logo

Entrar
Actualizado às 10:13 PM, Aug 20, 2019

Ron Howard: fazedor de filmes

Ron Howard Ron Howard

Ron Howard é conhecido do grande público graças aos filmes «Splash – A Sereia» (1984), «Apollo 13» (1995), «Edtv» (1999) «Uma Mente Brilhante» (2001) e, claro, pela adaptação do best-seller literário «O Código Da Vinci». Mas o percurso de Ron Howard começa na área da representação – nascido em 1954, ele entrou no seu primeiro filme com apenas 18 meses de idade, e aos dois anos estreou-se numa peça teatral. O seu percurso como ator levou-o a integrar o elenco de «American Graffiti» (1973), o filme seminal de George Lucas. O seu interessa pelo cinema e pela produção alargou-se a partir da década de sessenta quando experimentou realizar os primeiros filmes amadores com uma câmara Super 8. Na sua primeira longa-metragem, «O Massacre dos Bólides» (1973) também interpretou o papel principal. A partir dos anos setenta e oitenta do século passado assumiu regularmente o papel de produtor, em cinema e em séries televisivas, e obteve o primeiro grande reconhecimento como realizador apenas na década de oitenta com «Splash – A Sereia» (1984), com Tom Hanks e «Cocoon – A Aventura dos Corais Perdidos» (1985). É o período em que consolida a sua relação com o produtor Brian Grazer – ambos fundaram uma companhia de produção de cinema que ficou associada a diversos sucessos dirigidos por Ron Howard. São desse período «Mar de Chamas» (1991), «Horizonte Longínquo» (1992), «The Paper – Primeira Página» (1994), «Apollo 13» (1995) e «Edtv» (1999). A dupla Grazer, produtor/Howard, realizador, obteria grande sucesso artístico com «Uma Mente Brilhante» (2001), filme premiado com Óscares de filme do ano e de realização. Ron Howard repetiu a nomeação para o Óscar de melhor realizador com «Frost /Nixon», um filme que aborda as entrevistas de televisão entre o apresentador David Frost e o ex-presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon. Mas Howard é sobretudo um homem do cinema de entretenimento e liderou as adaptações de «O Código Da Vinci» (2006) e «Anjos e Demónios» (2009). O seu mais recente filme, «No Coração do Mar» (2015), é uma produção de grande escala, de alguém que domina todas as áreas do cinema... e que perdeu as graças de ator para se tornar num fazedor de filmes.

Itens relacionados

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.