maria Gonzaga), e realização.     foi a primeira mulher a receber uma
                                              Palma de Ouro honorária no Festival
                                              de Cannes, em 2015. A sua derradeira
                                              obra, «Varda par Agnès» estreou em
                                              fevereiro, no festival de Berlim. Agnès
                                              Varda morreu com 90 anos.
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11