logo

Entrar
Actualizado às 5:02 PM, Aug 25, 2019

«Mulan» - teaser trailer

O conto épico de uma jovem destemida que arrisca tudo por amor à sua família e ao seu país, para se tornar numa das maiores guerreiras que a China já conheceu MULAN, da Disney, estreia nos cinemas em 2020,

Quando o imperador da China emite um decreto de que um homem por família deve servir no Exército Imperial para defender o país dos invasores do norte, Hua Mulan, a filha mais velha de um honrado guerreiro, intervém para tomar o lugar de seu pai doente. Disfarçada como um homem, Hua Jun, ela está sempre a ser testada e deve tirar partido da sua força interior e abraçar o seu verdadeiro potencial. É uma jornada épica que irá transformá-la numa guerreira honrada e ganhar o respeito de uma nação agradecida... e um pai orgulhoso.

MULAN apresenta um famoso elenco internacional que inclui: Yifei Liu como Mulan, Donnie Yen como Comandante Tung, Jason Scott Lee como Böri Khan, Yoson An como Cheng Honghui e com Gong Li como Xianniang e Jet Li como o Imperador. O filme é realizado por Niki Caro de um argumento de Rick Jaffa & Amanda Silver e de Elizabeth Martin & Lauren Hynek, baseado no poema narrativo “The Ballad of Mulan”.

Fonte: Walt Disney Studios PT

Frozen 2

«Frozen: O Reino do Gelo» foi um dos sucessos mais avassaladores dos últimos anos, tornando-se no filme de animação com a maior receita nas bilheteiras de sempre, chegando a quase 1, 3 mil milhões de dólares. A obra inspirou uma peça na Broadway e ganhou dois Óscares, nas categorias de Melhor Filme de Animação e Melhor Música Original para “Let It Go”. Tudo isto aliado a um conjunto desconcertante de fãs em todo o mundo que fez com que a Disney arriscasse, apostando naquela que é a primeira sequela de um filme de princesas Disney a ter estreia no grande ecrã (até agora as sequelas têm sido lançadas diretamente em DVD ou noutras plataformas).

«Frozen 2» é, assim, um filme muitíssimo aguardado, pelo que se volta a apostar nos ingredientes que notabilizaram a primeira obra, com o regresso dos argumentistas e realizadores Chris Buck e Jennifer Lee, mas também do elenco de vozes, do qual fazem parte Kristen Bell, Idina Menzel, Josh Gad e Jonathan Groff, juntando-se também Evan Rachel Wood e Sterling K. Brown. Elsa e Anna voltam, desta forma, para mais uma aventura, mas sairão da sua área de conforto, numa história que se irá passar fora de Arendelle e que será “maior e mais épica” do que a primeira toma, segundo revela Jennifer Lee. “Não se trata do segundo episódio”, mas “algo que vai afetar o público”, conta Kristen Bell.

A música foi um dos principais componentes de «Frozen: O Reino do Gelo» e «Frozen 2» não será exceção. Lee revela, ainda, que estão, desde já, confirmadas novas músicas e uma em especial que será “uma evolução” do enorme hit “Let it Go”, uma canção que mudou toda a estrutura do primeiro filme. Ora, antes de a música ter sido escrita, Elsa seria uma vilã. Contudo, a canção acabou por inspirar os realizadores a tornar Elsa numa segunda protagonista, catapultando-a para uma das heroínas mais reconhecidas dos últimos anos nos filmes de animação.

  • Publicado em Feature

«Bora Lá» - nova animação Disney*Pixar

«Bora Lá», da Disney*Pixar, que decorre num mundo de fantasia suburbana, apresenta dois irmãos elfos adolescentes que embarcam numa aventura extraordinária para descobrirem se ainda existe um pouco de magia perdido por aí. O filme é realizado por Dan Scanlon e produzido por Kori Rae, a equipa responsável por «Monstros: A Universidade».

Em «BORA LÁ», da Disney*Pixar, dois irmãos elfos adolescentes embarcam numa extraordinária aventura, numa carrinha chamada Guinevere para descobrirem se ainda há magia no mundo. O elenco na versão original inclui Tom Holland na voz de Ian Lightfoot e Chris Pratt como voz do irmão mais velho de Ian, Barley.

Poster Bora La

BORÁ LÁ estreia nos cinemas em Março de 2020

«Aladdin»

A Disney volta a apostar numa adaptação em imagem real de um dos seus mais famosos filmes de animação do passado: «Aladdin» (1992), realizado por Ron Clements e John Musker. A obra venceu dois Óscares (Melhor Banda Sonora e Melhor Música, por “A Whole New World”), num total de cinco nomeações, tornando-se também um marco para várias gerações. Agora, chegou a vez de adaptar a história com atores de carne e osso, na linha do que a Disney já tem feito nos últimos anos, com «Cinderela» (2015), «O Livro da Selva» (2016) e «A Bela e o Monstro» (2017).

O cineasta britânico assume a árdua tarefa, numa carreira muito marcada por thrillers e filmes de ação. O realizador confessa que o seu primeiro motivo de interesse para assinar a obra era a própria história, com a qual sente uma ligação: “as minhas histórias são muito sobre trapaceiros de rua. Isso é o que sei fazer e o Aladdin é um clássico trapaceiro que faz o bem”. Há, ainda, outro desafio neste filme: conseguir fazer jus à interpretação icónica de Robin Williams enquanto Génio. Will Smith é o ator que se segue a dar vida ao personagem e terá um tom mais “hip-hop”, recorrendo-se à experiência de trabalhos passados como a série «O Príncipe de Bel-Air» ou a sua própria carreira musical.

O restante elenco é maioritariamente desconhecido do grande público e tem origem árabe, de forma a retratar da forma mais credível possível os personagens do filme de animação. Os animais também não serão falantes, tal como acontece com «Dumbo», outra obra da Disney que ganha nova adaptação. Ritchie refere, ainda, que o filme será “mais cómico” e que será adaptado de forma a refletir os “temas contemporâneos”.

HISTÓRIA
Aladdin (Mena Massoud) é um jovem humilde que descobre um lâmpada mágica com um génio que lhe pode conceder desejos. Apaixonado por Jasmine (Naomi Scott), que está prestes a ficar noiva de outra pessoa, Aladdin conta com a ajuda do Génio (Will Smith) para a conquistar, fazendo-se passar por um príncipe para ter também a confiança do pai da jovem.

Realizador: Guy Ritchie («Snatch - Porcos E Diamantes», 2000; «Sherlock Holmes», 2009; «O Agente da U.N.C.L.E.», 2015)

Elenco: Will Smith, Mena Massoud, Naomi Scott, Marwan Kenzari

Data de estreia: 23 de Maio

  • Publicado em Feature

«Toy Story 4» - antevisão

As histórias de Woody e do seu parceiro de aventuras Buzz Lightyear há muito que encantam as crianças de todo o mundo. «Toy Story: Os Rivais» (1995) foi a estreia dos personagens e deixou também marca no Cinema, sendo considerado o primeiro filme de animação a ser realizado totalmente através de computação gráfica. A obra foi também a primeira longa-metragem dos estúdios Pixar, iniciando um percurso de grande sucesso para os estúdios. Seguiram-se «Toy Story 2 - Em Busca de Woody» (1999) e «Toy Story 3» (2010), que voltou a fazer História, ao tornar-se no primeiro filme de animação a ultrapassar os mil milhões de dólares nas bilheteiras mundiais.

«Toy Story 4» não tem tido, contudo, um percurso fácil. Em desenvolvimento desde 2014, o lançamento foi adiado um ano após a saída de John Lasseter, realizador e fundador da Pixar, em consequência de acusações de assédio sexual. Os argumentistas originais da obra, Rashida Jones e Will McCormack, também saíram do projeto, alegando, em comunicado, que a Pixar tem uma cultura “em que mulheres e pessoas de cor não têm uma voz criativa igualitária”.

toy story 4 b

Para conseguir levar este filme a bom porto, entrou em ação Josh Cooley. «Toy Story 4» será a primeira longa-metragem que realiza, após ter assinado as curtas-metragens «George and A.J.» (2009) e «Riley's First Date?» (2015), obra que surgiu no seguimento de «Divertida-Mente» (2015), um dos mais marcantes filmes de animação dos últimos anos, pelo qual Cooley recebeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Argumento Original.

O compositor Randy Newman está de regresso e assina, mais uma vez, a banda-sonora. Ao longo da carreira, Newman conta com 20 nomeações aos Óscares e duas estatuetas conquistadas, uma delas por Melhor Música, “We Belong Together”, de «Toy Story 2 - Em Busca de Woody». A inesquecível canção “You’ve Got a Friend in Me”, de «Toy Story: Os Rivais», é também da sua autoria.

A maior parte do elenco de vozes está também de volta, além da estreia de Tony Hale, mais conhecido pela sua participação na série televisiva «Arrested Development», e que aqui dará voz a Forky. Tom Hanks, que dá voz ao icónico Woody, considera que este novo filme “é um momento na História. O alcance emocional dos filmes tornou-se cada vez mais profundo”. Para o ator, as obras Toy Story constituem “uma coleção muito, muito especial de filmes que tocam cada um de nós de uma forma completamente individual”. Tim Allen, que interpreta Buzz Lightyear, corrobora o colega de elenco e revela que, na sua opinião, as últimas cenas de «Toy Story 4» são “muito difíceis”. Tal não será surpresa caso o filme siga a linha do muito emocional final de «Toy Story 3». E já sabemos que os filmes Toy Story são especialistas em rechear os seus espectadores com muitas emoções.

Poster toy story 4

HISTÓRIA
Woody (voz de Tom Hanks) sempre foi muito confiante. Contudo, quando Bonnie junta um novo e inesperado brinquedo chamado Forky (voz de Tony Hale), dá-se início a uma aventura em que vão reunir-se novos e antigos amigos, mostrando a Woody o quão grande pode ser o mundo para um brinquedo.

Realizador: Josh Cooley

Elenco (vozes): Tom Hanks, Michael Keaton, Tim Allen, Tony Hale

Data de estreia prevista: 27 de junho

* artigo publicado na Metropolis nº 66

  • Publicado em Feature

Aladdin

A Disney volta a apostar numa adaptação em imagem real de um dos seus mais famosos filmes de animação do passado: «Aladdin» (1992), realizado por Ron Clements e John Musker. A obra venceu dois Óscares (Melhor Banda Sonora e Melhor Música, por “A Whole New World”), num total de cinco nomeações, tornando-se também um marco para várias gerações. Agora, chegou a vez de adaptar a história com atores de carne e osso, na linha do que a Disney já tem feito nos últimos anos, com «Cinderela» (2015), «O Livro da Selva» (2016) e «A Bela e o Monstro» (2017).

O cineasta britânico assume a árdua tarefa, numa carreira muito marcada por thrillers e filmes de ação. O realizador confessa que o seu primeiro motivo de interesse para assinar a obra era a própria história, com a qual sente uma ligação: “as minhas histórias são muito sobre trapaceiros de rua. Isso é o que sei fazer e o Aladdin é um clássico trapaceiro que faz o bem”. Há, ainda, outro desafio neste filme: conseguir fazer jus à interpretação icónica de Robin Williams enquanto Génio. Will Smith é o ator que se segue a dar vida ao personagem e terá um tom mais “hip-hop”, recorrendo-se à experiência de trabalhos passados como a série «O Príncipe de Bel-Air» ou a sua própria carreira musical.

O restante elenco é maioritariamente desconhecido do grande público e tem origem árabe, de forma a retratar da forma mais credível possível os personagens do filme de animação. Os animais também não serão falantes, tal como acontece com «Dumbo», outra obra da Disney que ganha nova adaptação. Ritchie refere, ainda, que o filme será “mais cómico” e que será adaptado de forma a refletir os “temas contemporâneos”.

HISTÓRIA
Aladdin (Mena Massoud) é um jovem humilde que descobre um lâmpada mágica com um génio que lhe pode conceder desejos. Apaixonado por Jasmine (Naomi Scott), que está prestes a ficar noiva de outra pessoa, Aladdin conta com a ajuda do Génio (Will Smith) para a conquistar, fazendo-se passar por um príncipe para ter também a confiança do pai da jovem.

Realizador: Guy Ritchie («Snatch - Porcos E Diamantes», 2000; «Sherlock Holmes», 2009; «O Agente da U.N.C.L.E.», 2015)

Elenco: Will Smith, Mena Massoud, Naomi Scott, Marwan Kenzari

Data de estreia: 23 de maio

  • Publicado em Feature

Força Ralph: Ralph vs Internet - antevisão

«Força Ralph» foi um sucesso assinalável em 2012, recebendo a nomeação para o Óscar de Melhor Filme de Animação. A sequela, «Força Ralph: Ralph vs Internet», volta a trazer o vilão dos videojogos, Ralph, e a sua amiga Vanellope von Schweetz, agora imersos no inesgotável mundo da internet, o que dá origem a muitas surpresas. O primeiro filme arrecadou 470 milhões de dólares em todo o mundo e as expectativas para este segundo filme são consideráveis.

Como o palco do novo filme é a internet, haverá lugar para muitos cameos especiais e para a presença das princesas Disney, pelo que as atrizes que deram voz a estas personagens participam também neste filme. Falamos, por exemplo, de Kristen Bell (Anna), Mandy Moore (Rapunzel), Kelly Macdonald (Merida), Ming-Na Wen (Mulan), Auli'i Cravalho (Moana) ou de Anika Noni Rose (Tiana). John C. Reilly e Sarah voltam a dar voz a Ralph e Vanellope, respetivamente, sendo que também regressam Jack McBrayer e Jane Lynch. Mas há uma nova e aguardada estreia: Gal Gadot, que dá voz à velocista Shank.

Rich Moore realizou «Força Ralph» e volta para assinar a sequela, tendo agora a companhia de Phil Johnston. O cineasta explica que, para este novo filme, queriam “testar” a amizade dos dois personagens principais, “e que melhor lugar para isso do que a internet?”. Contudo, “ele quer estabilidade e ela quer mudança”. “As amizades vão necessariamente mudar e isso é algo que o Ralph tem de aprender. É por isso que acho que a Internet é também um bom pano de fundo, porque está em mudança constante”, ajunta.

HISTÓRIA
Ralph (voz de John C. Reilly), o vilão dos videojogos, e Vanellope (Sarah Silverman), a sua companheira de aventuras, viajam para a Internet com a missão de encontrar uma peça reserva para salvar o videojogo de Vanellope.
Realizadores: Phil Johnston e Rich Moore («Força Ralph», 2012; «Zootrópolis», 2016)
Elenco (vozes): John C. Reilly, Sarah Silverman, Taraji P. Henson
Data de estreia: 29 de novembro

  • Publicado em Feature

Disney compra parte da Fox

Foi confirmado um dos negócios do ano na indústria do audiovisual. Após algumas semanas de negociações, a Disney adquiriu o controlo dos estúdios de cinema da 21 Century Fox, um dos mais antigos do Mundo, parte dos canais de televisão da Fox, com as maiores audiências nos EUA e no resto do mundo e os direitos dos filmes da Marvel, conhecida marca de BD.
Orçado no valor de 44,5mil milhões de euros, o acordo permite à Disney dispor dos estúdios da Fox, dos canais britânicos Sky, Fx e National Geographic e a Hulu, plataforma online. Na órbita da Fox permanecem a Fox News, cadeia de informação televisiva norte-americana, e a Fox Sports, dedicada ao desporto. Para além disso, a Disney assume a dívida de cerca de 14 mil milhões de dólares da companhia que produziu títulos como «Titanic» (1997), «A Guerra das Estrelas» (1977), ou «Avatar» (2009).
Com esta aquisição a Disney passa a deter o estatuto de maior companhia de entretenimento da atualidade, incluindo a ABC, cadeia de televisão norte-americana, a Marvel, Pixar (cinema de animação), Lucasfilm (produtora da saga Star Wars), ESPN (cadeia de televisão global dedicada ao desporto), Fox Networks group (canais temáticos), a Sky (britânica), além dos estúdios Walt Disney, canais de televisão Disney,dos parques temáticos e dos direitos de merchandise dos produtos Disney.

Assinar este feed RSS