logo

Entrar
Actualizado às 10:16 PM, Dec 11, 2019

BSO - The Virgin Suicides – Deluxe Edition

Air, The Virgin Suicides – Deluxe Edition (Virgin) A filmografia de Sofia Coppola tem revelado um raro saber na forma de juntar música às imagens e narrativa. A música de Kevin Shields serviu parte da construção das sugestões de solidão e distância em «Lost in Translation – O Amor é um Lugar Estranho». E a banda sonora com canções dos New Order, Bow Wow Wow ou Adam and The Ants e peças de Vivaldi, Rameau ou Scartlatti ajudou a estabelecer as pontes entre o século XVIII e o nosso tempo em «Maria Antonieta». Na verdade este interesse evidente pela criação de uma sólida base musical como elemento determinante na construção dos filme surgiu logo em 2000; o filme «As Virgens…
Tagged em

25ª Edição IFP Gotham Independent Film Awards

Os Prémios Gotham, entregues na noite de 30 de Novembro, marcam o início da longa temporada de prémios da sétima arte que culminam com a atribuição dos Oscars. Os prémios de cinema independente realizados anualmente em Nova Iorque são um dos principais barómetros para os Oscars. Em 2014 três dos vencedores levaram para casa a estatueta dourada, «Birdman», Melhor Filme , Julianne Moore, Melhor Actriz e «Citizen Four», Melhor Documentário. O grande vencedor deste ano foi «O Caso Spotlight» de Tom McCarthy, arrecadou o Prémio de Melhor Filme, Argumento e um prémio especial de Melhor Ensemble partilhado por Mark Ruffalo, Michael Keaton, Rachel McAdams, Liev Schreiber, John Slattery, Stanley Tucci e Brian D'Arcy James. O filme baseado em factos verídicos…
Tagged em

Os compositores ao serviço de 007

Se, com raras exceções, as canções mudam de voz em todos os filmes, já o autor da banda sonora pode aqui ser figura capaz de definir consulados ao serviço de vários realizadores. Thomas Newman acaba de fazer a sua segunda banda sonora para James Bond. Mas o recordista é John Barry, que compôs para onze filmes, entre 1963 e 1987. Ao contrário das canções, onde só houve uma repetente – foi ela Shirley Bassey, e logo com três participações – a atribuição da composição das bandas sonoras dos filmes do universo James Bond a um compositor na verdade revelou já vários consulados, o mais longo dos quais cabendo ao compositor britânico John Barry, ainda hoje a “voz” orquestral cuja assinatura…

Steven Spielberg - Espectáculo & muitas histórias

Com uma carreira que se desenvolve ao longo de meio século, Steven Spielberg é um dos símbolos modernos do grande espectáculo e também um retratista invulgar das convulsões históricas do século XX. Lembram-se de «Os Salteadores da Arca Perdida» (1981) e do seu prometido, e consumado, “regresso da grande aventura”? Vale a pena recordar que o intrépido arqueólogo Indiana Jones enfrentava um inimigo radical: os nazis. Mais do que isso: não era um confronto circunstancial, motivado por peripécias mais ou menos anedóticas, mas um verdadeiro combate entre duas visões do mundo.Dito de outro modo: a história (ou, se preferirem, a História, com maiúscula) não é um “desvio” a que Steven Spielberg se dedica de vez em quando. Nada disso: todo…

A menina de Hollywood - Jennifer Lawrence

Jennifer Lawrence foi descoberta pelos cinéfilos de todo o mundo em 2010, através de «Despojos de Inverno», de Debra Granik. Tinha 20 anos e surgia, assim, associada a uma invulgar produção independente, para mais capaz de arrancar quatro importantes nomeações para os Oscars, uma para melhor filme do ano e outra para ela própria, na categoria de melhor actriz.Revelação paradoxal, sem dúvida. Jennifer Lawrence surgia na pose frágil e tocante de uma menina à procura do seu próprio destino, ao mesmo tempo que se transfigurava numa força da natureza, de inusitada maturidade.Dir-se-ia que a sua fulgurante trajectória constitui uma ilustração perfeita de tal paradoxo. Por um lado, para o melhor ou para o pior, a sua interpretação de Katniss Everdeen,…
Tagged em

The Thief - bandas sonoras

Tangerine Dream “The Thief” CD, Perseverence Records Depois de uma primeira experiência em 1977, compondo a música para o filme «O Comboio do Medo», de William Friedkin, os Tangerine Dream encontraram numa colaboração com Michael Mann aquela que se revelaria uma das mais frutuosas áreas de trabalho para o grupo alemão ao longo da década de 80. Já distantes das primeiras ideias lançadas em Electronic Meditation (1969) e Alpha Centauri (1971) e dos três álbuns verdadeiramente marcantes na história da música electrónica que lançaram entre 1973 e 1975 – Phaedra (1973), Rubycon (1975) e Ricochet (1975) – os Tangerine Dream, ao contrário dos contemporâneos Kraftwerk, navegavam longe do gume da invenção de uma nova etapa na história que anos antes…

Jogo Sujo - crítica do livro

JOGO SUJODick Lehr e Gerard O'NeillMarcador Na década de ‘60, nos Estados Unidos da América, surge uma nova forma de fazer jornalismo. Mais do que apenas reportar os factos, o jornalista cria uma narrativa, como num romance, de forma a envolver o leitor e criar um ambiente para melhor compreensão do conjunto da história. Com Truman Capote à cabeça, vários foram os autores que fizeram do New Journalism uma forma de arte literária. Desengane-se o leitor, porém, se espera que Dick Lehr e Gerard O’Neill façam parte dessa plêiade. Estes dois jornalistas do Boston Globe fizeram um excelente trabalho de investigação e deram-nos a conhecer um assustador episódio de corrupção e promiscuidade da mais impoluta instituição americana, o FBI; mas…

«Mustang» vence o Prémio LUX 2015

«Mustang», uma co-produção da Alemanha, França, Catar e Turquia, é o filme vencedor do Prémio Lux, atribuído anualmente pelo Parlamento Europeu desde 2007. A obra, realizada por Deniz Gamze Ergüven, é também a aposta da França para vencer o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.
Tagged em
Assinar este feed RSS