logo

Entrar
Actualizado às 12:33 AM, Nov 18, 2019

Descarrilada

Rir a bom rir: é isto que pode esperar de "Descarrilada", uma aposta bem conseguida de Judd Apatow. A história centra-se em Amy Townsend (Amy Schumer), uma jornalista independente e confiante para quem a monogamia é um mito, ideia para a qual muito contribuiu o seu pai. Amy tem fobia de relacionamentos e vai saltando de um relacionamento para o outro sem qualquer ligação emocional. Todavia, tudo poderá mudar quando tem de entrevistar o médico Aaron Cooners (Bill Hader), que tem a persistência como uma grande aliada.

Amy Schumer é a comediante do momento nos EUA, tendo agora a sua estreia no grande ecrã. O filme é escrito por ela e tem a sua marca notória um pouco por toda a narrativa. Os dois primeiros atos são os mais interessantes, pejados de momentos divertidos, surpreendentes e politicamente incorretos. Contudo, o tom começa a “descarrilar” para a simples comédia romântica e, aos poucos, a piada começa a diminuir.

Não obstante, Amy Schumer é a rainha da obra e só por ela muitos dos gags acabam, efetivamente, por funcionar. Contudo, não está sozinha, tendo um elenco seguro que enriquece o filme e que complementa na perfeição o trabalho da protagonista. Bill Hader e Vanessa Bayer, duas presenças habituais em "Saturday Night Live", estão irrepreensíveis, bem como a fantástica Tilda Swinton, que tem uma participação deliciosa. Acrescentam-se, ainda, o esforçado John Cena e o surpreendente LeBron James, que consegue mesmo roubar a cena em muitos momentos.

Apesar de aspetos menos bem conseguidos, não poderemos descartar esta tentativa de criação de uma comédia diferente. Além disso, tem uma mulher como protagonista, algo que ainda não ocorrera em filmes realizados por Apatow e que esta obra prova que pode ser um caminho profícuo a seguir no género.

"Descarrilada" é uma comédia em estado puro que acaba por deixar-se levar por outro rumo, encaixando mais na comédia romântica. A obra perde um pouco da sua essência e ousadia mas não deixará de fornecer algo que sempre se pretende de uma comédia: entretenimento e muitas gargalhadas.

quatro estrelas

Título Nacional Descarrilada  Título Original Trainwreck Realizador Judd Apatow Actores Amy Schumer, Bill Hader, Brie Larson Origem Estados Unidos/Japão Duração 125’ Ano 2015

Homem Irracional

Quase um thriller existencialista, «Homem Irracional» volta a trazer um Woody Allen mais introspetivo e reflexivo, mas ainda muito longe do seu melhor.

Abe Lucas (Joaquin Phoenix) é um professor de filosofia profundamente deprimido, que sobrevive à vida, sem qualquer razão para vivê-la. Entretanto, muda-se para um pequena cidade e lá tudo vai mudar. Começa por conhecer Rita Richards (Parker Posey), uma professora carente que vê nele a salvação para um casamento infeliz, e Jill Pollard (Emma Stone), uma das suas alunas que acaba por tornar-se na sua confidente. A jovem sente-se profundamente atraída pela personalidade fascinante de Abe, justamente o tipo de personagem que Allen sabe tão bem construir. Um dia, Abe e Jill ouvem uma conversa de uma desconhecida sobre uma decisão de um juiz. O que é ouvido por ambos acaba por mudar toda a existência de Abe, que encontra ali um novo motivo para viver.

Bem melhor do que o dispensável «Magia ao Luar» (2014), este novo filme de Allen é mais profundo, sem deixar de ter alguma leveza. Alguns temas são também reavivados como, por exemplo, o poder do acaso, magistralmente abordado em «Match Point» (2005), provavelmente, o último grande filme do realizador. O argumento desenvolve-se de forma fluida e agradável para o espectador, que não deverá ter muitas razões para entediar-se. A banda-sonora é, como sempre quando se trata de filmes de Allen, um complemento perfeito para a obra e um acrescento artístico irrepreensível.

Emma Stone volta a ser a protagonista de uma obra do realizador e não dececiona, brilhando com o seu carisma habitual. Mas quem se destaca mesmo é Joaquin Phoenix, que torna a personagem sua e arrecada cenas impagáveis. Parker Posey é também um charme e adapta-se na perfeição, conseguindo alguns dos momentos mais divertidos da obra.

«Homem Irracional» está longe de ser uma obra-prima ou até mesmo um filme a não perder na carreira de Allen. Há o seu típico humor, o plasmar dos seus pensamentos filosóficos, a explosão da ironia e a dissecação de relações atribuladas. Todavia, apesar de não ser primoroso ou especialmente memorável, vale sempre a pena um filme de Allen, nem que seja pela sua imensidão narrativa e pela complexidade das personagens.

\"tres

Título Nacional Homem Irracional Título Original Irrational Man Realizador Woody Allen Actores Joaquin Phoenix, Emma Stone, Parker Posey  Origem Estados Unidos Duração 95´ Ano 2015


 

Assinar este feed RSS