logo

Entrar
Actualizado às 11:16 PM, Oct 20, 2019

La La Land - crítica

Destaque La La Land - crítica

Feito por um sonhador para todos os sonhadores, «La La Land: Melodia de Amor» é uma explosão de cores, música e momentos arrebatadores. Damien Chazelle não procura recuperar o musical ou reinventá-lo mas, sobretudo, pretende homenageá-lo nas suas várias vertentes, atribuindo-lhe um ar contemporâneo mas não menos mágico. A história, na sua essência, é simples e pouco ambiciosa, é certo, mas funciona pela forma como é contada. Assim, ficamos a conhecer Sebastian (Ryan Gosling), um pianista jazz à antiga que procura abrir o seu próprio espaço para que o jazz corra puro e sem amarras, e Mia (Emma Stone), uma jovem aspirante a atriz que luta o quanto pode para que alguém a veja no meio da multidão.

Se havia alguma dúvida de que Damien Chazelle era dono de um grande talento após o intenso «Whiplash – Nos Limites» (2014), «La La Land: Melodia de Amor» anula quaisquer reticências acerca do jovem cineasta norte-americano. Como às tantas diz Mia, “as pessoas adoram aquilo que as outras pessoas adoram”, e parece que foi assim que Chazelle nos apanhou na curva, já que nota-se claramente o quanto o cineasta é um fervoroso fã do musical e do jazz, cativando-nos inevitavelmente. No entanto, e como se trata de um musical, o filme resulta de um trabalho multidisciplinar, que vai acertando em vários aspetos: banda-sonora esplendorosa de Justin Hurwitz, que nos cativa à primeira batida, edição cheia de ritmo de Tom Cross e uma Fotografia onírica e inspirada de Linus Sandgren.

Todavia, nada disto resultaria se os protagonistas também não conquistassem. Emma Stone e Ryan Gosling já haviam trabalhado juntos e, em «La La Land: Melodia de Amor», a sua química volta a provar ser inatacável. Stone é absolutamente radiosa e Gosling mostra que tem timing afinado para a comédia, como já o havia feito, aliás, em «Bons Rapazes» (2016). Os dois atores não são dançarinos ou cantores profissionais, o que dá um ar mais prosaico ao filme e não atrapalha o resultado final.

«La La Land: Melodia de Amor» é um musical dos tempos modernos, num pot-pourri de referências cinematográficas mas que também cria novos momentos cheios de impacto – a abertura do filme é só um dos exemplos, marcando o ritmo desde o início para o resto da obra. Doce e amargo, o filme explora a dimensão do sonho e o confronto duro com a realidade, numa história que poder-se-ia passar noutro sítio qualquer, noutra época qualquer, com outros sonhadores. Com as emoções à flor da pele e música contagiante como pano de fundo, «La La Land: Melodia de Amor» é um triunfo.

cinco estrelas

Título Nacional La La Land: Melodia de Amor Título Original La La Land Realizador Damien Chazelle Actores Ryan Gosling, Emma Stone, Rosemarie DeWitt Origem Estados Unidos Duração 128’ Ano 2016

Mídia

Mais nesta categoria: « Homenzinhos Moonlight - crítica »

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado. Código HTML não é permitido.