logo

Entrar
Actualizado às 12:37 PM, Feb 14, 2020

Marriage Story

Um nome reconhecido no cinema independente, Noah Baumbach tem conquistado muitos elogios com a sua nova obra, «Marriage Story». Depois de ter abordado o divórcio dos seus pais em «A Lula e a Baleia», Baumbach coloca em «Marriage Story» um pouco da sua própria história, após o seu divórcio da atriz Jennifer Jason Leigh, o que fez deste filme, “extremamente pessoal”. O cineasta procurou também mostrar os diferentes momentos do divórcio, passando pelo drama, mas também por momentos mais cómicos, permitindo “equilibrar o tom e referenciar diferentes géneros”. Ao longo da sua carreira, o norte-americano foi nomeado para o Óscar de Melhor Argumento Original justamente por «A Lula e a Baleia».

Baumbach quis explorar também como as questões legais acabam por afetar o processo, pelo que falou com “advogados, juízes, mediadores”. Apesar de os elementos do casal do filme tentarem resolver o caso de uma forma amigável, os advogados acabam por enveredar por outro caminho. Baumbach assinala que tal torna “muito difícil manter o rumo pretendido no início, independentemente de quão boas as intenções sejam”. O cineasta realça que tal é também um reflexo do sistema legal e que os advogados “certamente não são vilões”, mas “produtos do sistema”.

A história é intensa e as interpretações dos protagonistas também. Os papéis principais foram entregues a dois atores já firmados em Hollywood: Scarlett Johansson e Adam Driver. Ela é a atriz mais bem paga do mundo, estrela de filmes de super-heróis da Marvel e dona de uma carreira versátil, que mistura filmes independentes com blockbusters, personagens mais leves ou com maior carga dramática. Com uma carreira já recheada de papéis icónicos e iniciada quando ainda era uma criança, Johansson foi também nomeada para quatro Globos de Ouro. Ele tem uma carreira um pouco mais curta, mas também já marcante. Além dos dramas intimistas e intrincados em que tem vindo a participar, Adam Driver é também um dos protagonistas dos novos filmes Star Wars, tendo também sido nomeado recentemente para o Óscar de Melhor Ator Secundário por «BlacKkKlansman: O Infiltrado» (2018). As interpretações individuais e a química entre ambos são, por isso, pontos fortes na obra.

  • Publicado em Feature

The Meyerowitz Stories

Encarado como um peixe fora d'água em Cannes, por ter no seu milionário currículo fenómenos de bilheteria e uma série de filmes laureados com os Razzies, Adam Sandler viveu um dia de glória na 70ª edição do festival francês ao arrancar aplausos e lágrimas à frente o drama de tons cómicos «The Meyerowitz Stories». Foi o argumento mais bem urdido de todo a seleção competitiva pela Palma de Ouro. A direção é de Noah Baumbach, dos cults «Frances Há» (2012) e «A Lula e a Baleia» (2012). E, sob a batuta dele, o astro de «Click» (2006) se junta a um elenco estelar, que junta Emma Thompson, Dustin Hoffman e Ben Stiller numa narrativa dolorosa, de gargalhadas sazonais, mas magnetizante. Há tristeza, mas também há humor aos quilos nesta trama da grife Netflix cuja trama fala sobre a reestruturação da família de um veterano escultor (Hoffman) menos reconhecido do que deveria. Stiller é o filho rico e bem-sucedido; Sandler, o fracassado.

The Meyerowitz Stories (New and Selected), argumentado e realizado por Noah Baumbach, é protagonizado por Adam Sandler, Ben Stiller, Dustin Hoffman, Elizabeth Marvel, Grace Van Patten e Emma Thompson e assenta numa história intergeracional, na qual irmãos adultos argumentam contra a influência de um pai envelhecido. The Meyerowitz Stories (New and Selected), de IAC Films, foi produzido por Scott Rudin, Baumbach, Lila Yacoub e Eli Bush.

Enquanto Somos Jovens

«Enquanto Somos Jovens» tenta muito, mas consegue pouco. Partindo de uma premissa sagaz, a concretização acaba por não corresponder, resultando numa obra algo maçuda apesar das interpretações exemplares.

Cornelia (Naomi Watts) e Josh (Ben Stiller) são um casal (relativamente) feliz em Nova Iorque e (relativamente) bem resolvido com a sua vida atual. Josh é um documentarista que não consegue largar uma obra de há já alguns anos, vivendo um momento de pleno bloqueio, criativo e também financeiro. Já Cornelia é produtora e filha de um renomado documentarista, com quem Josh (já) não se relaciona muito bem. A vida deste casal muda por completo com a entrada nas suas vidas de um outro casal, na flor da idade, composto por Jamie (Adam Driver) e Darby (Amanda Seyfried). A inquietude provocada por este casal libertador e sem regras revoluciona a vida de Cornelia e Josh, servindo como o motivo perfeito para repensarem a sua relação e projetos para o futuro.

O que começa por ser uma profícua reflexão sobre a simbiose entre juventude e maturidade e os aspetos negativos e positivos de ambos acaba por tomar outro percurso, mais fácil e menos profundo. A juventude acaba por ser retratada como algo puramente negativo, quase independentemente do caráter individual de cada um, numa generalização algo precipitada e com pouco sentido. Noah Baumbach tem, assim, uma faceta menos bem conseguida enquanto argumentista da obra, mas mais relevante na cadeira de realização, apesar de talvez se esperar mais.

O elenco é composto por nomes já reconhecidos e que não falham na composição das personagens. Ben Stiller é um deles, assumindo, mais uma vez, a tarefa de participar em menos filmes puramente cómicos. Ao seu lado, destaca-se uma atriz que poucas vezes não brilha, Naomi Watts, que consegue uma interpretação ora divertida ora perspicaz.
Todavia, as personagens mais cativantes e mais bem desenvolvidas estão entregues aos dois “novatos” da história: Adam Driver, um dos novos atores coqueluche do Cinema atual e cuja presença magnetizante é a principal âncora da obra, e Amanda Seyfried, que há muito que já não tem um papel em que possa mostrar verdadeiramente o seu talento.
«Enquanto Somos Jovens» é um caso de uma boa ideia que acaba por não ser abordada com a mesma desenvoltura. Falta-lhe alguma chama, imparcialidade e inspiração. Não obstante, há momentos deveras interessantes e que decerto farão o espetador rever-se e, consequentemente, criar alguma empatia com a obra. E, enquanto somos jovens – o que poderá acontecer durante a vida toda – (quase) tudo é possível...

duas estrelas

Título Nacional Enquanto Somos Jovens Título Original While We're Young Realizador Noah Baumbach Actores Ben Stiller, Naomi Watts, Adam Driver Origem Estados Unidos Duração 97’ Ano 2014

Assinar este feed RSS