Monstra

21.ª edição da MONSTRA arranca amanhã

21.ª edição da MONSTRA arranca amanhã

A 21.ª edição da MONSTRA arranca amanhã com a antestreia nacional do filme japonês “Belle”. Mais de 400 filmes, exposições, masterclasses e uma app de realidade aumentada compõem a programação dos 12 dias que reforçam a vitalidade do mais importante festival de animação de Lisboa.

Via comunicado

Até 27 de março, contam-se 473 filmes de enorme variedade estética, técnica, narrativa e dramatúrgica, com destaque para uma homenagem à Bulgária e uma retrospetiva de películas produzidas no leste da Europa, e que mostram como o cinema de animação é, como explica o diretor artístico Fernando Galrito, “uma arte fabulosa para transmitir ideias e pensamentos, e fundamental para os dias de hoje e para o futuro”.

Monstra

Com sessões que acontecem no Cinema São Jorge, Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, Cinemateca Júnior e Cinema City Alvalade, a MONSTRA alarga-se ao Museu da Marioneta, à Sociedade Nacional de Belas Artes e Galeria Santa Maria Maior para apresentar um naipe imperdível de exposições. Este ano, o festival convida ainda à criatividade e à imaginação ao acrescentar MONSTRAS E MONSTRINHAS ao espaço visível, criando cenários adicionais, através da nova app de realidade aumentada A Minha MONSTRA, que nasceu de uma parceria com a tecnológica Unloop. – link

A 16 de março, “Belle”, do conceituado realizador de animação japonês Mamoru Hosoda, é exibido em antestreia nacional na tela da Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, quando baterem as 19h30. Numa era sublinhada pelo crescimento exponencial das formas digitais de comunicação e socialização, esta obra muito atual levanta questões da realidade e identidade humanas. “Belle” é um exemplo de como a MONSTRA pode ser um espaço de reflexão sobre o mundo em que vivemos.

Outro filme que comprova essa característica do festival é “Flee – A Fuga” (“Flee”), do dinamarquês Jonas Poher Rasmussen, que, no dia seguinte, protagoniza a cerimónia oficial de abertura da MONSTRA. No Cinema City Alvalade, o documentário de animação, que está nomeado em quatro categorias para os Annie Awards e em três para os Óscares de 2022, relata, na primeira pessoa, a história da extraordinária jornada de Amin – uma criança refugiada afegã na Dinamarca. Antes de ingressar no circuito das salas de cinema nacionais, marca presença na MONSTRA através da secção DokAnim.

Na sexta-feira, dia 18, o festival presta tributo aos 50 anos de “O Gato Fritz” (“Fritz the Cat”), a estreia de Ralph Bakshi, que se tornou a primeira longa de animação adulta nos EUA a receber a classificação X. No Cinema City Alvalade, o filme integra a secção dedicada ao cinema sensual Triple X.

Já o fim de semana, no sábado, traz a grande estreia mundial de “Dito Suavemente” (“To Put It Mildly”), do realizador e artista multifacetado Anri Koulev, um homem que atravessa várias gerações de cineastas e que estará presente na MONSTRA. A obra que Koulev vem revelar a Portugal é elaborada na técnica de 3D e é um dos 80 filmes que fazem parte de uma retrospetiva que mergulha na história centenária da animação da Bulgária, dos grandes mestres aos autores da nova geração. A importante homenagem ao país convidado de honra deste ano é impulsionada pela celebração dos 75 anos da criação do departamento de animação no então Instituto Nacional de Cinematografia Búlgara.

Também neste sábado e domingo, a MONSTRINHA, que todos os anos, e sempre aos fins de semana, inclui uma programação para escolas e outra dirigida às famílias (onde se destacam as sessões Pais e Filhos), invade os ecrãs das salas de cinema. Além do Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade e Cinemateca Júnior, este programa estende-se ao Museu Nacional Etnologia, Centro Cultural de Carnide e Casa das Artes de Sines. Para os mais novos, o dia 20 oferece ainda dois filmes aniversariantes, na secção Históricos: “Bambi” (80 anos) e “O Livro da Selva” (“The Jungle Book”) (55 anos), ambos no Cinema City Alvalade.

Até quarta-feira, dia 23, passa pelo festival o singular filme-concerto que viaja pelo nascimento da animação no final do século XIX e início do século XX, com obras dos dois pioneiros mais importantes do cinema francês: Émile Reynaud, que, em 1892, criou as primeiras pantominas animadas, três anos antes dos irmãos Lumière, e Émile Cohl, autor de “Fantasmagorie”, um dos primeiros filmes de desenho animado que se conhecem, com acompanhamento ao vivo pelo pianista francês Jacques Cambra (dia 21, na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema); a Competição de Curtas-metragens, cujo programa é caracterizado por uma grande variedade de ideias, mensagens, estéticas, propostas artísticas e técnicas de animação, da ficção ao documentário, do filme narrativo ao experimental (a segunda sessão da Competição é no dia 22, no Cinema São Jorge); e a exibição de “A Travessia” (“La Traversée”), a primeira longa-metragem de Florence Miailhe, a realizadora francesa especialista em animação de pintura sobre vidro (dia 23, no Cinema São Jorge).

A não perder também, durante a MONSTRA, as exposições “Do Outro Lado da Câmara, Os Demónios do Meu Avô”, com os cenários e marionetas originais do filme “Os Demónios do Meu Avô” (a primeira longa-metragem nacional em stop motion), de Nuno Beato, no Museu da Marioneta; “Desenhos de Animação”, que reúne trabalhos gráficos da artista inglesa Joanna Quinn (este ano, mais uma vez, nomeada para o Óscar de Melhor Curta-metragem de Animação com o filme “Um Caso de Arte” (“Affairs of the Art”), que integra a Competição de Curtas-metragens do festival) e do realizador Anri Koulev, e uma coleção dos 10 anos do estúdio de animação nacional BAP, na Sociedade Nacional de Belas Artes; e a homenagem aos 30 anos da Animanostra, uma das mais antigas e importantes produtoras de cinema de animação em Portugal, na Galeria Santa Maria Maior.

Nas palavras de Fernando Galrito, “a arte continua a ser o elo de forte ligação entre os seres humanos”. “Por isso mesmo, que bom é estar de regresso com um extenso e equilibrado programa com centenas de autores, concretizado com o apoio de mais quatro dezenas de países.”

O Festival de Animação de Lisboa continua até domingo, 27 de março, dia em que apresenta três sessões dos filmes premiados pelos júris das diferentes competições do festival e cujos galardoados são conhecidos no sábado anterior. Até lá, a programação encontra-se disponível no site e na app do festival.

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Artigos