logo

Entrar
Actualizado às 10:16 PM, Dec 11, 2019

Os Oscars são apenas uma repetição dos outros prémios?...

Destaque Os Oscars são apenas uma repetição dos outros prémios?...

De vez em quando, tentando ver para além do barulho das luzes mediáticas, vale a pena perguntar o mais básico. Por exemplo: para que servem os Oscars? Não é, entenda-se, a pergunta do jornalista que se considera ofendido por não encontrar os "seus" filmes entre os nomeados... Nem se trata de pretender conhecer os labirínticos bastidores de Hollywood para "explicar" o que quer que seja. Acontece que os Oscars são, basicamente, um ritual cinéfilo, quer dizer, uma celebração do amor pelo cinema — e isso, com filmes melhores ou piores, continua a ser um factor de cumplicidade e união.

Mas importa questionar para que servem, ou podem servir, os Oscars num contexto em que a sua especificidade surge ameaçada por um perverso efeito de repetição. E a palavra repetição não tem nada de retórico. Não é verdade que, depois dos prémios já atribuídos pelas associações de críticos, dos Globos de Ouro e até das nomeações para os BAFTA (a entregar no dia 18 de Fevereiro), ficamos com a sensação que tudo se resume a um lote de uma quinzena de títulos que todos repetem e, de alguma maneira, consagram?

A Academia de Hollywood não pode ser unilateralmente responsabilizada por tal estado das coisas. As forças dominantes da grande indústria, privilegiando mecanismos impostos pela acelerada rentabilização dos "blockbusters”, formataram o mercado (americano e global) de modo a que esmagadora maioria dos candidatos aos Oscars saia apenas dos títulos estreados no derradeiro trimestre de cada ano, como se não valesse a pena atentar no cinema que se viu no resto do ano (este ano, Dunkirk surge como uma excepção que confirma a regra). Fica um exemplo sintomático: o admirável «Detroit», filme marcante na abordagem de temas afro-americanos, desapareceu... Realizado por uma mulher, Kathryn Bigelow, também não consta na agenda de qualquer militância feminista. O que pode suscitar outro tipo de perguntas, neste caso sobre o entendimento político do mundo do cinema.

 

Mídia

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.