Flee A Fuga

1º Aniversário Casa do Cinema de Coimbra

1º Aniversário Casa do Cinema de Coimbra

A Casa do Cinema de Coimbra está prestes a completar o seu primeiro aniversário e promete celebrá-lo numa semana com uma programação muito especial.

Neste primeiro ano de atividade tão desafiante e atípico, a Casa do Cinema de Coimbra prepara-se para contar mais de 10 mil espectadores em mais de 350 sessões. Nesse conjunto olhamos com atenção para o Cinema Português – contemporâneo e patrimonial – e para os seus congêneres francófonos, aglo-saxónicos e brasileiros, projetando-se ficções, animações e documentários. Houve ainda espaço para a XXVII edição do nosso Festival Caminhos do Cinema Português, bem como extensões de outros festivais.

Quisemos marcar o aniversário da nossa com esse registo da diversidade, propondo um programa para um público diverso. E assim surgiu a oportunidade de entre os dias 9 e 14 de maio, recebemos os filmes nomeados ao LUX – Prémio do Público do Parlamento Europeu, o programa cultural da Queima das Fitas de Coimbra com um cine-concerto e um ciclo dedicado a Emir Kusturica, antestreias de “Deserto Particular” e “Olga”, exibições do ciclo “Cem Anos de Pasolini” e ainda as exibições dos filmes argentinos Azor e “A Flor”, bem como a longa-metragem de animação “À Procura de Anne Frank”.

É um programa desafiante e estimulante onde queremos marcar encontro com todos os cinéfilos da região e sobretudo agradecer à massa associativa que apoia esta atividade intensa. Assim os associados das três associações residentes terão acesso às 16 projeções de aniversário por 2€ por sessão.

segunda 9 MAIO

18:30 — “Flee – A Fuga” de Jonas P. Rasmussen (LUX – Prémio do Público do PE) ENTRADA LIVRE
Amin Nawabi (pseudónimo), um académico de sucesso com 36 anos de idade, debate-se com um doloroso segredo que manteve escondido durante 20 anos, um segredo que ameaça pôr em causa a vida que construiu para si próprio e para aquele que, em breve, será seu marido. Amin conta, pela primeira vez, a história da sua extraordinária viagem como criança refugiada do Afeganistão ao realizador Jonas Poher Rasmussen, seu amigo próximo e colega de liceu, recorrendo sobretudo à animação para proteger a sua identidade.

21:30 — “Reunião” de Fran Kranz
Jay e Gail Perry estão de luto pelo seu filho, morto num tiroteio na escola. Richard e Linda lidam com o peso da culpa enquanto pais do aluno agressor. Seis anos depois da tragédia, os casais encontram-se e revisitam os trágicos acontecimentos. “Reunião” é a primeira longa-metragem de Fran Kranz, focada nos tiroteios das escolas norte-americanas.

terça 10 MAIO

18:30 — “Great Freedom” de Sebastian Meise (LUX – Prémio do Público do PE) ENTRADA LIVRE
Na Alemanha do pós-guerra, Hans é repetidamente preso por ser homossexual. O seu desejo de liberdade é frustrado de forma sistemática ao ser considerado culpado de infringir o artigo 175.º do Código Penal alemão. A única relação estável na sua vida passa a ser o seu companheiro de cela de longa data, Viktor, um assassino condenado. O que começa como um sentimento de repulsa transforma-se progressivamente em amor.

21:30 — Cine-concerto “Mulheres da Beira” com Jorri, Luís Pedro Madeira e Sérgio Costa (Programa Cultural da Queima das Fitas de Coimbra)
O Caminhos do Cinema Português lançou aos músicos Jorri, Luís Pedro Madeira e Sérgio Costa, o desafio de criar um cine-concerto do filme “Mulheres da Beira”, realizado pelo italiano Rino Lupo. Os três multi-instrumentistas, com percursos estabelecidos em bandas como Azembla’s Quartet, a Jigsaw, Belle Chase Hotel, Pensão Flor, Quinteto Tati e The Millions, irão criar, em tempo real, a banda sonora desta película centenária, recentemente restaurada e editada em DVD pela Cinemateca Portuguesa.
Sinopse: “Arouca. O trágico devaneio de Aninhas, uma jovem e bela camponesa que, por por sonhos de riqueza e um fascínio amoroso, repele o afeto arrebatado de André, um rústico contemplativo. A volúvel Aninhas deixa-se enredar na funesta teia de sedução do Fidalgo da Mó que, uma vez entediado e com nova amante, acaba por desprezá-la…”

quarta 11 MAIO

15:00 — “O Peso Insuportável de Um Enorme Talento” de Tom Gormican
Após tanto sucesso no mundo cinematográfico, nos dourados anos 90, Nicolas Cage sente que a sua carreira está a afundar-se. Agora, o seu maior sonho é conseguir o papel no próximo filme de Quentin Tarantino, acabar com a terrível dívida financeira e reconciliar-se com a sua filha. Mas acaba por conhecer um fã bilionário mexicano que quer contratá-lo para um projeto. Cage descobre que o homem é o cabecilha de um cartel de droga e vai ser recrutado pela CIA para capturar esse traficante.

18:30 — “Quo Vadis, Aida?” de Jasmila Žbanić (LUX – Prémio do Público do PE) ENTRADA LIVRE
Bósnia-Herzegovina, 11 de julho de 1995. Aida trabalha como tradutora para as Nações Unidas na pequena cidade de Srebrenica. Quando o exército sérvio ocupa a cidade, a sua família está entre os milhares de civis em busca de proteção no campo das Nações Unidas. Estando por dentro das negociações, Aida tem acesso a informações cruciais que precisa de interpretar. Que destino aguarda a sua família e as pessoas – o salvamento ou a morte? O que deve ela fazer?

21:30 — “Os Contos de Canterbury” de Pier Paolo Pasolini (“Cem Anos de Pasolini”)
Os Contos de Canterbury é baseado nos poemas eróticos de Geoffrey Chaucer do século XIV. Mergulhando com prazer em algumas das mais perversas e lascivas histórias, Pasolini celebra de forma ardente quase toda a forma imaginável do acto sexual com um humor rico, rude e visualmente mágico. Para completar, Pasolini faz uma magnífica representação do inferno com claras influências da pintura de Hieronymus Bosch.

quinta 12 MAIO

15:00 — “À Procura de Anne Frank” de Ari Folman
Acompanhamos a jornada de Kitty, amiga imaginária para quem Anne Frank dedica o seu diário. Uma adolescente impetuosa, Kitty acorda na casa de Anne Frank em Amsterdã num futuro próximo. Acreditando que ela ainda está viva na Europa de hoje em dia, Kitty passa a procurá-la enquanto estranha a modernidade do mundo e se depara com o legado de Anne. Ao mesmo tempo comovente e inspirador, a animação contém uma pitada de romance, uma grande aventura e uma série de reflexões sérias sobre atrocidades do passado e do presente. Além disso, Kitty faz amizade com uma jovem refugiada cuja família está prestes a ser deportada para um país natal onde o perigo espera.

18:00 — Parte 8 de “A Flor” de Mariano Llinás
La Flor é um complexo narrativo composto por seis episódios independentes e sucessivos. O ponto de união entre eles é que em cada um e nessas histórias atuam as mesmas quatro atrizes: Pilar Gamboa, Elisa Carricajo, Laura Paredes e Valeria Correa. O universo dessas ficções é radicalmente diferente de um episódio para o outro e essa diferença extrema é premeditada. Também as personagens que as quatro atrizes representam em cada uma essa diversidade. Pilar Gamboa pode ser feiticeira no primeiro, uma cantora pop no segundo, uma espiã muda no terceiro, ela mesma no quarto, um personagem secundário quase invisível no quinto, antes de reaparecer como um prisioneiro que escapa dos vagões cobertos dos Pampas selvagens do Século 19 no sexto. O mesmo se aplica às outras atrizes. Cada uma salta de um universo fictício para outro, como num baile de máscaras.

21:30 — “Gato Preto, Gato Branco” de Emir Kusturica (“Ciclo Emir Kusturica”)
Adaptado de um romance dos anos 30, da autoria do escritor russo Isaac Babel, “Gato Preto, Gato Branco” conta a história de um grupo de ciganos que habitam à beira do Danúbio. Matko, o Cigano, vive de pequenos negócios escuros com os russos. O seu primeiro grande trabalho é desviar um comboio que transporta gasolina de Belgrado com destino à Turquia. Para conseguir montar a operação pede dinheiro a Dadan, o padrinho da comunidade, que vive rodeado por um harém. Mas o assalto corre mal e agora Matko não tem dinheiro para pagar a Dadan. A solução é aceitar o casamento entre o seu filho Zare e a intratável irmã do padrinho. Mas Zare está apaixonado por Ida, uma jovem cigana que tem por passatempo disparar sobre as embarcações das pessoas que vivem à beira do rio.

sexta 13 MAIO

15:00 — “Azor: Nem Uma Palavra” de Andreas Fontana
Argentina, 1980. O banqueiro Yvan chega de Genebra para substituir um colega que desapareceu misteriosamente em Buenos Aires em plena ditadura militar. Vivendo em uma sociedade sob vigilância, ele se vê em meio a uma teia sinistra de colonialismo, altas finanças e a “Guerra Suja” de uma nação.

18:00 — “À Procura de Anne Frank” de Ari Folman

21:30 — Estreia de “Olga” de Elie Grappe
Uma jovem ginasta de 15 anos, de nacionalidade ucraniana mas exilada na Suíça, trabalha para garantir o seu lugar no Centro Nacional de Desporto do país. Quando a revolta Euromaidan eclode na Ucrânia e a sua mãe é espancada e detida pelas autoridades, o coração e a razão de Olga dividem-se entre o amor e a conquista do sonho de uma vida.

sábado 14 MAIO

15:00 — “Mamma Roma” de Pier Paolo Pasolini (Ciclo “Cem Anos de Pasolini”)
Um retrato neo-realista de martírio maternal que marca uma transição na filmografia inicial do subversivo Pasolini. Segundo filme de Pasolini, com argumento original da sua autoria e uma das primeiras obras do cineasta a retratar os marginais da sociedade italiana. A partir da história melodramática de uma prostituta de Roma que tenta dar uma vida digna ao seu filho, Pasolini constrói um filme com uma extraordinária dimensão poética e social, coroado por uma das mais exímias performances de Anna Magnani.

18:00 — Antestreia de “Deserto Particular” de Aly Muritiba
Daniel é um polícia exemplar, mas acaba por cometer um erro que coloca a sua carreira em risco. Sem observar um horizonte em Curitiba, parte numa jornada à procura de Sara, a mulher com quem ele se relaciona virtualmente e por quem está apaixonado. Este encontro irá transformá-lo inteiramente e irá mudar o seu próprio destino.

21:30 — “À Procura de Anne Frank” de Ari Folman

Acompanhe a agenda aqui.

Bilhetes Pontuais:
Normal — 5€
Reduzidos — 4€
Entre 9 e 14 de Maio: Sócios da CCP, CEC e FILA K — 2€

Passes 10 Sessões:
Normal — 30€
Reduzido — 25€

A Casa do Cinema de Coimbra abre a sua bilheteira 30 minutos antes de cada sessão e situa-se no piso 0 das Galerias Avenida na Av. Sá da Bandeira.

Fonte: Casa do Cinema de Coimbra