logo

Entrar
Actualizado às 9:45 PM, Sep 22, 2019

«Pen15»: esta comédia é um assunto sério

A mais recente aposta do TV Séries é uma ‘falsa’ comédia, bem diferente daquilo a que estamos habituados.

Tudo em «PEN15» roça o ridículo – mas não necessariamente no mau sentido. A série é da autoria de Maya Erskine, Anna Konkle e Sam Zvibleman, com as duas primeiras a protagonizarem esta trama da Hulu, que estreou recentemente no canal TV Séries. Até aqui tudo bem, não fosse esta uma série sobre alunos do 7º ano... protagonizada por duas atrizes na casa dos 30. É certo que não é a primeira vez que atores mais velhos se fazem passar por estudantes de liceu, veja-se o que acontecia em «Glee» ou «Morangos com Açúcar», mas ter duas adultas no meio de um elenco juvenil acaba por tornar a diferença demasiado evidente.

Esta decisão não agradará certamente a todos, sobretudo quando a dupla objetifica os rapazes da turma, algo próprio da adolescência; mas, se formos pragmáticos, são duas mulheres adultas a ‘babar’ por jovens com metade da sua idade. Algo que, não sendo objetivamente errado, porque são desabafos para já inconsequentes, não deixa de provocar algum ‘desconforto’.

Constrói-se como uma comédia-caricatura, é certo, muito apoiada no exagero da ação, mas «PEN15» é uma série que quer colocar a audiência a falar sobre assuntos muito sérios. Já vimos muitas séries sobre bullying, mas poucas terão a audácia de ir até onde esta série vai.

pen15 2

Maya e Anna – as personagens partilham o nome com as atrizes – são duas adolescentes à procura do primeiro amor. Perante o início de um novo ano letivo, ambas estão entusiasmadas e apostadas em passar pelos momentos mais marcantes desta fase juntas. Entre os arrufos próprios entre adolescentes, por vezes mais extremados, tudo parece decorrer com a normalidade esperada, até Maya ser considerada pelos pares a miúda mais feia da escola. Esta premiação cruel, histórica no estabelecimento de ensino e que leva ao bullying coletivo, revela uma atitude brutal mas também honesta. O argumento está organizado de uma forma tão consistente, goste-se ou não da opção pelas protagonistas, que o primeiro episódio é um verdadeiro murro no estômago do espectador. E o bullying é um problema em camadas, onde a empatia com a vítima ‘embate’, por vezes, nas suas escolhas.

«PEN15» não é uma série para toda a gente. E não há problema nenhum nisso. As opções de estilo dos criadores são duvidosas, demasiado arriscadas, e parte da audiência ficará pelo caminho logo aí. No entanto, quem ficar depois desse choque inicial, prepara-se para algo maior do que a ficção ou a comédia aparente. Esta não é uma caricatura que apenas faz rir, fácil e de reações imediatas e efémeras. A mensagem passa e fica connosco, não apenas durante o episódio, mas também depois. O exagero é descabido a espaços, mas tem um fundo de verdade inescapável, que dirá muito certamente a pais e encarregados de educação, por vezes desconhecedores da realidade mais cruel das escolas.

  • Publicado em TV

Mosaic: a alegoria de Steven Soderbergh sobre a solidão

«Mosaic», a série realizada por Soderbergh e estrelada por Sharon Stone, estreia no TVSéries esta madrugada, à 1h. A METROPOLIS teve acesso em primeira mão à nova aposta da HBO e diz-lhe o que pode esperar.

“A utopia está lá no horizonte. Aproximo-me dois passos, ela afasta-se dois passos. (...) Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar”, escreveu o uruguaio Eduardo Galeano. O seu motto sintetiza parte da ambição narrativa de «Mosaic», a nova aposta do TVSéries, que obriga as suas personagens a movimentarem-se sempre para algum lado; em busca de algo nem sempre percetível. Esta não é uma série sobre um crime, é um thriller sufocante que inclui e ‘rodeia’ um crime, mas que vai muito para além dele. E nos força também, enquanto espectadores, a acompanhar esta viagem. No final, percebemos que tudo não passou de uma distração (e das boas!).

Todos os envolvidos deixam parte de si na ‘tela’, a fim de construir este “Mosaico”, onde as cores e as formas vão encaixando episódio após episódio, até surgir uma imagem nítida. Com uma realização cinematográfica, e dentro do estilo sombrio a que Steven Soderbergh nos habituou, a minissérie marca ainda o regresso do argumentista Ed Solomon («MIB – Homens de Negro», «Os Anjos de Charlie», «Mestres da Ilusão») à televisão, onde já não parava desde 1992. Sharon Stone surge em força e dá ao ar da sua graça com uma personagem que acaba por ser uma caricatura de si própria: uma mulher perto dos 60 anos, bem-sucedida, mas sem estabilidade (pública) na vida pessoal. (Ironicamente, foi noticiado há dias que a atriz teria um relacionamento com um jovem desconhecido...)

mosaic 4

Quanto à história, Olivia Lake (Sharon Stone) é uma autora apostada em causas humanitárias, nomeadamente no apoio a crianças por via da arte. Mas quando caminha nas sombras, quase impercetível, é uma figura solitária que procura ser correspondida. Como tal, é vulgar interessar-se e desinteressar-se pelos homens que passam na sua vida, indo facilmente do 8 ao 80, mas também do 80 para o 8. A intensidade que emprega à sua vida social é acompanhada por diálogos bem estruturados, consolidação de personalidades e, sobretudo, por ações/reações (até silenciosas) fitadas pela câmara. Como um “Mosaico”, os acontecimentos vão-se sucedendo e, com isso, também os problemas: Michael O'Connor (James Ransone) quer comprar o terreno onde Olivia está, o artista em dificuldades Joel Hurley (Garrett Hedlund) não corresponde ao interesse e Eric Neill (Frederick Weller) é uma fraude. A narrativa aproxima-se do seu auge logo no segundo episódio, quando Olivia desaparece (provavelmente assassinada). Quem foi o/a responsável?

A banda sonora é o ingrediente extra que alia tudo o resto, num constante ambiente de tensão e mistério, habitado pelas personagens que, tendencialmente, até exageram as suas reações. É uma montagem quase teatral, onde a câmara viaja, sem pudor, nas costas das personagens, ou com perspetivas que contrariam o estilo dito padrão. No entanto, é incontestável que o ingrediente-chave deste enredo é Soderbergh e a sua lente, pelo que é uma série que dá resposta a um nicho e não necessariamente ao público em geral. Sobretudo pelo desaparecimento progressivo do mistério, que passa várias vezes para segundo plano, permitindo assim o crescimento das personagens. Quem está à procura de uma série quase policial, pura e dura, vai ter, provavelmente, as suas expetativas goradas. A verdade é que «Mosaic» tem todos os ingredientes de uma série do género, mas raramente recorre a eles sem um objetivo próprio.

mosaic 3

Assim como a utopia para a qual se caminha na batalha da (auto)concretização, também a narrativa de «Mosaic» explora os contornos dúbios da vitória sobre a solidão. É um diálogo humano de Soderbergh e Solomon com o seu público, feito numa sucessão de imagens escuras, tons agudos e frases capazes de nos derrotarem. No fundo, é uma análise diferente ao modo como as nossas escolhas, e depois as nossas ações, têm sérias implicações no futuro e ganham, assim, a capacidade de construir ou destruir o “Mosaico” que é a vida. Destaque ainda para o elenco de luxo, que conta com nomes como Jennifer Ferrin, Beau Bridges, Paul Reubens, Allison Tolman e Michael Cerveris. No entanto, a estrela é sem dúvida Sharon Stone, poderosa e segura de si, que é capaz de ‘roubar’ todas as cenas em que entra.

«Mosaic» surpreende ainda com a aposta numa aplicação, disponível para IOS e Android, que permite ao espectador escolher o seu caminho ao longo da história. Além disso, também é possível optar por perspetivas diferentes, das diversas personagens, e detetar novas pistas, a fim de criar a própria versão do mistério (https://www.hbo.com/mosaic).

  • Publicado em TV

TV Cine – Destaques Metropolis da semana de 10-14 janeiro

Com o chegar do final da semana, é tempo de preparar a agenda e encontrar tempo para se deixar encantar pela história de três mulheres negras que fizeram História e que poucos souberam; é tempo de se divertir com o homem-morcego de Gotham City em versão Lego; é tempo de celebrar algumas das grandes obras de um dos melhores realizadores do seu tempo; é tempo de acompanhar a estreia mundial de duas séries que chegam para uma segunda temporada. É, sobretudo, tempo de relaxar e deixar-se inspirar pelo mundo da sétima arte.

Elementos Secretos | TVCine 1 | 12 de janeiro | 21h30
Quando os americanos tentavam investir no espaço, em 1961 um grupo de mulheres negras assumiu um papel crucial para o sucesso da missão, embora até hoje poucos lhe tivessem dado o devido mérito. Numa sociedade conservadora, machista e racista, foi graças às matemáticas e engenheiras Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer, que recebeu uma nomeação ao Óscar e Globo de Ouro de Melhor Atriz Secundária) e Mary Jackson (Janelle Monáe) que John Glenn (Glen Powell) foi até ao espaço. Primeira longa-metragem de Theodore Melfi, «Elementos Secretos» é inspirado em factos verídicos e esteve nomeado para Óscar de Melhor Filme e Melhor Argumento Adaptado (além do de Melhor Atriz Secundária). Esta é uma excelente oportunidade para ver as grandes atuações de Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Kevin Costner, e conhecer uma história chocante, mas ao mesmo tempo terna e inspiradora, de uma realidade injusta. A estreia acontece a 12 de janeiro, sexta-feira, às 21h30, no TVCine 1.

departed

Especial Martin Scorsese | TVCine 2 | 14 janeiro | 12h25
Nomeado oito vezes para o Óscar de Melhor Realizador, Martin Scorsese é um dos mais importantes, interventivos e respeitados realizadores de Hollywood. De todas essas nomeações, levou a estatueta dourada para casa com o «The Departed – Entre Inimigos». Mas não é apenas na cerimónia mais aguardada de Hollywood que o realizador tem brilhado. Scorsese conta com centenas de prémios, entre eles Globos de Ouro, BAFTAs, Palma de Ouro, Melhor Realizador em Cannes e o Leão de Prata do Festival de Veneza, para além de Emmys. Com 50 anos de carreira no mundo da sétima arte, o cineasta de origem italiana procurou, sobretudo, retratar pessoas, vidas, momentos históricos e memórias culturais, sempre muito influenciado pelo papel da igreja também. «Uma Discussão com 50 anos», sobre a história e a influência da provocadora publicação The New York Review of Books; «Quem Bate à Minha Porta?», com Harvey Keitel e Zina Bethune; «Alice Já Não Mora Aqui, sobre uma viúva com um filho menor que decide ir à procura de uma vida melhor; «Nova Iorque Fora de Horas», no qual Paul (Griffin Dunne) tem a pior noite da sua vida ao visitar uma mulher no SOHO depois de a ter conhecido num café; o vencedor de 4 Óscares, «The Departed – Entre Inimigos»; «Tudo Bons Rapazes», sobre o 'gangster' Henry Hill desde os tempos da sua adolescência nas ruas de Nova Iorque até à sua terrível ascensão ao poder e consequente queda nos anos setenta; e finalmente, «Silêncio», sobre a perseguição aos cristãos, no Japão do séc. XVII, são os filmes que vai poder ver neste dia dedicado ao mestre Scorsese, a 14 de janeiro, a partir das 12h25, no TVCine 2.

Lego Batman: O Filme | TVCine1 | 14 de janeiro | 12h30 e 21h30
Se achou irresistível o primeiro filme, «O Filme Lego», não vai querer perder a oportunidade de ver mais uma história cheia de ação e momentos hilariantes com super-heróis em peças de Lego. Desta vez, o homem-morcego descobre que vai ter que começar a trabalhar com a ajuda de alguém e é então que Batman (voz de Will Arnett/Pedro Bargado), o super-herói solitário vai ter que aprender a jogar em equipa (nomeadamente com o novato Robin – voz de Michael Cera/André Raimundo), para vencer o rival de sempre, Joker (voz de Zach Galifianakis/Luís Franco-Bastos). «Lego Batman: O Filme», de Chris McKay, estreia-se em televisão a 14 de janeiro, domingo, às 12h30, na versão portuguesa, e às 21h30 para a versão original, no TVCine 1.

Crashing T2 | TVSeries |14 de janeiro | 22:00
«Crashing» está de volta para a 2ª temporada e Pete (Pete Holmes) é já uma lenda no que toca a dormir nos sofás dos outros, visto que o passa-palavra entre os artistas de stand-up corre depressa. Pete trabalha agora numa pizzaria, está a tentar encontrar um novo amor e continua desastrado, como já é habitual. O seu grande sonho continua a ser fazer do stand-up a sua vida e aventuras e novas questões é o que não vai faltar nesta segunda temporada. «Crashing» T2, da HBO, faz a sua grande estreia mundial na madrugada de 14 de janeiro, de domingo para segunda-feira, às 3h30, no TVSéries, com exibição em horário nobre às quintas-feiras às 22h.

Divorce T2 | TVSéries | 14 de janeiro | 22h30
Agora que Frances (Sarah Jessica Parker) e Robert (Thomas Haden Church) estão finalmente separados e divorciados os dois vão ter de aprender a refazer as suas vidas e cada um deverá seguir o seu caminho. Frances vai descobrir as maravilhas do Tinder e a dificuldade que é colocar um prego na parede, enquanto Robert resolve tentar o sucesso entre outras mulheres depois de ter dito adeus ao farfalhudo bigode. A segunda temporada de «Divorce» T2, da HBO, tem estreia mundial no dia 14 de janeiro, de domingo para segunda-feira, às 3h, no TVSéries, com exibição em horário nobre às quintas-feiras às 22h30.

  • Publicado em TV

Destaques TV Cine – 20 a 27 de novembro

Começamos na comédia romântica para corações que não escolhem idade, recuamos no tempo da história do cinema e das grandes divas que eclipsavam a audiência com a sua beleza e mergulhamos no mundo erótico entre uma secretária e um magnata bilionário, adepto de sadomasoquismo. Depois, entramos pela História da América, durante os anos da Lei Seca e nas consequências de uma guerra do Vietname, com a qual nem todos concordaram. A lista é variada e o tempo mais frio convida a umas noites de comunhão com o sofá e uma bebida quente.

 

Olá, o Meu Nome é Doris |TVCine 3 | 22 de novembro | 22:30
O realizador da comédia mais recente «Amor de Improviso», Michael Showalter, apresenta outra história de amor que faz a sua estreia nacional em televisão. «O Meu Nome é Doris» oferece a Sally Field a oportunidade de nos fazer rir com a sua Doris, uma sexagenária para quem o amor não tem idade. Quando conhece John (Max Greenfield), no seu local de trabalho, e depois da morte da sua mãe e de estar a viver novamente sozinha, Doris acredita em algo que vai para além do que seria de esperar numa relação entre uma mulher de 60 anos e um homem na casa dos 20. Muito carente de afeto e de companhia, Doris ingressa numa verdadeira aventura para dar resposta ao seu coração. Com uma incrível dose de humor, muita cor e o talento de Sally Field, «O Meu Nome é Doris» tem os ingredientes todos para lhe proporcionar um serão bem divertido no dia 22 de novembro, quarta-feira, às 22h30, no TVCine 3.


Gene Tierny
Clássicos: Gene Tierney | TVCine 2| 23 de novembro | 22:00
Prosseguindo o ciclo Clássicos: Gene Tierney, no dia 23 estreia o filme assinado por Jules Dassin, «Foragidos da Noite», que nos leva até Londres, em 1950, onde conhecemos um homem que vive de enganar os outros com os seus esquemas e fraudes. Mas a vida não vai permitir-lhe que seja sempre assim e há um dia que as coisas não correm como planeado. Protagonizado por Richard Widmark, este é um dos filmes liderados pela beldade nova-iorquina Gene Tierney que, com os seus olhos claros e cabelos escuros, deslumbrava colegas e grande público. Gene Tierney era filha de boas famílias, foi educada em bons colégios e uma verdadeira diva do cinema. Mas na vida real, apesar de casos com famosos como John F. Kennedy, Tyrone Power e o Príncipe Aly Khan, de uma nomeação para Óscar («Amar Foi a Minha Perdição») e detentora de uma estrela no passeio da fama, a tendência para a depressão levou, por vezes, a melhor. «Foragidos da Noite» é a oportunidade de constatar o seu talento e é também o último filme ciclo Clássicos: Gene Tierney, quinta-feira, às 22h, no TVCine 2.

 

As Cinquenta Sombras Mais Negras |TVCine 1 | 24 de novembro | 21:30
Depois do grande sucesso de bilheteiras que foi «As Cinquenta Sombras de Grey», a história de bela Anastasia e do milionário Christian Grey está de volta. Desta vez, ambos estão separados, mas Christian (Jamie Dornan) não consegue esquecer Anastasia (Dakota Johnson) e, como menino rico que é, não há nada que não faça para a recuperar. O acordo é então “sem regras” e só assim o casal consegue encontrar uma base para recomeçar onde ficara antes. Mas os sonhos não vão ser tão cor-de-rosa como esperado, até porque existem pessoas que não aceitam essa situação. É o caso de Elena Lincoln (Kim Basinger), a sua antiga dominadora, e de Leila (Bella Heathcote), uma ex-submissa. Do lado de Anastasia, também o seu ex-chefe, Jack Hyde (Eric Johnson) procura satisfações sobre o desprezo de Anastasia. Realizado, desta vez, por James Foley, que fechará também a trilogia com o próximo «As Cinquenta Sombras Livre», o segundo filme da saga levanta claras questões para o final da mesma e oferece aos mais apologistas desta relação a possibilidade de um amor de sonho que tem um preço alto a pagar. «As Cinquenta Sombras Mais Negras» fazem a sua grande estreia em televisão, no dia 24 de novembro, sexta-feira, às 21h30, no TVCine 1.

Uma Historia Americana

Uma História Americana | TVCine 1 | 25 novembro | 21:30
Realizado e protagonizado por Ewan McGregor, esta é a história de Seymour ‘Swede’ Levov, um antigo atleta de topo no desporto universitário, casado com a rainha da beleza local, Dawn Dwyer (Jennifer Connelly), e um homem bem-sucedido na fábrica que era do seu pai. Quando nasce a filha do casal, Meredith ‘Merry’ Levov (Dakota Fanning), a vida parece ficar ainda mais perfeita, mas com a passagem dos anos e o contexto sociopolítico da América a mudar – Guerra do Vietname – o espírito revolucionário de Meredith insurge-se e toda a família sofre com isso. Com «Uma História Americana», Ewan McGregor estreia-se na realização adaptando o livro de Philip Roth, vencedor do prémio Pulitzer, e chamando para protagonistas duas atrizes de peso: Jennifer Connelly e Dakota Fanning. A estreia em televisão acontece no dia 25 de novembro, às 21h30, no TVCine 1.

Viver na Noite |TVCine 1 | 26 de novembro | 21:30
Estamos nos Estados Unidos, nas décadas de 1920 e 1930, quando foi imposta a Lei Seca. O mundo do contrabando tornou-se um negócio de milhões e as ruas passaram a ser dominadas por várias fações de gangues. Mergulhado no crime está Joe Coughlin (Ben Affleck), que foi para a I Guerra Mundial “como soldado e regressou como um fora-da-lei”. Filho de um conhecido chefe da polícia de Boston, Joe Coughlin, acredita que tem a sua vida e negócios sob controlo mas o excesso de confiança, neste mundo, também pode ser perigoso. «Viver na Noite» foi escrito, realizado e protagonizado por Ben Affleck e conta com a participação de atores de renome, como Zoe Saldana, Sienna Miller, Brendan Gleeson, Chris Cooper ou Elle Fanning. A sessão no pequeno ecrã é domingo, às 21h30, no TVCine 1.


  • Publicado em TV

TVCine - Destaques Metropolis

Viajamos no tempo com documentários portugueses, revemos histórias animadas com monstros e belas e um final feliz, entramos no tráfico de drogas e corrupção da cidade de Las Vegas e terminamos agarrados ao sofá num dia em que o terror chega à televisão. Com medo ou sem medo, não faltam motivos para um excelente Halloween.

Documentários Portugueses: Balaou | TVCine 2 | 24 de outubro | 22:00
Os documentários serão sempre uma excelente ferramenta de aprendizagem e de conhecimento. A pensar na importância dos mesmos, a TVCine 2 transmite, entre outubro e novembro, diversas obras assinadas por realizadores portugueses e brasileiros. Com trabalhos de Cláudia Varejão, Gonçalo Tocha, Salomé Lamas, Júlio Adler e Catarina Mourão, o ciclo passa esta terça-feira, dia 24, o documentário «Balaou», realizado por Gonçalo Tocha, em 2007. Igualmente rodado nos Açores, local de eleição do realizador - «É na Terra não é na Lua», em 2011, na ilha do Pico – «Balou» é protagonizado pelo veleiro Balaou, pertencente ao casal francês Florence e o Beru, que todos os anos atravessa o Atlântico. É a bordo do barco que Gonçalo Tocha vai aprender a aceitar o esquecimento das coisas e a dimensão finita da vida. «Balou» é o primeiro documentário do realizador Gonçalo Tocha e passa dia 24 de outubro, às 22 horas, no canal TVCine 2.

 

A Bela e o Monstro | TVCine 1 | 27 de outubro | 21:30
O clássico da Disney ganhou vida e, em 2016, foi um dos filmes mais acarinhados pelo grande público. Com a participação de atores reais – Emma Watson e Dan Stevens – o filme é realizado por Bill Condon, igualmente responsável pelos filmes da saga «Twilight – Amanhecer», «Dreamgirls» ou «Relatório Kinsey». Nesta versão, a história é similar ao original de animação da Disney, contando como Bela (Emma Watson) vai resgatar o seu pai (Kevin Kline) das mãos do Monstro (Dan Stevens). Entrando no castelo do Monstro, acaba por conhecê-lo melhor e apaixonar-se, enquanto tenta escapar das insistências do fanfarrão Gaston (Luke Evans), assistido pelo seu criado Le Fou (Josh Gad). É neste espaço enfeitiçado que conhece os peculiares habitantes: o Candelabro (voz de Ewan McGregor), o Relógio (voz de Ian McKellen) e o Bule (Emma Thompson), que não se envergonham de mostrar as suas capacidades falantes. Bela vai ficar a par da maldição que se abateu sobre o Monstro e sobre todos os seus novos amigos, estando nas suas mãos vencer o feitiço. «A Bela e o Monstro» estreia em televisão no dia 27 de outubro, sexta-feira, às 21h30, e em versão original, mas também poderá vê-lo no sábado, 28 de outubro, às 7h25, na versão portuguesa. A estreia é no TVCine 1.

Nos Limites da Lei | TVCine 1 |29 de outubro | 21:30
Las Vegas é um núcleo criminal e de tráfico de droga, mas é também uma cidade cheia de polícias corruptos. Não parece ser esse o caso dos agentes Vincent Downs (Jamie Foxx) e Sean Cass (T.I.) que continuam a trabalhar a favor da lei. O seu mais recente trabalho é o desvio de um carregamento de cocaína destinado aos senhores da máfia Stanley Rubino (Dermot Mulroney) e Rob Novak (Scoot McNairy) e depois do trabalho feito, a droga apreendida fica na sua posse. Como mafiosos, Rubino e Novak não se deixam ficar e decidem atacar a área mais vulnerável de Vincent, a família. Depois de raptarem o seu filho, Vincent é obrigado a olhar para o caso com outros olhos e é aí que a sua missão se complica, pois também do lado da lei vai encontrar resistência, na pessoa da investigadora Jennifer Bryant (Michelle Monaghan). Assinado pelo realizador suíço Baran bo Odar, e inspirado no original «Nuit Blanche», de Frederic Jardin, «Nos Limites da Lei» tem estreia televisiva 29 de outubro, domingo, às 21h30, no TVCine 1.

Clássicos: Billy Wilder – Testemunha de Acusação | TVCine 2 |26 de outubro | às 22:00
Billy Wilder foi um dos poucos realizadores que conseguiu vencer os Óscares de Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Argumento com o mesmo filme, em 1960. Tratava-se de «O Apartamento, com Jack Lemmon e Shirley MacLaine. Nascido em 1906 no antigo Império Austro-Húngaro, com origem judia, Samuel Wilder (mais tarde Billy) tinha planos para ser advogado, mas quis a vida que enveredasse pelo jornalismo em Viena, tendo oportunidade de entrevistar personalidades como Freud e Strauss. Foi depois intérprete do músico de jazz Paul Whiteman e, mais tarde, regressou ao jornalismo no maior tabloide de Berlim. Começou, então, a escrever argumentos e só o Holocausto lhe travou a ascensão nesta área. Emigrou para Paris e mais tarde para os Estados Unidos, onde conseguiu ir subindo degrau a degrau na escada de Hollywood. Neste ciclo dedicado ao realizador com uma carreira de mais de 50 anos, «Testemunha de Acusação», de 1957, é o filme exibido a 26 de outubro, quinta-feira, às 22h, no TVCine 2. Nomeado para seis estatuetas douradas e baseado no romance de Agatha Christie, trata-se da adaptação de um dos textos míticos da carismática escritora de policiais sobre o julgamento de um homem acusado de assassinato. Um filme com Tyrone Power, Marlene Dietrich e Charles Laughton.

Terror no Espaço | TVCine 4 | 29 de outubro | a partir das 19:55
No mês mais aterrorizador do ano, que culmina com o Dia das Bruxas, os Canais TVCine & Séries vão ser invadidos por uma programação recheada de bruxas, mortos vivos, demónios, fantasmas, extraterrestres com sede de matar e humanos possuídos por entidades malignas. No dia 29 de outubro, domingo, no TVCine 4, às 19h55, a tripla Terror no Espaço começa com «Dante 01 Prisão Espacial», realizado em 2001 por Marc Caro, que nos leva até a uma nave onde são feitas experiências médicas com prisioneiros ou condenados. Um dia surge uma cobaia diferente das outras, possuída por demónios depois de um encontro com uma força extraterrestre, e tudo se altera. Segue-se «Supernova» (2000), de Thomas Lee, às 21h15, em que tudo corria bem com a missão da nave Nightingale 229, até que a tripulação respondeu a um pedido de socorro e resgatou um sobrevivente que vai revelar-se tenebroso. A Tripla Terror no Espaço termina com «O Enigma do Horizonte», de Paul W. S. Anderson, às 23h, sobre a nave Event Horizon, que em 2047 reaparece misteriosamente depois de sete anos sem rasto.

 

 

  • Publicado em TV

Destaques TVCine – Sugestões Metropolis 4 de Setembro

Nos últimos cartuchos do verão, chegam aos canais TVCine obras que deram que falar recentemente. Bastante mistério e reviravoltas nas narrativas são a chave, seja em thrillers assumidos ou em comédias e retratos sociológicos, naquelas que são as sugestões desta semana da METROPOLIS.

A Rapariga no Comboio | TVCine 1 | 8 de setembro | 21h30
Um thriller cheio de mistério, «A Rapariga no Comboio» foca-se na história de Rachel Watson (Emily Blunt), uma jovem recém-divorciada que lida com o problema do alcoolismo e que, todos os dias, passa na mesma estação de comboio e observa as rotinas de um casal, Scott (Luke Evans) e Megan Hipwell (Haley Bennett). Contudo, um dia Megan desaparece e Rachel parece ser a chave para a resolução do enigma.
Tate Taylor realiza esta obra baseada no best-seller escrito por Paula Hawkins, um filme que valeu a Emily Blunt as nomeações na categoria de Melhor Atriz Principal para os prémios BAFTA e do Sindicato dos Atores.

I Vendedor

O Vendedor | TVCine 2 | 9 de setembro | 22h
O realizador iraniano Asghar Farhadi volta a impressionar com mais um retrato da sociedade iraniana. «O Vendedor» mostra um jovem casal que é obrigado a mudar-se de casa em Teerão, em que o novo lar tem como anterior inquilina uma prostituta, cujos antigos hábitos irão ter uma forte influência na vida atual do casal.
«O Vendedor» recebeu o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, tendo também sido reconhecido no Festival de Cannes, com os Prémios de Melhor Argumento e Melhor Ator, entregue ao protagonista Shahab Hosseini.

As Armas de Jane | TVCine 1 | 9 de setembro | 21h30
Um western impetuoso e com algum mistério à mistura, «As Armas de Jane», realizado por Gavin O’Connor, passa-se no século XIX, nos desertos da zona Oeste dos Estados Unidos da América. Jane Hammond (Natalie Portman) refugia-se nesse local com o seu marido, Bill (Noah Emmerich), até que a sua casa e família são ameaçadas pelo gangue de John Bishop (Ewan McGregor). Sem saída, Jane tem de recorrer a Dan Frost (Joel Edgerton), uma relação do passado, e, claro, às suas próprias armas.

 cafe 4

Café Society | TVCine 1 | 10 de setembro | 21h30
Num dos melhores filmes de Woody Allen dos últimos anos, «Café Society» passa-se na Hollywood dos anos 1930, a época de ouro do cinema. Bobby Dorfman (Jesse Eisenberg), um jovem de Nova Iorque, procura afirmar-se na costa do Pacífico, tendo a ajuda do seu tio Phil (Steve Carell), um agente de estrelas muito famoso. É aí que Bobby conhece Vonnie (Kristen Stewart), a assistente de Phil, pela qual logo se apaixona, sem saber que tem uma relação secreta com o seu tio.
«Café Society» é uma comédia envolvente e inesperada, cheia de pequenos twists, não fosse este um filme do inventivo cineasta norte-americano Woody Allen.

  • Publicado em TV

Destaques TVCine – 28 agosto a 3 setembro

Antes de regressar ao trabalho ou à escola, tire um tempo para ver bom cinema na televisão. Esta semana, grandes atores e filmes inéditos vão preencher a agenda. Entre uma família unida de forma cómica pela tragédia, lições de condução que mudam vidas, experiências no mundo dos loucos, um contabilista brilhante e insociável, um concurso de talentos com porcos, gorilas e ratos, e uma crítica ao sistema, não faltam sugestões para prolongar as férias.

 

Hollars 2 

Os Hollars | TVCine 3 | 28 de agosto | 22:30
Integrado nas onze grandes estreias em Portugal, a exibição do filme «Os Hollars» acontece esta segunda-feira, às 22h30, no TVCine 3. A segunda longa-metragem do ator John Krasinski é uma comédia familiar que tem por base o caso clínico da matriarca, Sally (Margo Martindale), que sofre de um tumor no cérebro que tem que ser operado logo que possível. Apesar de ser uma cirurgia de risco, Sally não perde o bom humor e a sua condição física acaba por proporcionar uma reunião de família. Os problemas pessoais e as questões que sempre inquietaram os restantes membros vêm ao de cima e os laços de parentesco são postos à prova. Tudo isto regado com um humor mordaz e na mão de um elenco de luxo: Richard Jenkins, Anna Kendrick, Sharlto Copley e Charlie Day, para além do próprio realizador. A não perder!

Learning To Drive Stills 5

Aprender a Conduzir| TVCine 3 | 29 de agosto | 22:30
A realizadora de «A Minha Vida sem Mim» e «A Vida Secreta das Palavras», Isabel Coixet, está ao comando de «Aprender a Conduzir», uma história baseada em factos verídicos e que está plena de esperança e inspiração. Exibido a 29 de agosto, às 22h30, no TVCine 3, «Aprender a Conduzir» traz Wendy (Patricia Clarkson) como uma editora de livros de sucesso que é trocada por uma jovem pelo marido Ted (Jake Weber). Depois de tantos anos de casamento, Sally vai ter de lidar com a ausência do homem que amava e que era também o seu companheiro e “motorista”. Assim, e depois da separação, conduzir é uma das coisas que vai ter de aprender a fazer e é neste contexto que surge o indiano Darwan (Ben Kingsley), instrutor particular de condução, que vai acabar por ensinar-lhe algo muito mais valioso e importante do que guiar um carro. Dois grandes atores e uma realizadora sensível cozinham este pote de emoções para si.

Eliza


Eliza Graves - A Experiência | TVCine 3 | 30 de agosto | 22h30
«Eliza Graves - A Experiência» remata o mês de grandes estreias absolutas no canal TVCine 3. Com a bela Kate Beckinsale a liderar o elenco, este filme adapta a história do conto The System of Doctor Tarr and Professor Fether, de Edgar Allan Poe, e leva-nos até ao asilo para perturbações mentais de Stonehears, no final do século XIX. Com realização de Brad Anderson, responsável por êxitos como «O Maquinista», «A Chamada» ou «Transiberiano», este thriller vai levá-lo aos confins dos distúrbios da mente humana, através dos vários pacientes ali internados. Muitos são os segredos que todos escondem e a chegada do Doutor Edward Newgate (Jim Sturgess) ao asilo presidido pelo Doutor Silas Lamb (Ben Kingsley) não vai ser pacífica. Michael Caine, Brendan Gleeson e David Thewlis também fazem parte do grupo de atores que dão vida a esta narrativa.

The Accountant – Acerto de Contas | TVCine 1 | 1 de setembro | 21:30
Ben Affleck é Christian Wolff, um ser brilhante com capacidades muito acima da média. Diagnosticado desde criança como autista, Wolff apaixonou-se pela Matemática e pelos números, sendo o seu relacionamento com pessoas classificado como ‘difícil’. Quando cresce, Wolff torna-se contabilista de clientes dos quais todos querem distância. Mas um dia, descobre uma fraude de grandes dimensões numa das empresas do mundo do crime para as quais trabalha camuflado e tudo se transforma num teste à sua obsessão pela ordem. Quem o quer conhecer melhor é Raymond Kingpelo (J. K. Simmons), da agência estatal do crime financeiro, que inicia uma verdadeira caça ao homem. Ao lado de Ben Affleck está Anna Kendrick, Jeffrey Tambor e John Lithgow, um elenco de renome que torna este filme de Gavin O'Connor («Warrior: Combate entre Irmãos») imperdível. Se não puder vê-lo no dia 1, poderá assistir ao mesmo no dia 11 de setembro, às 21h30.

Cantar

 

Cantar! |TVCine 1 | 3 de setembro | 13:15 (VP) e 21:30 (VO)
Ajuste o microfone, aqueça a voz, e sente-se no sofá para assistir a um excelente momento musical no reino animal. «Cantar!», de 2016 e realizado por Garth Jennings, é uma das grandes estreias deste mês e promete momentos de boa diversão. O coala Buster Moon (voz de Matthew McConaughey/Vasco Palmeirim) é dono de um teatro que já viveu melhores dias e para dar a volta por cima decide lançar um concurso de talentos musicais. Entre os milhares de concorrentes estão Rosita (voz de Reese Witherspoon/Aurea), uma porca doméstica com 25 leitões, o rato pintarolas Mike (voz de Seth MacFarlane/Filipe Duarte), Ash (voz de Scarlett Johansson/Marisa Liz), uma porco-espinho cheia de atitude, a elefanta Meena (voz de Tori Kelly/Deolinda Kinzimba), que é muito tímida mas tem um grande vozeirão, e Johnny (voz de Taron Egerton/Mickael Carreira), um gorila filho de um criminoso mas muito sensível. Na mente do coala Buster Moon, só um existe sempre um final: o feliz, e por isso, este filme de animação é também uma forte inspiração para todos os humanos que enfrentam momentos mais delicados. Nomeado para 2 Globos de Ouro, «Canta!» é emitido no dia 3, às 21h30 na versão original, e às 13h15 é a vez das vozes portuguesas assumirem o microfone. Pode revê-lo no dia 13 de setembro, às 21h30, no TVCine 1.

daniel

Eu, Daniel Blake | TVCine 1 | 2 de setembro| 21:30
Vencedor da Palma de Ouro em Cannes no ano passado, assim como do Prémio do Público do Festival de Locarno, «Eu, Daniel Blake» chega finalmente aos canais TVCine. Daniel Blake (Dave Johns), perto dos 60 anos, sofre um grave ataque cardíaco, o que o deixa incapacitado para voltar a trabalhar temporariamente. São ordens do médico mas quando pede ajuda ao Estado inglês para garantir a sua subsistência enquanto recupera, o apoio é-lhe negado. Para recorrer, Daniel terá que apresentar o seu caso online, mas o problema é que ele nunca interagiu com um computador. Numa das suas inúmeras visitas à Segurança Social, Daniel conhece Katie (Hayley Squires), uma mãe solteira, com dois filhos. Também a ela o Estado inglês recusa apoio, sem saber explicar de forma clara porquê. «Eu, Daniel Blake» reflete a história de milhares de pessoas no limiar da pobreza, a quem lhes é recusado qualquer tipo de apoio, e que já não sabem a quem, nem como, recorrer. Vencedor de um BAFTA para melhor filme britânico em 2016, «Eu, Daniel Blake» é realizado por Ken Loach, igualmente responsável por êxitos como «Brisa de Mudança», vencedor da Palma de Ouro em 2006, «A Parte dos Anjos» (2012) ou «Kes» (1969). «Eu, Daniel Blake, repete dia 12 de setembro, às 21h30, no TVCine 1

  • Publicado em TV

TV Cine – Destaques da semana 7 de Agosto

O passado é, muitas vezes, fonte de grandes histórias e, nesta semana, os canais TVCine provam isso mesmo. Um escritor e um editor virtuosos, um piloto cheio de coragem e um desastre ambiental são a base para os filmes que preenchem as sugestões desta semana da METROPOLIS, juntamente com um especial de uma das figuras mais icónicas do século XX.

Um Editor de Génios | TVCine 2 | 9 de agosto | 22h
Num encontro entre génios, este filme de Michael Grandage mostra-nos a história de uma relação de sucesso, mas com alguma tempestuosidade à mistura. Nos anos 1920, o na altura aspirante a escritor Thomas Wolfe (Jude Law) procurava uma oportunidade para poder publicar a sua obra, até que o seu caminho se cruzou com Max Perkins (Colin Firth), um editor reconhecido, que acreditou no seu talento sem deixar de impor algumas exigências criativas. Além de Law e Firth, destaque ainda no elenco para Nicole Kidman, Laura Linney, Guy Pearce e Vanessa Kirby.
Uma história recheada de bons momentos com dois grandes atores a dividir a cena, «Um Editor de Génios» é um filme intimista com um encadeamento narrativo bem construído.

Clássicos: Marilyn Monroe | TVCine 2 | 10 de agosto | 22h
Marilyn Monroe é um dos símbolos indiscutíveis do século XX, destacando-se, igualmente, no Cinema. O TVCine2 dedica-lhe um especial quente quanto baste neste mês de agosto, sempre às terças-feiras, às 22h.
O arranque acontece com «Niagara» (1953), de Henry Hathaway, um thriller em que a atriz interpreta uma mulher calculista que seduz o seu amante para ajudar a assassinar o marido. Segue-se «Rio Sem Regresso» (1954), um western realizado por Otto Preminger, em que Marilyn é uma cantora de saloon obrigada a fugir rio abaixo através de uma jangada, enfrentando diversos perigos. «O Pecado Mora ao Lado» (1955), de Billy Wilder, é um dos filmes mais afamados da carreira da atriz, uma comédia em que ficou para a História um icónico vestido branco esvoaçante. Finalmente, «Os Homens Preferem as Loiras» (1953), uma comédia de Howard Hawks, encerra o especial, em que Marilyn Monroe é uma cantora que viaja para Paris juntamente com outra cantora, sendo ambas perseguidas por um detetive privado contratado pelo pai da noiva de uma delas.

Milagre no Rio Hudson | TVCine 1 | 11 de agosto | 21h30
Clint Eastwood e Tom Hanks juntam-se para um biopic sobre uma das histórias mais inacreditáveis dos últimos anos. Em 2009, naquele que parecia um dia como qualquer outro na vida do piloto Chesley ‘Sully’ Sullenberger (Hanks), danos num avião com mais de 150 passageiros obrigam a uma incrível amaragem em pleno rio Hudson. Todavia, a decisão do Comandante será questionada pelo Conselho Nacional de Segurança no Transporte e Sully terá de se defender.
Hanks interpreta com toda a segurança este herói improvável, num retrato biográfico bem conseguido de Eastwood, apesar de o realizador não arriscar muito, como tão bem já nos habituou noutras obras.

Horizonte Profundo – Desastre no Golfo | TVCine 1 | 13 de agosto | 21h30
Neste filme-catástrofe realizado por Peter Berg, conhecemos a história por detrás da maior maré negra nos Estados Unidos da América, causada pela explosão de uma plataforma petrolífera ao largo do Louisana, que provocou a morte a 11 pessoas e milhares de litros de crude espalhados por quase 2 mil quilómetros de costa. Mark Wahlberg é o protagonista da obra, que conta também no elenco com nomes como Kurt Russell, John Malkovich e Gina Rodriguez.

  • Publicado em TV
Assinar este feed RSS