logo

Entrar
Actualizado às 10:09 PM, May 20, 2019

Três Cartazes à Beira da Estrada

«Três Cartazes à Beira da Estrada» é um ponto alto na carreira de Martin McDonagh, um especialista em comédias negras, que se inciou com a brilhante curta metragem «Six Shooter» em 2004, vencedora do Oscar em 2006, curta essa que é um extra desta edição homevideo. Pelo meio tivemos o filme de culto «Em Bruges», e o menos conseguido «Sete Psicopatas». A história de «Três Cartazes à Beira da Estrada» desenrola-se no coração da América, no Missouri. Uma mãe procura justiça para o homicidio violento da sua filha, e nessa busca desesperada acaba por encontrar uma forma muito suis generis de chamar a atenção para a ineficácia e a imcompetência da polícia local. A narrativa agridoce de «Três Cartazes à Beira da Estrada» é pautada por magníficas interpretações: Frances McDormand a encabeçar o elenco (Oscar de Melhor Actriz), o extraordinário Woody Harrelson e Sam Rockwell, que finalmente regressou às grandes performances – a sua interpretação foi aclamada com o Oscar de Melhor Actor Secundário. Ao longo desta viagem, descobrirmos que as pessoas são mais complexas do que parecem à primeira vista. Entre os momentos mágicos deste filme estão, precisamente, as diferentes viagens destes personagens principais, havendo também outros intervenientes e linhas narrativas que não deixam indiferentes os espectadores. «Três Cartazes à Beira da Estrada» é um filme no ponto onde argumento, realização e performances se conjugaram para nos deixar absolutamente maravilhados. 

cinco estrelas

[Artigo publicado na Revista Metropolis nº 63 - Outubro 2018]

Star Wars: O Despertar da Força - Edição especial em Blu-ray

A edição celebra inteiramente o poder da Força em «Secrets of the Force Awakens: A Cinematic Journey», um documentário de sessenta minutos, separado por quatro capítulos, que foi realizado pelo experiente Laurent Bouzereau dando uma perspectiva geral da produção da génese até à ultima cena. É uma viagem que acompanha a narrativa com imagens exclusivas de bastidores, reuniões, test-screens e entrevistas com o elenco e a equipa artística. A par do documentário encontramos featurettes dedicadas a deliciosos aspectos de produção como a criação das criaturas, o BB-8, a música de John Williams, a famosa primeira leitura do argumento, o apoio às causas globais e finaliza com seis cenas cortadas que são um bónus para os fãs.

dvd star wars 2

«Star Wars: O Despertar da Força» é mais um feito para a prosperidade de um dos melhores criadores da actualidade. Há vários anos que acompanho a carreira de J.J. Abrams e antes do senhor estar na moda já tinha oportunidade de escrever que estávamos na presença de um criativo a ter em conta. O seu trabalho na área da televisão e cinema levaram-no a assumir as rédeas da maior saga popular do universo. Para fazer seguir em frente Star Wars era preciso regressar ao passado e juntamente com Lawrence Kasdan, o melhor argumentista desta série, uniu-se o melhor de dois mundos, à baila regressam os personagens icónicos e junta-se o sangue novo. Sobre o mote de regressar ao passado para melhorar o futuro, os produtores deram vida a lendas do grande ecrã num trabalho visual que foi ao pormenor da série original com a missão de deslumbrar passado obviamente pela música do incontornável compositor John Williams. O filme é uma incrível travessia visual e emocional onde os dois lados opostos da Força se redescobrem sob o peso do legado passado e confrontam-se no futuro, dizem-se “olás” e “até sempre” num desfilo de esperança e nostalgia. A consistência do trabalho e o entendimento que para ir mais além era necessário passarmos por «Star Wars: O Despertar da Força» criaram as bases para sequelas e spin-offs, nasceram novos heróis, vilões e um adorável droide, o BB-8. Através de um brilhante jogo de casting nasceu uma estrela, Rey (Daisy Ridley), que está bem acompanhada por Finn (John Boyega) e Poe Dameron (Oscar Isaac), o antagonista Kylo Ren (Adam Driver) é igualmente uma força a ter em conta. A conjugação de efeitos práticos e digitais sobre a batuta de J.J. Abrams e o esforço de centenas de técnicos e artistas abriram novamente as portas deste universo. Fizeram-se as pazes com a velha guarda e soltaram-se as amarras da criatividade. A história, a monumentalidade dos cenários e os efeitos digitais estão em harmonia. Star Wars é novamente uma saga que define um patamar de excelência cinematográfica em pleno século XXI.

 

StarWars BDSteelbook Packshot FINAL

quatro estrelas

Título Nacional Star Wars: O Despertar da Força Título Original Star Wars: Episode VII - The Force Awakens Realizador J.J. Abrams Actores Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac Origem Estados Unidos Duração 136’ Ano 2016

(Texto publicado originalmente na Metropolis nº38)

Fúria - BD

David Ayer («Os Reis da Rua», «Tempos Cruéis») realiza um filme intenso e sem rodriguinhos. A narrativa de «Fúria» leva tudo à frente e desbrava o caminho para contar uma história feita de sangue, impetuosidade e camaradagem.

Brad Pitt protagoniza o líder de uma unidade de blindados que, após o desembarque na Normandia, tem a missão de chegar a Berlim enfretando uma resistência fanática das unidades de elite de Hitler. A acção é claustrofóbica no palco do filme, o interior de um tanque de guerra onde encontramos almas martirizadas e divididas pela moralidade perante a chacina no campo de batalha, num cenário de constante tensão.

Não tendo o sentido épico, o filme reflecte um sentimento de realismo bélico e humano no estudo de cinco personagens resilientes num arrepiante cenário de guerra.

A edição blu-ray está acima da média, com cerca de 60 minutos de cenas cortas e extensas (um total de dezasseis). As featurette são dedicadas à memória dos veteranos de guerra, à rigorosa preparação dos actores, a um making of e à rodagem da obra.

Ascenção de Jupiter - BD

Os irmãos Wachowski regressam a casa, à cidade de Chicago e ao cinema de alta-voltagem, com «Ascenção de Jupiter», um alucinante épico inter-galático. A edição blu-ray vai permitir que os espectadores tenham a perceção que perderam nas salas um filme sem compromissos face ao entretenimento. Channing Tatum e Mila Kunis são os protagonistas desta operática história sobre uma inesperada heroína que é transportada através da galáxia para impedir a destruição da Terra. Algumas interpretações estão em modo overacting como o caso gritante de Eddie Redmayne mas esta elaborada sci-fi é detalhada até ao ínfimo pormenor, cenários, figurino e adereços. «Ascenção de Jupiter» é uma experiência cinematográfica em grande escala com alma e coração como os épicos de outrora.

A edição blu-ray contém várias featurette de produção e vale o espectáculo digital no “pequeno” ecrã.

Annabelle - BD

«Annabelle» é um spinoff de «The Conjuring - A Evocação» e vem da mesma fonte de inspiração: os arquivos reais de Ed e Lorraine Warren, os especialistas em demónios, exorcismos e afins. A história decorre nos anos 1960 em Los Angeles com o aparecimento do fanatismo das seitas religiosas. Um casal é vítima de uma invasão doméstica e após o trágico desfecho do evento ocorrências arrepiantes começam a manifestar-se na residência e têm como finalidade o recém-nascido da família. O argumento está bem construído e combina o terror com o suspense e o drama familiar. O filme tem uma realização cuidada sendo assustador q.b. ao ir beber a clássicos como «A Semente do Diabo» (1968). Encontramos um elenco seguro pontuado por boas interpretações de Tony Amendola, Alfre Woodard e Annabelle Wallis no papel de mãe, e claro uma boneca assustadora que promete tirar o sono aos espectadores.

A edição blu-ray contém featurette de produção, uma delas algo arrepiante com as descrições de estranhos eventos que ocorreram durante as filmagens...

Kingsman: Serviços Secretos - BD

«Kingsman: Serviços Secretos» é baseado num comic escrito por Mark Millar (Kick-Ass, Wanted) e desenhado por Dave Gibbons (The Watchmen). Após «Kick-Ass» Matthew Vaughn (realizador e argumentista) e Jane Goldman (co-argumentista) voltam ao universo criativo de Mark Millar num cocktail de violência, acção que parece um bailado e entretenimento com sotaque britânico. Depois de reinventar super-heróis chegou a vez de se dar uma nova roupagem ao mundo dos agentes secretos, espiões e vilões não precisam ser necessariamente sérios e entediantes. A história com excelentes valores de produção é vista na perspectiva de um miúdo (Taron Egerton) que vive num bairro desfavorecido de Londres mas tem um bom pedigree e inicia contra todos os vaticínios a formação de agente de uma ordem secreta com a missão de impedir um ataque global. Um casting soberbo e escolhido dedo (o que dizer de Colin Firth) está primorosamente afinado explanando toda a diversão e originalidade do argumento numa realização electrizante de Matthew Vaughn. «Kingsman: Serviços Secretos» faz corar alguns dos melhores franchisings do género.

Kingsman 1

A edição em blu-ray tem o seu ponto de honra num elaborado making of de produção focando as principais áreas do filme.

Whiplash - BD

«Whiplash» nasce a partir da homónima curta-metragem de Damien Chazelle, que tinha igualmente a participação de J.K. Simmons, é directamente inspirado no percurso musical do realizador. J.K. Simmons que tem arrasado sempre que participa num filme faz mais do mesmo em «Whiplash» vencendo o Oscar de Melhor Actor Secundário por este desempenho em 2015. O filme foi em crescendo de Sundance aos Oscars numa história sobre as provas de fogo de um jovem aspirante a baterista de jazz que ambiciona ser o melhor mundo, para isso terá de suplantar a exigência extrema de um professor de conservatório que dirige a banda como fosse um oficial da recruta militar, este também procura o próximo gigante musical. A realização tem um ritmo alucinante nos ensaios e performances ao vivo de bateria que só descamba quando se introduz subtemas que não têm pernas para andar (relação com o pai e a namorada) quando regressa e questiona, os sacrifícios, a ambição sem limites e o atingir de metas impossíveis nas vicissitudes do duo, o aprendiz e o mestre, «Whiplash» é um valente abanão nos sentidos.

Sniper Americano - BD

Clint Eastwood aos 80 anos e na sua trigésima quinta realização contínua imparável, «Sniper Americano» foi o maior sucesso, crítico e financeiro, da sua carreira. É inspirado em factos verídicos, na história de Chris Kyle, um navy seal e o melhor sniper da história do exército americano. Destaque para o profundo trabalho de pesquisa e adaptação do livro presentes na escrita do argumento de Jason Hall. Este filme obrigatório é um eloquente tratado sobre a guerra e as consequências humanas do ponto de vista do protagonista dividido por deus, pátria e família. Encontramos o amor a paredes meias com o dever pelos camaradas de armas durante várias campanhas de guerra no Iraque. O argumento conseguiu destilar perfeitamente o papel de Chris Kyle no lado intimo e familiar perante a guerra, uma dualidade que remete o filme para outra dimensão transformando-se também numa história de amor e de sofrimento daqueles que ficam na terra mãe. «Sniper Americano» tem um fervor patriótico mas nunca cai no maniqueísmo lançando o debate sobre o real esforço de guerra na América. Nota final para a performance de Bradley Cooper numa interpretação exigente a nível físico e psicológico volta a provar todo o seu talento dramático neste tributo a um herói americano.

A edição blu-ray conta com um making of e um magnifico documentário de produção.

Assinar este feed RSS