logo

Entrar
Actualizado às 3:58 PM, Jan 19, 2020

Derradeira Viagem

Enganam-se os que tendem a definir a produção de Hollywood a partir do último «blockbuster» que vimos anunciado em cartazes gigantes nas nossas ruas ou através de ruidosos clips nos ecrãs de televisão... De facto, tal visão, por certo idêntica à dos tesoureiros dos grandes estúdios sem qualquer gosto cinéfilo (e também de algum jornalismo sem memória nem sentido crítico), passa ao lado de todos os filmes que sabem manter-se ligados ao presente, ao nosso presente, sem quebrar uma relação criativa com o fascinante património narrativo de mais de um século de história(s).

«Derradeira Viagem» (título original: «Last Flag Flying») é um desses filmes, depurado e intenso, capaz de relançar as virtudes da mais clássica escrita dramática. Não por acaso, a sua construção tem sido comparada à de «The Last Detail/O Último Dever» (1973), de Hal Ashby, uma espécie de «on the road» mais ou menos sarcástico em que dois marinheiros têm como missão conduzir um terceiro à prisão onde deverá cumprir uma pena. Agora, encontramos três veteranos da guerra do Vietname — magnificamente interpretados por Steve Carell, Bryan Cranston e Laurence Fishburne — reunidos para uma singularíssima viagem, de contornos emocionais bem diferentes: o filho de um deles morreu no Iraque e os três vão recolher o corpo e organizar o funeral.

Em tempos recentes, raras vezes temos visto um argumento de tão sofisticada construção, sabendo combinar os detalhes de cada personagem com os elementos de um pano de fundo em que, em última instância, descobrimos a consciência americana a enfrentar factos e fantasmas da sua história militar e política. Richard Linklater, o realizador, colaborou com Darryl Ponicsan (autor do romance em que o filme se baseia) para estruturar esse argumento, privilegiando sempre a proliferação das contraditórias emoções que os actores conseguem expor.

Já sabíamos que Linklater é um cineasta apaixonado pela complexidade das relações humanas, no limite arriscando dilatar o tempo da própria rodagem, como aconteceu no inigualável «Boyhood» (2014), fabricado ao longo de mais de uma década, precisamente para inscrever a transformação física dos actores no corpo da ficção. Agora, com «Derradeira Viagem», podemos acrescentar que a sua arte, tecida de rigor dramático e subtileza afectiva, o define como legítimo herdeiro dos grandes mestres clássicos.

REALIZAÇÃO
Richard Linklater

ACTORES
Steve Carrell, Bryan Cranston, Laurence Fishburne, J. Quinton Johnson, Cicely Tyson

Duração: 125 min.

2017, EUA

cinco estrelas

Trumbo

Dalton Trumbo foi dos grandes argumentistas e intelectuais da cultura norte-americana do século XX, em boa hora chega-nos um interessantíssimo biopic sobre a sua figura. Bryan Cranston que deixou para sempre a sua marca nos ecrãs com a interpretação de uma vida no papel de Walter White na série «Breaking Bad» foi o escolhido para personificar a vida e o espírito singular de Dalton Trumbo. A trama desenrola-se num período conturbado da América com a febre da caça-bruxas que rotulava como comunistas aqueles que ousavam a exprimir opiniões ou acções contrárias ao patriotismo americano nos anos 50. No auge da guerra fria, carreiras e vidas foram destruídas com a marginalização daqueles que lutavam pelo direito de expressão. «Trumbo» insere-se numa linha de filmes que analisa os bastidores e as vicissitudes da máquina na era clássica de Hollywood num rol de alianças, as pressões, traições, o sentido de camaradagem e a criatividade para subsistir perante o ostracismo. É um filme actual e relembra ao espectador a importância da liberdade e a luta contra o fascismo encapotado, é também um olhar para as palavras e o pensamento de alguém que vivia para a sua escrita renegando a família para um segundo plano, um conflito bem presente nesta obra. Um filme que sabe ser completo no balanço entre o drama familiar e a acção histórica, obra que está repleta de grandes actores a desempenharem várias figuras reais. 

«Porquê Ele» com James Franco e Bryan Cranston

Durante as férias, Ned (Bryan Cranston), um pai dedicado mas superprotetor e a sua família visitam a filha em Stanford, onde ele conhece o seu maior pesadelo: o namorado bilionário bem-intencionado mas socialmente estranho de Silicon Valley, Laird (James Franco). Desenvolve-se uma rivalidade e o nível de pânico de Ned dispara quando ele se encontra num glamoroso ambiente high-tech, e descobre que Laird estás prestes a fazer o pedido de casamento.

  • Publicado em Videos

«Até ao Fim» com Bryan Cranston

‘Política é guerra’ e ‘Nada é de graça’. São frases do Presidente Lyndon B. Johnson (Bryan Cranston) em Até ao Fim (2016), de Jay Roach, com produção executiva de Steven Spielberg, um filme com o selo de qualidade da HBO, nomeado a oito Emmy na categoria de filmes para televisão, nomeadamente Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator (Cranston) e Melhor Atriz Secundária (Melissa Leo). Até ao Fim segue o primeiro ano de mandato de LBJ, depois do assassinato de John F. Kennedy em 1963, marcado pela promulgação da Lei dos Direitos Civis, com Martin Luther King Jr. (Anthony Mackie) de um lado a pressionar para que o texto se mantivesse na sua essência, e os líderes democratas dos estados do sul, por outro, a exigirem uma suavização, para não perderem o seu eleitorado. Até ao Fim, uma grande estreia a 21 de agosto, domingo, às 21h30, no TVCine 1.

LBJ poster

Fonte: TVCine

  • Publicado em TV

PORQUÊ ELE? - trailer

Durante as férias, Ned (Bryan Cranston), um pai dedicado mas superprotetor e a sua família visitam a filha em Stanford, onde ele conhece o seu maior pesadelo: o bem-intencionado mas socialmente estranho bilionário de Silicon Valley, Laird (James Franco). O certinho Ned pensa que Laird, que não tem quaisquer filtros, é uma péssima escolha para a sua filha. A rivalidade unilateral e o nível de pânico de Ned dispara quando ele se encontra num glamoroso ambiente high-tech, e descobre que Laird estás prestes a fazer o pedido de casamento.

Realizador: John Hamburg
Produtores: Shawn Levy, Ben Stiller, Jonah Hill, Dan Levine
Argumento de: John Hamburg & Ian Helfer
História de: Jonah Hill e John Hamburg & Ian Helfer
Elenco: James Franco, Bryan Cranston

  • Publicado em Videos

Bryan Cranston em «The Infiltrator»

Bryan Cranston após o seu desempenho de Walter White, o rei do crime em «Breaking Bad», interpreta uma figura real no mundo da droga, o agente Robert Mazur que se infiltrou num dos maiores cartéis da época.

O verdadeiro Robert Mazur esteve cinco anos infiltrado num cartel e as suas informações resultaram na captura de 85 grandes traficantes. Robert Mazur escreveu o livro “The Infiltrator: My Secret Life Inside the Dirty Banks Behind Pablo Escobar’s Medellin Cartel” agora adaptado por Ellen Sue Brown ao grande ecrã.

A realização de «The Infiltrator» pertence a Brad Furman («Cliente de Risco») e o elenco conta com vários actores conhecidos do grande público. O filme tem estreia prevista para 15 de Julho nos Estados Unidos.

Título Original The Infiltrator Realizador Brad Furman Actores Bryan Cranston, John Leguizamo, Diane Kruger Origem Estados Unidos Duração n.d. Ano 2016

Assinar este feed RSS