Fear the Walking Dead

Fear the Walking Dead Regressa com um BANG!

Fear the Walking Dead Regressa com um BANG!

Depois de um interregno, «Fear the Walking Dead» está de regresso à antena do AMC Portugal com duplo episódio esta segunda-feira, a partir das 22h10. Preparem-se para uma reviravolta com estrondo: no final, não restará pedra sobre pedra.

O intervalo fora do ecrã, sem episódios desde novembro, também se sente na ação de «Fear the Walking Dead». Morgan (Lennie James) e Dakota (Zoe Margaret Colletti) acabam separados de Alicia (Alycia Debnam-Carey) e Charlie (Alexa Nisenson), contando, ainda assim, com a ajuda de um velho conhecido. A atravessar uma das fases mais negras da sua vida, John Dorie (Garret Dillahunt) prova que continua a ser uma mais-valia na luta contra os walkers, e pode também ser um trunfo no confronto com Virginia (Colby Minifie). Mesmo que não seja essa a sua vontade.

Fear the Walking Dead
Lennie James as Morgan Jones – Fear the Walking Dead _ Season 6, Episode 11 – Photo Credit: Ryan Green/AMC

Não obstante, já sabemos que no universo de «The Walking Dead» não há “favas contadas”, e as surpresas estão à espreita a todo o momento. Sem revelar o que nos espera do outro lado de “The Door”, para não estragar o efeito surpresa, há que destacar que estamos perante um episódio impactante e totalmente destrutivo, possivelmente um dos mais fortes não só de «Fear the Walking Dead», mas também de toda a saga. O episódio 8 marca o tom da segunda metade da sexta temporada, pelo que não se avizinha uma jornada tranquila.

Como num jogo de xadrez, é preciso perceber onde se encontram as peças. Alicia está com Dwight (Austin Amelio) e companhia, no paraíso prometido de Morgan, enquanto June (Jenna Elfman) é a improvável companheira de viagem de Virginia. Todos se preparam para uma luta inevitável, onde Morgan se prepara para assumir todo o protagonismo. Será ele ou herói incompreendido, ou um iludido que não olha a meios para atingir os fins? Para Sherry (Christine Evangelista), a resposta é simples: “és tão mau como ela”, afirma, comparando-o com Virginia e a sua visão distorcida da realidade ideal.

O choque entre os objetivos coletivos e pessoais de cada personagem atinge também o seu auge, com o melhor e pior de cada uma a vir ao de cima. O egoísmo, a chantagem e os jogos de poder vieram para ficar.

A interpretação é a chave de um argumento bem conseguido e coerente, que, de forma estruturada, consegue organizar a ação rumo ao seu clímax. O elenco de «Fear the Walking Dead» é uma das suas grandes forças, e esta dupla de episódios não é exceção. Equilibrado com cenas de ação equilibradas, incisivas e também emotivas, o leque de protagonistas volta a provar que é na capacidade de empatia com a audiência que encontra a força para ser mais do que uma “série de zombies”. É uma série sobre família e amizade, onde os walkers atuam também como uma forte crítica social. À boleia de muito sangue e lutas épicas, pois claro.

A partir de segunda-feira, 3, «Fear the Walking Dead» volta a ter um episódio por semana no AMC Portugal.