FOGE, COELHO, FOGE

FOGE, COELHO, FOGE

«Foge, Coelho, Foge» é protagonizado pela australiana Sarah Snook que ganhou aclamação global pelo seu protagonismo em «Sucession». O filme estreou em Sundance, é um regresso às origens para Sarah Snook num thriller dramático de terror desenrolado na paisagem australiana onde a memória se cruza e se perde no espaço. Sarah (Sarah Snook) é uma mãe recentemente divorciada que vive com a pequena filha Mia (Lily LaTorre). A morte do pai de Sarah aflora memórias esquecidas e a chegada de um misterioso coelho branco à porta da residência é um mau prenúncio. O coelho é visto como um símbolo de inocência, mas também, no caso da Austrália, de maldição/praga. Mia começa a ter um comportamento errático ao aflorar memórias do passado que não poderia conhecer. A trama torna-se mais profunda e sempre com o terror à espreita, com acontecimentos perturbadores em torno de Mia e as visões de Sarah que começam a levantar o mistério em torno do desaparecimento da sua irmã. A realização de Daina Reid doseia muito bem o drama e o terror e coloca-nos com o coração nas mãos até à revelação final. Daina Reid realizou muitas séries de televisão onde se destaca a participação em dois excelentes projectos que combinam perfeitamente o lado psicológico e o terror como «The Outsider» e «The Handmaid’s Tale». Destaque para o excelente argumento de estreia da romancista Hannah Kent na profundidade destes personagens e a história que cruza com perspicácia géneros e emoções. Sarah Snook tem uma forte presença em ecrã, é uma actriz que interioriza e expressa no olhar os sentimentos. «Foge, Coelho, Foge» consegue ser uma boa história dramática em torno de uma tragédia que volta para atormentar e ajustar contas com o presente.

Título original: Run Rabbit Run Realização: Daina Reid Elenco: Sarah Snook, Lily LaTorre, Greta Scacchi, Damon Herriman Duração: 100 min. Austrália, 2023

[Texto publicado originalmente na Revista Metropolis nº103, Fevereiro 2024]