«Bullet Train: Comboio Bala» é um filme delirante com doses absurdas de acção, Brad Pitt e David Leitch. O resultado final é explosivo, uma fita cheia de ritmo, humor, diálogos e stunts mirabolantes. Não percam este comboio!

Os espectadores com mais bagagem vão notar no filme semelhanças com outros registos do género. É perfeitamente normal no mundo do cinema encontrarmos lugares-comuns, diria, na maioria dos filmes – o próprio Tarantino é acusado de reinventar géneros. Ao longo da sua carreira como realizador, David Leitch habituou-nos a um discurso próprio de autor, dentro de um género específico, no modo como conduz a palavra e a acção. A partir de «Deadpool 2», David Leitch também introduziu o humor aliado a uma acção mais hardcore, se preferirem, explícita, mas sempre com o intuito de entreter. Os seus primeiros dois filmes, «John Wick» (feito a meias com Chad Stahelski) e «Atomic Blonde – Agente Especial», com a sua torrente de acção estilizada e girl power de Charlize Theron, foram casos para serem levados mais a sério na dinâmica dramática da trama e dos seus personagens. Em «Bullet Train – Comboio Bala» acontece o oposto dramático, a palavra de ordem é a diversão na conjugação de vários elementos que marcaram a carreira de David Leitch como realizador e especialista de stunts. O filme possui uma energia contagiante na forma como expõe a narrativa com acção em tempo real e flashbacks que contextualizam os personagens e as situações onde eles se encontram. E ninguém se perde nesta viagem de sentido único rumo ao entretenimento. O génio artístico é de tal forma inventivo que até mesmo uma garrafa de água tem direito a flashback narrativo! Este dispositivo permitiu ao filme ser rápido e ágil em todas as curvas e contracurvas do seu percurso narrativo. A história é aparentemente simples, mas o argumento Zak Olkewicz (baseado no livro de Kôtarô Isaka) e a acção frenética de David Leitch tornaram a viagem ainda mais deliciosa com vários twists à mistura. Os personagens são um grupo genial de cromos de primeira água e com pancadas para todos os gostos! Brad Pitt lidera um ensemble muito bem escolhido e o actor vai conectar todas as peças soltas e fá-lo de uma forma natural e convincente num registo que estamos pouco habituados a vê-lo. Joaninha (Brad Pitt) é um especialista em golpes e roubos que também é o homem mais azarado do mundo. Joaninha tem como missão recuperar uma pasta com dinheiro no interior de um comboio bala… o problema é que ele descobre que no comboio seguem também uma catrefada de assassinos e psicopatas com diferentes propósitos. E todos se vão cruzar com o nosso “herói” que gostava de resolver tudo através do diálogo, mas o destino é normalmente mais forte do que a vontade… As sequências de acção com Brad Pitt são dignas do melhor de Buster Keaton e sobretudo dos malabarismos de Jackie Chan. A violência é como um artifício visual que pende sempre mais para o riso do que propriamente a intenção do choque frontal com o espectador. A sequência final é totalmente over the top, mas por essa altura o comboio já está completamente desgovernado e apenas nos deixamos ir na pura insanidade do momento. Ninguém irá ao engano para este filme e ninguém sairá defraudado. Vale a pena saltar a bordo de «Bullet Train: Comboio Bala», um must do Verão 2022!

Título original: Bullet Train Realização: David Leitch Elenco: Brad Pitt, Joey King, Aaron Taylor-Johnson, Brian Tyree Henry, Andrew Koji, Hiroyuki Sanada, Michael Shannon, Sandra Bullock, Bad Bunny, Zazie Beetz Duração: 126 min. EUA/Japão, 2022

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.

Vais receber informação sobre
futuros passatempos.