logo

Entrar
Actualizado às 9:45 PM, Sep 22, 2019

Life

James Dean para a pequenada. É isto o novo filme de Anton Corbijn, depois de «O Homem Mais Procurado». O fotógrafo holandês, cada vez mais com o pé na realização, fez finalmente o seu filme “de fotografia”. Centrado na história da amizade entre o fotógrafo da Magnum, Dennis Stock, e James Dean e na forma como a famosa fotografia do Times Square nasceu, «Life» passou na Berlinale Special, a secção das antestreias do festival, e foi uma das decepções mais fortes. Um objeto afetado que tenta desmontar o mito de James Dean e entrar por dentro das imagens icónicas. Tudo parece feito em função de uma mera curiosidade quase caricatural. Ninguém acredita no peso daquele Dean e na forma como se descrevem os ambientes de Hollywood (Jack Warner parece um boneco nas mãos de Sir Ben Kingsley e mesmo Nick Ray não tem dimensão real). Ficamo-nos apenas por um mero jogo de mimetismos, bem enquadrado é certo – Corbijn é um esteta competente – mas sem profundidade de imaginários. Dane DeHaan, que costuma ser óptimo, sente-se que não aguenta o peso do papel e mesmo quando dá passas no cigarro ficamos com a sensação que joga à defesa. Tem o mesmo efeito postiço que tinha o Kerouac segundo Walter Salles, em «Pela Estrada Fora»...

Life de Anton Corbijn

Rui Pedro Tendinha em Berlim

Texto originalmente publicado na revista Metropolis nº 27

Modificado emsexta, 13 maio 2016 22:23

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.