logo

Entrar
Actualizado às 3:58 PM, Jan 19, 2020

Derradeira Viagem

Destaque Derradeira Viagem

Enganam-se os que tendem a definir a produção de Hollywood a partir do último «blockbuster» que vimos anunciado em cartazes gigantes nas nossas ruas ou através de ruidosos clips nos ecrãs de televisão... De facto, tal visão, por certo idêntica à dos tesoureiros dos grandes estúdios sem qualquer gosto cinéfilo (e também de algum jornalismo sem memória nem sentido crítico), passa ao lado de todos os filmes que sabem manter-se ligados ao presente, ao nosso presente, sem quebrar uma relação criativa com o fascinante património narrativo de mais de um século de história(s).

«Derradeira Viagem» (título original: «Last Flag Flying») é um desses filmes, depurado e intenso, capaz de relançar as virtudes da mais clássica escrita dramática. Não por acaso, a sua construção tem sido comparada à de «The Last Detail/O Último Dever» (1973), de Hal Ashby, uma espécie de «on the road» mais ou menos sarcástico em que dois marinheiros têm como missão conduzir um terceiro à prisão onde deverá cumprir uma pena. Agora, encontramos três veteranos da guerra do Vietname — magnificamente interpretados por Steve Carell, Bryan Cranston e Laurence Fishburne — reunidos para uma singularíssima viagem, de contornos emocionais bem diferentes: o filho de um deles morreu no Iraque e os três vão recolher o corpo e organizar o funeral.

Em tempos recentes, raras vezes temos visto um argumento de tão sofisticada construção, sabendo combinar os detalhes de cada personagem com os elementos de um pano de fundo em que, em última instância, descobrimos a consciência americana a enfrentar factos e fantasmas da sua história militar e política. Richard Linklater, o realizador, colaborou com Darryl Ponicsan (autor do romance em que o filme se baseia) para estruturar esse argumento, privilegiando sempre a proliferação das contraditórias emoções que os actores conseguem expor.

Já sabíamos que Linklater é um cineasta apaixonado pela complexidade das relações humanas, no limite arriscando dilatar o tempo da própria rodagem, como aconteceu no inigualável «Boyhood» (2014), fabricado ao longo de mais de uma década, precisamente para inscrever a transformação física dos actores no corpo da ficção. Agora, com «Derradeira Viagem», podemos acrescentar que a sua arte, tecida de rigor dramático e subtileza afectiva, o define como legítimo herdeiro dos grandes mestres clássicos.

REALIZAÇÃO
Richard Linklater

ACTORES
Steve Carrell, Bryan Cranston, Laurence Fishburne, J. Quinton Johnson, Cicely Tyson

Duração: 125 min.

2017, EUA

cinco estrelas

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.