logo

Entrar
Actualizado às 10:16 PM, Dec 11, 2019

«Comportem-se Como Adultos» - crítica

«Comportem-se Como Adultos» é sobre uma tragédia grega bem recente – a renegociação da divida grega, o resgate financeiro, a crise política, o conflito entre o governo helénico e a troica (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional).

O filme é uma adaptação da obra homónima do ex-ministro das finanças Yanis Varoufaki, um livro de memórias que relembra o ciclo político vivido pelo primeiro-ministro Alexis Tsipras e o ministro das finanças Yanis Varoufakis quando o Syriza (coligação da esquerda radical grega) foi eleito para governar, em janeiro de 2015, com um mandato anti-austeridade. O executivo esbarrou na insistência da União Europeia em manter o Memorando de Entendimento existente, um acordo que obrigava a Grécia a adoptar medidas mais austeras e a vender património e empresas nacionais.

«Comportem-se Como Adultos» embrenha-se num situação política e económica labiríntica, definindo o conflito de forma rápida e clara, e reconstituindo as reuniões negociais infernais, prolongadas com argumentos repetidos até à exaustão.

As instituições europeias não ficam bem num filme que mostra a arrogância, teimosia e falta de empatia com que encararam o governo grego e rejeitaram os argumentos de Varoufakis sobre a nova legitimidade democrática que tinha para corresponder à expectativa do eleitorado e enfrentar uma situação de emergência humanitária no país.

Costa-Gravas, realizador de origem grega e naturalizado francês, regressou à Grécia para retratar este impasse com ironia teatral, assumindo a sua cumplicidade ideológica com a perspetiva de Varoufakis, exemplarmente interpretado pelo Christos Loulis.

Na sua obra social e política, Costa Gravas denunciou ditaduras militares na Grécia e na américa latina, abordou questões de desemprego, mercado de trabalho e capitalismo. Agora filma este episódio como uma grande tragédia política dos nossos tempos. É um filme essencial para percebermos como os gregos enfrentaram este problema e que permite vislumbrar uma encenação de muitas reuniões onde foram tomadas decisões que também afetaram Portugal, Irlanda e Espanha, países que estiveram sob assistência financeira. Já passou? Sim, mas serve para memória futura.

Mídia

n
Modificado emquarta, 27 novembro 2019 23:57
Mais nesta categoria: « Sybil

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.