logo

Entrar
Actualizado às 1:09 AM, Dec 12, 2018

Tom Hardy - Um Duro Incorrigível

Destaque Tom Hardy em «Locke» Tom Hardy em «Locke»

Já foi nomeado para um Óscar de melhor ator secundário e desempenhou diferentes vilões. Agora podemos vê-lo em «Venon», onde é um anti-herói no universo de heróis.

A juventude de Tom Hardy ajudou muito a definir aquilo que fez para chegar onde está e moldar a sua personalidade. Ele é o filho único de um escritor e de uma artista e durante a adolescência sofreu de alcoolismo, toxicodependência e teve diversos problemas por comportamentos delinquentes. Apesar das dificuldades que viveu ingressou na Richmond Drama School e no prestigiado Drama Centre de Londres. O seu compromisso com a representação levou-o a aperfeiçoar as habilidades que tinha. O ator já afirmou que necessitou de trabalhar o dobro dos seus colegas para se manter focado e obter os resultados que pretendia.

Após duas curtas-metragens, Tom Hardy chamou as atenções com um papel na aclamada minissérie dramática da HBO, «Irmãos de Armas» (2001), sobre as missões de uma divisão do exército norte-americano durante a II Guerra Mundial. O seu primeiro papel em cinema foi num filme sobre a guerra da Somália, «Cercados» (2001), de Ridley Scott, onde interpretou um soldado que é deixado para trás. Rompendo com os dramas militares, Hardy conquistou o papel do principal vilão no filme «Star Trek: Nemesis» (2002), de Stuart Baird, contracenando com Patrick Stewart.

tom hardy mad max fury road

Nos anos seguintes não o vimos em nenhum filme memorável apesar de ter continuado a filmar regularmente. Em 2006, ele envolveu-se na fundação de uma companhia de teatro independente e dirigiu em palco uma peça escrita pelo seu pai. Nesse mesmo ano integrou o elenco de «Marie Antoinette» (2006), de Sofia Coppola e obteve uma nomeação da Academia Britânica de Artes Cinematográficas e Televisivas para melhor ator pelo seu papel no drama televisivo «Stuart: Uma Vida ao Contrário» (2007).

Seguiram-se papéis de personagens duras em «RocknRolla: A Quadrilha» (2008), um filme de gangsters londrinos realizado por Guy Ritchie, e «Bronson» (2008), de Nicolas Winding Refn, onde interpretou o prisioneiro mais violento da Grã-Bretanha que foi condenado a prisão solitária e cuja personalidade é suplantada elo seu ater ego, o ator Charles Bronson. O papel valeu-lhe o British Independent Film Award para melhor ator.

Assumiu a personagem clássica de Heathcliffe em «Wuthering Heights» (2009), uma adaptação televisiva de «O Monte dos Vendavais» de Emily Brontë e um dos vilões do filme surrealista «A Origem» (2010), de Christopher Nolan. Manteve-se do lado dos vilões em «Warrior – Combate Entre Irmãos» (2001), de Gavin O’Connor, e «Dos Homens Sem Lei» (2012), de John Hillcoat. Todos estas personagens deram-lhe dimensão para assumir uma das personagens mais carismáticas da trilogia que Christopher Nolan dirigiu sobre Batman. Ele surgiu no terceiro episódio, «O Cavaleiro das Trevas Renasce» (2012), interpretando Bane, um terrorista brutal.

 

tom hardy christian bale the dark knight rises1

Em «Locke» (2013), de Steven Knight, interpretou uma das suas personagens mais marcantes e que lhe permitiu afastar-se da habitual caraterização psicológica do vilão. Ivan Locke é um homem de família e construtor civil que está prestes a enfrentar o maior desafio da sua careira quando recebe um telefonema que abala a sua existência. Toda a ação do filme é concentrada numa noite, durante uma viagem, e Hardy está sempre em cena a conduzir e dialogando por telefone com outras pessoas.

Retomou o caminho dos vilões carismáticos em «Mad Max: Estrada da Fúria» (2015), o relançamento da saga apocalíptica de George Miller, e em «Lendas do Crime» (2015), de Brian Helgeland, interpretando os papéis de dois gangsters gémeos que aterrorizam Londres em 1960. A consagração em torno do filme «The Revenant: O Renascido» (2016), de Alejandro González Iñárritu permitiu-lhe receber a primeira nomeação para um Óscar na categoria de melhor ator secundário. Tom Hardy contracenou com Leonardo Di Caprio neste drama ocorrido no século XIX sobre um caçador que foi abandonado ferido pelos seus colegas.

Hardy voltou a filmar com Christopher Nolan em «Dunkirk» (2017) onde assumiu o papel de um piloto da Força Aérea britânica. O regresso ao pequeno ecrã aconteceu na série britânica «Taboo» (2017), que ele co-criou com o seu pai e Steven Knight. Finalmente, o ator surge pela primeira vez num filme de ação interpretando o anti herói «Venon» (2018), no ‘spin-off’ do universo de aventuras do Homem-Aranha.

[Artigo publicado na Revista Metropolis nº 63 - Outubro 2018]

Mídia

Modificado emsegunda, 26 novembro 2018 00:32

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.