logo

Entrar
Actualizado às 9:31 PM, Aug 22, 2019

O regresso da Festa do Cinema Francês

Na sua 17.ª edição, a Festa do Cinema Francês apresenta 25 filmes em antestreia, um ciclo da Association du Cinéma Indépendant pour sa Diffuson (ACID), uma retrospetiva ao cinema francês inspirada por Bertrand Tavernier, masterclasses, bem como um ciclo dedicado à madrinha deste ano, Anne Fontaine. Vários géneros passam por 11 cidades, de 6 de outubro a 13 de novembro, num regresso em força do sempre charmoso e versátil Cinema Francês.


Cezane 1

Antestreias


A obra de abertura da 17.ª edição, que alberga um conjunto de 68 filmes, é «Cézanne e Eu», de Danièle Thompson, que estará em Lisboa para apresentar a sua mais recente obra. O filme de época conta a história de amizade entre o pintor Paul Cézanne (Guillaume Caunet) e o escritor Emile Zola (Guillaume Gallienne). «Tão Só o Fim do Mundo», do irreverente jovem cineasta Xavier Dolan, é outro dos destaques, numa obra sobre confronto familiar que conta com um elenco de luxo, com nomes como Marion Cotillard, Vincent Cassel, Gaspard Ulliel e Léa Seydoux. O filme arrecadou o Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes e marca o encerramento da passagem da Festa por Lisboa.
O Cinema Francês é pródigo em mostrar-nos comédias inusitadas e harmoniosas e este ano não será exceção. «Bem-vindos Mas Pouco», de Alexandra Leclère, é um destes exemplos, que obriga os cidadãos franceses que tenham casas com quartos vagos a abrigar os que se encontram numa situação difícil perante o pior inverno de sempre, o que originará divertidos encontros. «Éternité», de Tran Anh Hug (nomeado ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro por «O Odor da Papaia Verde», 1993), é um filme de época que nos transporta para a história de uma família e os laços que se vão criando, recorrendo a uma fotografia marcante e a um elenco irrepreensível, com Audrey Tautou, Bérénice Béjo, Mélanie Laurent e Jérémie Renier.

Destaque ainda para «La Danseuse», de Stéphanie Di Gusto, um filme que só terá estreia no Porto e se foca na vida de Loïe Fuller, uma jovem do interior americano que se viria a tornar num ícone da Belle Époque. O filme de estreia da realizadora marcou presença na secção Un Certain Regard do último Festival de Cinema de Cannes e tem Gaspard Ulliel, Soko, Mélanie Thierry e Lily Rose-Depp no elenco.

gemma bovery

Ciclo Anne Fontaine e ACID

Depois de já ter apresentado obras de Anne Fontaine em antigas edições da Festa, a realizadora é agora a Madrinha e terá um ciclo dedicado à sua carreira. É nesse sentido que serão exibidos os filmes «Nettoyage à Sec» (1997), «Entre As Suas Mãos» (2005), «O Meu Pior Pesadelo» (2011), «Paixões Proibidas» (2013) e «Gemma Bovery» (2014), bem como a sua mais recente obra, «As Inocentes», uma das antestreias da Festa e um dos mais crus filmes desta edição. Baseada em factos reais, a obra passa-se na Polónia, em 1945, quando uma equipa da Cruz Vermelha inicia uma missão de apoio aos sobreviventes da Segunda Guerra Mundial e descobre, num convento, um conjunto de freiras grávidas após a passagem recente de soldados soviéticos pelo local.

O Ciclo ACID é dedicado aos novos valores do Cinema Francês, que aposta na pluralidade e em diferentes expressões artísticas. A ACID, fundada em 1992, tem como objetivo ajudar o cinema independente a exponenciar o seu potencial e tem presença marcada, desde 1993, no Festival de Cannes, com uma programação própria onde são apresentados 9 longas-metragens, que, por norma, ainda não têm distribuidor. No âmbito deste ciclo da Festa, serão exibidos filmes como «Isola», de Fabianny Deschamps; «Le Voyage au Groenland», de Sébastien Betbeder; «Tombé du Ciel», de Wissam Charaf. Olaf Hund, produtor e compositor franco-alemão que assina a banda-sonora de «Isola», apresentará uma improvisação ao vivo, em parceria com o Musicbox, no dia 7 de outubro. Nesta edição, serão também realizados, em Lisboa e no Porto, vários encontros e masterclasses com os realizadores dos filmes deste Ciclo, em ações dedicadas aos estudantes de Cinema, sob o mote “Novas formas de escritas no Cinema”.

crime 3

Uma Viagem pelo Cinema Francês com Bertrand Tavernier

Nesta edição, a Festa propõe uma homenagem ao cinema francês numa retrospetiva inspirada pelo filme «Uma Viagem ao Cinema Francês com Bertrand Tavernier», que terá antestreia na Cinemateca Portuguesa. Na obra, o realizador e ex-crítico evoca algumas obras francesas e as principais etapas do Cinema Francês. Neste sentido, serão apresentados filmes como «O Crime do Sr. Lange» (1935), de Jean Renoir; «La Nuit Est Mon Royaume» (1951), de Georges Lacombe; «Contra Todos os Riscos» (1960), de Claude Sautet; «A Filha de D’Artagnan» (1994), de Bertrand Tavernier.

la tortue rouge 1

A magia da Animação

O Cinema de Animação não ficará de fora e são quatro os filmes protagonistas desta edição: «Gus Petit Oiseau, Grand Voyage», «La Tortue Rouge», «Louise en Hiver» e «Tout en Haut du Monde». De salientar ainda duas seleções de 17 curtas-metragens que foram apresentadas nos últimos cinco anos no Festival Internacional de Animação de Annecy.
Lisboa, Almada, Leiria, Coimbra, Porto, Viana do Castelo, Faro, Seixal, Aveiro, Beja e Setúbal são as cidades pelas quais a Festa do Cinema Francês irá passar nesta 17.ª edição. A Festa do Cinema Francês é organizada pelo Institut Français du Portugal, a Embaixada de França e a rede de Alliances Françaises de Portugal. A METROPOLIS é a revista oficial do evento.

 

Mídia

Modificado emquarta, 21 setembro 2016 23:21

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.