logo

Entrar
Actualizado às 11:08 AM, Oct 16, 2019

Björk: "a utopia é aqui"

Animal ou alien? Depois de The Gate e Blissing Me, Björk continua a convocar-nos para paisagens utópicas, translúcidas e enigmáticas, de um primitivismo que se quer também futurista. Como é sabido, o novíssimo álbum (nono da discografia) chama-se Utopia — eis é a canção-título, em teledisco assinado por Warren Du Preez e Nick Thornton Jones. Mensagem linear: "a utopia é aqui".

Bird species never seen or heard before
The first flute carved from the first fauna

Utopia
It’s not elsewhere
Let's purify

You assigned me to protect our lantern
To be intentional about the light

Utopia
It isn't elsewhere
It’s here

My instinct has been shouting at me for years
Saying, "Let’s get out of here!"
Huge toxic tumour bulging underneath the ground here
Purify, purify, purify, purify toxicity

Björk: mais uma canção utópica

Está quase a chegar o álbum Utopia, de Björk. Depois de The Gate, aí está uma nova canção: Blissing Me surge num misto de fluidez e fragmentação, filmada num extraordinário plano-sequência por Tim Walker & Emma Dalzell.

all of my mouth was kissing him
now into the air i am missing him
is this excess texting a blessing
or just two music nerds obsessing

he reminds me of the love in me
i’m celebrating on a vibrancy
sending each other mp3s
falling in love to a song

this handsommest of wickermen
he asked if i could wait for him
now how many lightyears this interim
while falling in love with his songs

his hands are good in protecting me
touching and caressing me
but would it be trespassing
wanting him to be blissing me
robbing him of his youth

cliffhanger like suspension
my longing has formed its own skeleton
bridging the gap between singletons
sending each other these songs

the interior of these melodies
is perhaps where we are meant to be
our physical union a fantasy
i just fell in love with

so i reserve my intimacies
i bundle them up in packages
my rawward longing far too visceral
did i just fall in love with love?

Björk digital

A evolução digital de Björk conduziu-a ao álbum Vulnicura, lançado no começo de 2015. Para que dúvidas não houvesse, ela criou mesmo uma exposição intitulada 'Björk digital'. Nos seus espectáculos, performances e telediscos (e cada uma destas entidades, sem perder a sua identidade, parece incluir sempre algo das outras), temos assistidos, assim, a uma digitalização dos gestos criativos em que aquilo que seja um corpo ou uma voz está, afinal, em permanente discussão. Eis que chega agora uma espécie de trailer de um novo teledisco, para o tema Notget, dirigido por Warren Du Preez e Nick Thornton Jones — no álbum, a canção dura 6m 26s; para já, temos direito a 21 segundos plenos de sedução e mistério.

Assinar este feed RSS