logo

Entrar
Actualizado às 10:35 PM, Oct 21, 2018

CANNES: Panahi

Destaque CANNES: Panahi

O plano de abertura de «3 Visages», de Jafar Panahi, ficará, por certo, como um dos mais viscerais acontecimentos cinematográficos de Cannes/2018: uma jovem filma-se no seu telemóvel, dirigindo-se à actriz Behnaz Jafari e anunciando um fim trágico para a sua própria existência... Subitamente, o cinema reencontra esse esplendor material de, mais do que "reprodução" de vida, ser facto vital, implicando corpos e desejos. Depois, Jafari e o próprio Jafar Panahi (mais uma vez assumindo o seu próprio papel) empreendem uma viagem de prospecção que os leva — e nós com eles — a um Irão esquecido entre montanhas, marcado por muitas peculiaridades, incluindo o uso corrente da língua turca. Panahi filma o seu povo e, através dele, a dificuldade, por certo eufórica, de ser cineasta. As autoridades do Irão não permitiram que Panahi viajasse até à Côte d'Azur, mas o seu filme não deixa de ser um belíssimo périplo através da utopia de liberdade que as imagens e os sons transportam.

Mais nesta categoria: « CANNES: Godard CANNES: Spike Lee »

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.