logo

Entrar
Actualizado às 10:22 PM, Nov 12, 2019

Jackie Brown - ciclo Tarantino

Por mais filmes que faça, por mais brilhantes que sejam esses mesmos filmes, por mais que as opiniões se dividam sobre qual é o melhor ou o preferido, é importante ganhar consciência que sem «Jackie Brown», Quentin Tarantino seria hoje um QT diferente daquele que conhecemos. «Cães Danados» é o cartão de visita de um novo tipo de realizador independente e é o prenúncio da obra-prima que viria, essa sim, a virar do avesso a opinião generalizada sobre o cinema independente americano e a injectar-lhe uma nova vida. Mas «Pulp Fiction», bem lá do alto da sua genialidade, poderia facilmente ter-se revelado uma nova versão do mito de Ícaro e Quentin Tarantino veria as suas asas arderem se não conseguisse provar que tinha mais para dar do que os conceitos já explorados tanto em «Cães Danados» como em «Pulp Fiction» (que convenhamos, são filmes primos). A título de comparação, veja-se o caso de M. Night Shyamalan: um auspicioso início de carreira com «O Sexto Sentido» ao qual se seguiu, com um considerável salto qualitativo, «O Protegido», o seu melhor filme e o ponto mais alto de uma carreira que depois se transformou numa avalanche de maus filmes.

Tarantino precisava então de provar, com o seu 3º filme, que era mais — muito mais — do que um realizador com uma única receita e alguns ingredientes de qualidade roubados do videoclube onde passara a juventude. E numa jogada digna de mestre, Tarantino abdica — pela primeira e única vez até hoje — de um argumento original de sua autoria e adapta ao grande ecrã um romance de Elmore Leonard intitulado «Rum Punch», o qual seria re-batizado para o cinema como «Jackie Brown». Abdica do malabarismo narrativo, adoptando uma abordagem mais clássica e adequada ao género noir — mas sem nunca deixar de revelar a sua presença e sem nunca anular a do autor. Abdica também da violência explícita em detrimento de uma atmosfera mais hipnótica e de uma intrincada trama onde vivem algumas das mais fascinantes personagens de toda a filmografia do realizador de «Era Uma Vez Em... Hollywood».

Pam Grier, Samuel L. Jackson, Robert Forster, Michael Keaton, Robert De Niro
1997 | 154 min

Mídia

Modificado emdomingo, 22 setembro 2019 21:40

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.