logo

Entrar
Actualizado às 9:31 PM, Aug 22, 2019

Chappie

  • Escrito por Inês Gens Mendes
  • Publicado em Críticas
Chappie Chappie

O sul-africano Neill Blomkamp espantou o mundo quando, em 2009, levou até ao grande ecrã a sua invasão alienígena com centro em Joanesburgo. A frescura no argumento e a realização inovadora de «Distrito 9» levaram muitos espectadores à sala (arrecadou mais de 200 milhões de dólares a nível mundial) e valeram ao realizador inclusivamente uma nomeação para o Óscar de Melhor Filme. E depois veio «Elysium», em 2013, e a crítica caiu-lhe em cima. «Chappie», a terceira longa-metragem do cineasta, não consegue voltar à glória do seu primeiro filme mas, com algumas ressalvas, está lá perto.

Continuamos no universo da ficção científica e voltamos a Joanesburgo, cidade natal de Blomkamp e local que parece extrair o melhor da sua arte. Desta feita, a narrativa anda à volta de um robô inteligente, uma primeira experiência muito bem sucedida no campo da inteligência artificial. O robô, que dá também nome ao filme, é criado em condições adversas, entre um bando de gangsters (interpretado pela dupla de rappers sul-africana Die Antwoord) e o seu pai original, um entusiasta da Ciência (Dev Patel) e, como qualquer criança, absorve como uma esponja as boas e más lições que lhe são passadas.

Depois há os maus da fita que o querem ver destruído a todo o custo, Hugh Jackman e Sigourney Weaver, que são claramente o pior do filme, apenas porque lhes foram dados papéis acessórios. Podiam ser interpretados por qualquer outra pessoa e o espectador não notaria diferença.

O que «Chappie» tem de único é a forma como traz ternura a uma história de ficção científica e dá um coração a uma personagem robótica que, inesperadamente, cria com o espectador uma ligação tão forte como uma personagem de carne e posso. A interpretação em performance capture de Sharlto Copley, o ator que Neill Blomkamp não dispensa dos seus filmes, é também crucial para a conexão à personagem.

O equilíbrio com que passamos de cenas cómicas, a momentos de verdadeira dor ou a cenas explosivas é talvez a chave para que Chappie não seja apenas mais um filme do género. Há quem já lhe tenha dado muita pancada mas, daqui a uns anos, vamos provavelmente lembrá-lo como um filme de culto...daquele tipo que também fez «Distrito 9».

Chappie
Realização: Neill Blomkamp
Actores: Sharlto Copley, Dev Patel, Hugh Jackman
Estrelas: 4

Texto originalmente publicado na revista Metropolis nº 27

Modificado emquarta, 03 fevereiro 2016 23:05