logo

Entrar
Actualizado às 3:58 PM, Jan 19, 2020

Django Libertado - ciclo Tarantino

Com um orçamento estimado em US$ 100 milhões, «Django Libertado» é um fruto de enorme prestígio popular de um tempo no qual o western viveu um tempo de bonança em circuito com o blockbuster «Indomável» (2010), dos irmãos Coen; com o empenho de Sam Sherpard (1943-2017) em reviver o mito de Butch Cassidy em «Blackthorn» (2011); e com o cult «Bone Tomahawk» (2015), que revelou o promissor S. Craig Zahler, na direção. Com ecos do clássico spaghetti de Sergio Corbucci, com Franco Nero (e participação especialíssima deste), a saga de vingança de um ex-escravo, em sua busca da sua mulher mantida na senzala, descarrilhou as certezas em torno do Oscar de 2013. Tarantino saiu da festa da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood com os Oscars de melhor roteiro original e de melhor ator coadjuvante, dado a mais um genial desempenho de Christoph Waltz.

Com uma bilheteria estimada em US$ 425 milhões, este fenómeno popular põe o austríaco na pele do dentista (na prática, caçador de recompensas) alemão King Schultz. Waltz é empregado por Tarantino como os spaghetti usaram Gian Maria Volonté (ícone da Itália nos anos 1960 e 70): como representação do processo civilizatório versus a barbárie do Oeste. Europeu letrado, ele traz a lógica dos mercenários e soldados da fortuna aos EUA e, com ela, oferta ao Django de Jamie Foxx (em sublime atuação) a revanche que este anseia para reaver o seu brio espatifado sob o chicote de seu senhor. Schultz olha perplexo o horror de uma sociedade sem lei, capaz de entregar negros a cães famintos. Ele é o "Anjo da História", referência ao quadro de Paul Klee sobre o horror de um ser "iluminado" diante do passado destroçado que serve de estrada ao futuro. Um futuro igualmente intolerante.

Jamie Foxx, Christoph Waltz, Leonardo DiCaprio, Kerry Washington, Walton Goggins
2012 | 165 min

  • Publicado em Feature

Sacanas sem Lei - ciclo Tarantino

Evocar tensão e tirar o tapete ao espetador. Em «Inglorious Basterds», Tarantino iniciou essa sua tendência, quase como um tique. Fá-lo de forma artesanal, quase sempre num contínuo prazer de auto-evocação. Não estará no top 3 dos seus melhores filmes, mas é obra-prima do cinema de guerra dos últimos anos.

«Sacanas sem Lei» é o primeiro de Tarantino a brincar com o revisionismo histórico. A brincar ou a fabricar de forma estruturada e com reivindicação de direitos de autor. Quem vir agora «Era uma Vez em...Hollywood» vai perceber que talvez se trate de obsessão. E é ainda o primeiro filme de Tarantino a reforçar o seu amor por uma escrita em atos ou o cineasta não estivesse em constante ensaio conceptual com a respiração teatral.

A história passa-se na Segunda Guerra Mundial e apresenta-nos um grupo de soldados dos Aliados que se junta com um plano para matar o líder dos nazis, Hitler. Tudo menos uma história verdadeira. Ou seja, a ficção ao serviço do delírio da justiça cinéfila.

Tarantino, mais do que um filme, ergue uma antologia de todo o seu estilo. Mais do que nunca, aperfeiçoa o limite da explosão emocional de cada cena e encena um discurso pós-moderno sobre a linguagem, mesmo quando o anacronismo do Inglês é a pedra de toque.

Para lá de tudo isto, «Sacanas sem Lei» é o filme de guerra a ir ao convento da cultura pop. E é sempre feudal a quem ainda acredita na arte do espanto.

Brad Pitt, Christoph Waltz, Diane Kruger, Eli Roth, Mélanie Laurent
2009 | 153 min

  • Publicado em Feature

A Lenda de Tarzan - trailer oficial #2

A Warner Bros. lançou o novo trailer de «A Lenda de Tarzan». O filme é dirigido por David Yates (o realizador dos quatro últimos filmes de "Harry Potter"), esta nova abordagem do herói da selva, criada por Edgar Rice Burroughs, é encabeçada por Alexander Skarsgård (série «Sangue Fresco») num elenco que inclui Margot Robbie, Samuel L. Jackson, Christoph Waltz e Djimon Hounsou.

Tarzan fez a sua primeira aparição num romance de Edgar Rice Burroughs de 1912 "Tarzan of the Apes", o herói da selva acabaria por aparecer em 23 romances do autor. Tarzan desde a sua criação, há um século atrás, já foi adaptado por diversas vezes ao cinema, rádio, televisão, à banda-desenhada e aos palcos.

Estreia nacional a 7 de Julho de 2016

  • Publicado em Videos

Christoph Waltz em «Downsizing» de Alexander Payne

O oscarizado Christoph Waltz por «Sacanas Sem Lei» e «Django Libertado» de Quentin Tarantino foi escolhido para participar em «Downsizing», o novo filme de Alexander Payne («Nebraska», «As Confissões de Schmidt», «Os Descendentes»).

Christoph Waltz junta-se a uma constelação de estrelas onde se incluem Matt Damon, Reese Witherspoon, Jason Sudeikis, Neil Patrick Harris e Alec Baldwin.

A nova produção da Paramount anda em torno de um homem do Omaha, no Nebraska, que se junta a uma legião de pessoas que participam num processo de redução do seu tamanho que lhes permite que vivam em comunidades em miniatura à volta do mundo.

O argumento de «Downsizing», que nos parece bem interessante, foi escrito por Jim Taylor e Alexander Payne que venceram em conjunto o Oscar de Melhor Argumento Adaptado em 2005 por «Sideways».

Assinar este feed RSS