logo

Entrar
Actualizado às 11:09 AM, Mar 22, 2019

Capitão Marvel - antevisão

O Universo Cinematográfico Marvel tem já 20 filmes mas, pela primeira vez, terá uma protagonista feminina a liderar uma história. E não poderia ser com maior estrondo. A obra apresenta Capitão Marvel, uma nova heroína que é também uma das maiores poderosas da banda-desenhada e, potencialmente, também um dos trunfos para derrotar finalmente Thanos em «Avengers: Endgame». «Capitão Marvel» é, de resto, a última paragem antes do combate final dos Vingadores e são muitas as expectativas.

Uma grande personagem exige uma grande atriz e a escolhida para interpretar Carol Danvers foi Brie Larson, vencedora do Óscar de Melhor Atriz por «Quarto» (2015) e uma assumida feminista. Embora confesse que tenha demorado algum tempo até aceitar o desafio, a atriz considera que “o facto de a personagem ser ela própria e não poder ser contida é fantástico. Significa que ela é selvagem e isso é algo que adoro”. A heroína esbanja bravura e força, com poderes sobre-humanos e capacidade de voar, sendo mesmo considerada a mais poderosa personagem da Marvel.

captain marvel 3

Contudo, não estará sozinha. Estão também de regresso os rejuvenescidos digitalmente Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Agente Coulson (Clark Gregg), mas também os vilões de «Guardiões da Galáxia» (2014), Ronan (Lee Pace) e Korath (Djimon Hounsou). Do elenco de luxo faz ainda parte Jude Law, que se estreia neste Universo Cinematográfico e arrisca num filme de super-heróis com um personagem de contornos misteriosos. Além da protagonista, também a equipa por detrás do filme tem assinatura feminina, começando logo na realização, com Anna Boden a dividir a tarefa com Ryan Fleck. Boden é, inclusive, a primeira realizadora a assinar um filme Marvel. Algo é certo: definitivamente, a Marvel assumiu por completo o Girl Power.

HISTÓRIA
A narrativa passa-se em 1995, acompanhando Carol Danvers (Brie Larson), uma piloto da Força Aérea dos EUA que ganha poderes extraordinários após um acidente. Sem memórias do seu passado, Carol regressa à Terra para travar uma invasão alienígena, ao mesmo tempo que se torna numa das heroínas mais poderosas do Universo, ganhando o nome de Capitão Marvel.

Realizadores: Anna Boden e Ryan Fleck
(«Sugar», 2008; «A Febre do Mississípi», 2015)
Elenco: Brie Larson, Samuel L. Jackson, Jude Law, Clark Gregg, Lee Pace
Data de estreia: 7 de março

  • Publicado em Feature

"Captain Marvel (Capitão Marvel)" - Novo Trailer

Passado nos anos 90, CAPTAIN MARVEL (CAPITÃO MARVEL), da Marvel Studios é uma nova aventura de um período nunca visto na história do Universo Cinematográfico Marvel, que segue a jornada de Carol Danvers, enquanto se torna num das heroínas mais poderosas do universo. Quando uma guerra galáctica entre duas raças alienígenas atinge a Terra, Danvers dá por si juntamente com um pequeno grupo de aliados, no centro do acontecimento.

O filme é protagonizado por Brie Larson, Samuel L. Jackson, Ben Mendelsohn, Djimon Hounsou, Lee Pace, Lashana Lynch, Gemma Chan, Rune Temte, Algenis Pérez Soto, Mckenna Grace, com Annette Bening, Clark Gregg e Jude Law.

CAPTAIN MARVEL (CAPITÃO MARVEL), da Marvel Studios, é produzido por Kevin Feige e realizado por Anna Boden e Ryan Fleck. Louis D'Esposito, Victoria Alonso, Jonathan Schwartz, Patricia Whitcher e Stan Lee são os produtores executivos.

  • Publicado em Videos

The Young Pope

Conhecida pelo seu arrojo e irreverência, a HBO apresenta a minissérie «The Young Pope». Escrita e realizada por Paolo Sorretino e protagonizada por Jude Law, a produção provoca e instiga, numa trama envolta em segredos e surpresas. A estreia da minissérie, que já tem assegurada a segunda temporada, tem estreia marcada em Portugal para 6 de novembro, no canal TVSéries.

Os primeiros dois episódios de «The Young Pope» tiveram estreia no Festival de Cinema de Veneza e deixaram os críticos maravilhados e com vontade de ver mais. A primeira série televisiva assinada pelo conceituado cineasta italiano Paolo Sorrentino apresenta a história ficcional de Lenny Belardo (Jude Law), o primeiro Papa norte-americano e, de resto, o mais jovem de sempre, que ganha o cognome de Pio XIII. Jovem e audacioso, Belardo em nada se assemelha aos seus antecessores – nem na aparência ou postura –, sabendo muito bem o que quer e como fazer para consegui-lo.

Com uma ambiência frívola e crua, o início da série leva o espectador a espreitar os meandros do Vaticano, através de uma realização inspiradora e irrepreensível de Sorrentino, uma produção cénica primorosa e uma fotografia audaz. Nada é deixado ao acaso em «The Young Pope», sobretudo a história arguta e os diálogos acutilantes.

Jude Law está magnânimo e brilha em toda a linha, compondo um personagem complexo, intrigante e misterioso, que o ator britânico deixa transparecer em cada olhar, em cada sorriso irónico. Há muito que Law já não tinha um papel que lhe permitia explorar tanto a sua dimensão dramática e o ator aproveita, garantindo uma das melhores interpretações da sua carreira recente. O elenco secundário também não é de ignorar, com a cativante adição de Diane Keaton a interpretar a Irmã Mary, que irá ajudar Belardo a segurar as rédeas do seu pontificado, e ainda Silvio Orlando, que dá vida ao Cardeal Voiello, que orquestrou a eleição de Belardo com a ilusão de que seria mais fácil manipulá-lo. Logo ao primeiro encontro percebe que não podia estar mais enganado e a luta velada entre ambos será uma das linhas orientadoras da série.

«The Young Pope» impressiona pela sua premissa, a ideia de um jovem Papa que se descreve a si próprio como intransigente, irritável e vingativo, não revelando muitos escrúpulos, apesar de manter alguma dose de conservadorismo. Com uma abordagem ácida e provocadora e misturando alguma sátira com bastidores que mais parecem derivar de um qualquer thriller político, «The Young Pope» é uma das séries a não perder nesta temporada.

  • Publicado em TV
Assinar este feed RSS