logo

Entrar
Actualizado às 11:49 PM, Nov 20, 2019

«Midway» - trailer

Seis meses depois do ataque japonês a Pearl Harbor, que marcou o início da Guerra do Pacífico, deu-se a Batalha de Midway, um confronto entre a frota norte-americana e a Marinha Imperial japonesa que se tornaria num dos episódios centrais da Segunda Guerra Mundial. O filme, baseado nos eventos reais deste episódio heroico, retrata a história dos líderes e dos soldados que recorreram aos seus instintos, coragem e bravura para superarem as dificuldades da Batalha.

Do elenco de ‘MIDWAY’ fazem parte nomes como Ed Skrein (‘Deadpool’), Patrick Wilson (da saga ‘The Conjuring’), Luke Evans (‘Arranha-Céus’), Aaron Eckhart (‘O Cavaleiro das Trevas’), Nick Jonas (‘Jumanji: Bem-Vindos à Selva’), Many Moore (da série de TV ‘Isto Somos Nós’), Dennis Quaid (‘Longe do Paraíso’) e Woddy Harrelson (‘Três Cartazes à Beira da Estrada’).

Realizado por Roland Emmerich, (‘O Dia da Independência’ e ‘O Patriota’) ‘MIDWAY’ estreia nos cinemas nacionais a 7 de novembro com distribuição da NOS Audiovisuais.

  • Publicado em Videos

O Dia da Independência: Nova Ameaça - Roland Emmerich

Falar da carreira de Roland Emmerich sem mencionar «O Dia da Independência» seria uma tarefa impossível. O realizador alemão notabilizou-se por este disaster movie, um género que viria a abordar em outras obras, como «O Dia Depois de Amanhã» (2004) ou «2012» (2009). «O Dia da Independência: Nova Ameaça» é também a primeira sequela que realiza e logo a continuação de um filme de tanto sucesso. Afinal de contas, «O Dia da Independência» redefiniu os padrões do género disaster movie. Voltar a este universo cinematográfico é, sem dúvida, um grande desafio para o cineasta: “Este mundo é muito especial para mim e queria ser-lhe fiel, bem como às personagens. Passou o tempo suficiente para que eu sentisse que era tudo novo para mim”.

Emmerich recorda ainda que uma das razões para o regresso prende-se com as suas próprias lembranças daquilo que os pais lhe diziam sobre a experiência real de guerra. Após II Guerra Mundial, “havia esta atitude de ‘Vamos juntar-nos, mostrar ao mundo o que podemos fazer. O Will Smith é o maior herói no mundo para estas novas gerações: ele salvou o mundo, mas está morto. As preparações das batalhas não estão a correr muito bem. Os veteranos do primeiro ataque estão a pensar ‘Deixamos os nossos filhos acreditar foolishly que estão prestes a lutar numa guerra que podem vencer? Podem mesmo?’ Esta história geracional tem uma dinâmica que realmente me interessou”. Além disso, e como se trata de um filme que vive dos efeitos especiais, também cativou Emmerich o facto de agora a tecnologia poder levar mais longe a sua imaginação que, como se constata no primeiro filme, pode voar bem alto.

Dia da Independencia 2

Em 2014, Emmerich e Dean Devlin tinham o guião pronto da sequela, constituído por duas partes. Foi aí que entraram os argumentistas James A. Woods e Nicolas Wright, fãs do primeiro filme e que sabiam exatamente como iriam trabalhar o novo guião de uma forma mais moderna. Eles adoraram a primeira parte mas resolveram mudar por completo a segunda. Assim, o enfoque passou a ser a ideia de uma geração inteira de jovens (muitos órfãos por terem perdido os seus pais na guerra), que aguardam um inevitável regresso dos aliens. Emmerich ficou conquistado por este novo enquadramento narrativo: “Imagina, ganhaste a batalha, mas tiveste bastante sorte. E agora tens de perceber como segurar a vitória. É uma ideia simples mas muito complicada de se contar”, assinala. O cineasta descreve o argumento como sendo “sobre a paz, por mais ridículo que isso possa parecer”. “O Roland e o Dean estavam determinados na ideia de fazer algo bom e não defraudar as expectativas das pessoas. E o Roland nasceu para fazer isto. Ele dedicou a sua vida a isso e agora é um mestre”, realça Jeff Goldblum.

  • Publicado em Feature

O Dia da Independência: Nova Ameaça - trailer

Roland Emmerich é um realizador especialista em filmes-catástrofe e regressa para a sequela de um dos filmes pelo qual ficou mais conhecido. Passados 20 anos de «Dia da Independência», os aliens estão de volta, bem como a destruição em grande escala.

Will Smith não volta para a sequela, mas o mesmo já não se poderá dizer de Jeff Goldblum, Vivica A. Fox, Judd Hirsch e Bill Pullman. O protagonista agora é o australiano Liam Hemsworth, estrela da saga «The Hunger Games». Charlotte Gainsbourg, uma atriz não muito habituada a este tipo de filmes, é uma adição promissora. A grande aposta da 20th Century Fox assenta no poder nostálgico que este filme poderá provocar em muitos espectadores. Resta a pergunta: será que vai funcionar?

Sinopse: Sempre soubemos que eles iam voltar. Depois de O DIA DA INDEPENDÊNCIA redefinir os padrões dos filmes “desastre”, o próximo capítulo traz-nos uma catástrofe global de um nível inimaginável. Através de tecnologia alienígena recuperada da primeira invasão, as nações da Terra têm colaborado em conjunto num enorme programa para proteger o planeta. Porém nada nos pode preparar para a força avassaladora e sem precedentes dos aliens. Apenas a ingenuidade de alguns corajosos pode trazer o nosso mundo de volta da beira da extinção. (Fonte: 20th Century Fox Portugal)

Realizador: Roland Emmerich («Dia da Independência», 1996; «O Dia Depois de Amanhã», 2004)

Elenco: Liam Hemsworth, Jeff Goldblum, Charlotte Gainsbourg

Data de estreia prevista: 23 de junho

Assinar este feed RSS